Tortura de Moro é desmascarada em vídeo, de novo

VEJA-Dias-Toffoli-e1430446342936

Tempos sombrios.

Brutalidade, prepotência, autoritarismo voltaram a fazer sucesso, promovidos pela mesma mídia que, em outras ocasiões, explorou os mesmos vícios populares.

A mesma elite que sempre explorou o povo, agora tenta explorar seus ressentimentos, seus ódios, suas frustrações.

O discurso contra a corrupção, mais uma vez, é manipulado para enganar o povo.

Moro pega empresários quiçá corruptos (como muitos outros, aliás), mas velhos, alquebrados, doentes, cheios de manias e achaques de rico, para quem uma prisão é uma masmorra medieval, e tortura-os para os forçarem a se acusarem a si mesmos.

A mídia não quer saber: o povo quer sangue, a oposição lucra com isso, então assim será.

Dane-se a democracia!

Não é mais a acusação que precisa trazer elementos comprobatórios para manter um cidadão brasileiro confinado entre quatro paredes.

Agora é o cidadão que precisa provar ao juiz que é inocente.

Pior, precisa provar ao juiz que não cometerá crimes no futuro!

Como alguém pode provar a um juiz esse tipo de coisa?

Nem Kafka, em suas obras-primas, pensou em tamanha crueldade por parte do Estado.

Forçar um cidadão, através da mais insidiosa tortura física, mental e familiar (!), a provar ao juiz que não mais pecará!

Só a delação salva!

Só a delação, mesmo sem provas, desde que ofereça material narrativo à mídia.

Desde que ofereça material para o golpezinho miserável, de república de banana, que a República do Paraná pensou que seria tão fácil dar.

*

No blog do Nassif.

O jogo de coerção do juiz Sergio Moro

SEX, 29/05/2015 – 12:34
ATUALIZADO EM 29/05/2015 – 14:18

Patricia Faermann
Juiz federal aproveita a fragilidade do réu, que chora em desabafo sobre seu estado de saúde, pedindo a conversão da prisão preventiva em domiciliar, para coagi-lo a confessar

Jornal GGN – Apontado como um dos 11 lobistas ligados à Diretoria de Serviços da Petrobras, o empresário Mário Frederico Mendonça Góes desabafou durante uma audiência com o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela condução da Operação Lava Jato. “Eu estou ficando fraco, cada vez mais”, disse, chorando. A audiência foi marcada para pedir a conversão da sua prisão preventiva para domiciliar devido a problemas de saúde do acusado. O advogado de Góes deixa claro que o réu não falaria sobre as acusações naquele momento, e que aguardaria para a defesa no inquérito. Após a demonstração de fragilidade do empresário, Sergio Moro inicia um diálogo afirmando que, se Góes colaborasse, seria analisada a