Victória, você perdeu…

cavi

O jornal Extra, do Rio, publica a história da moça Victória Cavichioli, que publicou no twitter uma mensagem  dizendo que “nada contra, mas na estação do Brás abrem a porta da senzala, sou o contraste do vagão”.

Victória é só outra cabeça fútil, primária, que “se acha”.

Muito provavelmente o seu racismo é menos “racial” e muito mais social, o que não o diminui.

É que no Brás se conectam o Metrô e as ferrovias da CPTM que ligam o centro paulistano a Rio Grande da Serra e a Poá e a Suzano.

Aos pobres.

Como há muitos pobres negros e mulatos entre os pobres, vai “racismo racial” também nisso.

À Victória, talvez não se tenha ensinado que seus avós ou bisavós chegaram ao Brasil em verdadeiras “senzalas”.

Quem sabe, talvez, a moça que se acha “um contraste” não seja descendente de Adamo Cavichioli, de 37 anos, que veio com a mulher, Giovanna, de 34, e os filhos Adele, Maria, Anselmo e Attilia, uma “escadinha” de 3 a 12 anos.

Sabe, Victória, o navio,  que os trouxe ao Brasil em 1891 – o vapor Matteo Bruzzo  – tinha 32 passageiros na primeira classe, 20 passageiros na segunda classe e “só” 1.215 passageiros no “senzalão” na terceira classe, categoria onde ficavam acomodados os imigrantes que vinham à procura de trabalho no Brasil.

Que depois de desembarcarem ficaram numa “senzala”, como muitas vezes foram os alojamentos coletivos da Hospedaria dos Imigrantes de São Paulo, famílias misturadas num pátio.

Quem sabe um dia um Metrô imaginário abra as portas nesta “senzala” para você ver de onde veio, o que, aliás, não a faz pior do que ninguém. Como não faz ninguém pior do que você.

Baixe a sua bola, mocinha, e procure saber quem foram seus avós, bisavós, trisavós.

Agora, se quiser a continuar a ser assim, procure os que fazem a sua cabeça ser assim preconceituosa.

Vai achar gente que diz, até, que “não somos racistas”, como o descendente de imigrantes Ali Kamel – como você é – que dirige o jornalismo da Globo que nunca te mostrou como eram as “senzalas” dos imigrantes italianos.

Pode crer, a Estação do Brás é uma Higienópolis perto delas.

Posts relacionados...

Comentários no Facebook

20 Respostas

  1. Brandao disse:

    Isso que eu chamo de “tomou um pedala robinho” na orelha!

  2. João Henrique Moreno Serra disse:

    A moça poderia aproveitar que passa pelo Brás e visitar a Hospedaria dos Imigrantes (Museu da Imigração) que fica ali pertinho da estação. Talvez aprenda um pouco de como nossos alvíssimos antepassados aqui chegaram.

  3. marcos disse:

    Fernando, cabe um acréscimo?

    Ao lado da estação do Brás fica o “Museu da Imigração” no prédio onde funcionava a hospedaria para quem chegava de Santos a São Paulo. A maioria dos imigrantes de várias nacionalidades se hospedou ali. Meus bisavós italianos passaram todos por ali. É provável que os bisavós de Victória também tenham se hospedado nesse prédio ao lado da estação do Brás onde a moça “contrasta”.

    Victória, se por qualquer obra do acaso você ler este comentário, indico que faça uma visita ao Museu da Imigração e conheça um pouco da história dos nossos avós que estavam ali, tão próximos da estação do Brás que você usa hoje e tão próximos da senzala daquela e desta época.

    http://museudaimigracao.org.br/

    • Thiago Teixeira disse:

      Desculpe, mas não compare hospedaria de imigrantes europeu com senzala. Já esteve numa? O pé direito das acomodações eram de 1,5 metros e sem janela. Visite a cidade de Piracicaba-SP e veja como MEUS TATARAVÓS eram tratados.

  4. Angela Simões disse:

    Valeu Fernando o analfabetismo histórico está virando epidemia neste país.

  5. antonio disse:

    Pq os racistas estao tao serelepes, tao
    comunicativos e desavergonhados ?
    CARALHO,,, kde os negros e mesticos,
    q sao maioria absoluta neste pais, q
    nao colocam esses racistas no devido
    lugar? Matar um racista seria de bom
    tom, imediato e um sentimento de
    justica sendo feito, porem, nao eficaz,
    precisamos vomitar na cara desses
    bocais e sem carater historia, bom
    senso e humanidade. Enquanto
    acharmos q esses mensageiros do
    odio combate se com republicasmo
    eles, os racistas/ fascistas, se acharao
    no direito de barbarizar. Portanto,
    precisamos tira los da zona de
    conforto, trazendo o debate, a
    polemica, a reflexao, a critica para
    jogar luz nessas mentes doentias.

  6. Gilson disse:

    Doente

  7. Alisson Souza disse:

    Qualquer forma de preconceito é absurda. Essa moça deve ter sido criada, como bem disse Brito, sem conhecer a história de seus antepassados. Deve também pensar que ser descendente de europeu a faz descendente da realeza. Deveria estudar com mais afinco a sua terra mãe desde a idade das trevas.

  8. Vixe disse:

    Se ela descobrir que tem DNA africano, ela se mata.
    No fundo, racistas são pobres coitados inseguros e medrosos que temem serem inferiores aos que eles odeiam.
    Essa moça deveria responder nas barbas da lei.
    Bora MP, processar essa boçal???

  9. Lgia disse:

    Parabéns Fernando.

  10. beijo no C* disse:

    é isso. Se pelo menos , como no primeiro mundo, aqui se cobrasse uns 60% de imposto em tudo poderia ter como pagar salário que preste para esse povo e não essa miséria que faz com que não fique longe da pobreza histórica. Isso sem levar em contar que , ante o que se paga para construtora nesse pais, a própria estação é mesmo bem próxima de currais

  11. Thiago Teixeira disse:

    Não importa se vieram de 3° classe, se ficaram na hospedaria de quinta, o que é fato são que estes descendentes de imigrantes europeus que chegaram no Brasil pela porta da frente são hoje a elite branca, ou no pior caso, a classe média branca. Estiveram sempre na preferencia da casa grande, com os melhores cargos e salários. Portanto, a bisneta do senzalão italiano tem mais é que comemorar e SE ACHAR MESMO.

  12. Juba disse:

    Tem um porém, os negros vieram forçados, acorrentados. Os antepassados da coxinha vieram por livre e espontânea vontade, fugindo de guerras, fome e miséria.

  13. Arestides Fronza disse:

    Isso mesmo Brito. Sou descendente dos primeiros italianos/tiroleses vindos no ano de 1875 aqui pra Santa Catarina, Rodeio. Ainda hoje tem alguns descendentes que se acham “Europeus”. Tutti stupidoni.

  14. Pereira disse:

    Certamente é uma pessoa de parcos conhecimentos. Se os tivesse jamais mencionaria o Brás de forma tão arrogante e soberba. Era na Visconde de Parnaíba que ficava, atualmente é um museu de imigrantes, as hospedarias (senzalas) que alojavam os imigrantes italianos (expulsos de suas terras na Itália e famintos) carregados de filhos, enquanto aguardavam o momento de embarque para uma fazenda de café para servir ao seu novo senhor explorador.

    Quanta petulância, quanta arrogância, quanta ignorância, quanta estupidez.

  15. IRANCOCCH disse:

    Uma pessoa assim pode fazer direito, se formar, fazer concurso p/ PF ou magistério e passar. Isso vai explicado o motivo de tantos erros e presunções de alguns funcionários desses órgãos.

  16. Pedro Penido dos Anjos disse:

    É a tropa dos ANAFUNCs – Analfabetos Funcionais de Nível Superior Completo.

  17. henrique de oliveira disse:

    Nesse BRASIL até loiro de olhos azuis tem o pezinho em alguma senzala , pobre coxinha imbecil.

  18. tiao disse:

    Se esta infeliz tivesse noção de sua origem não diria tamanha asneira.Coitada…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *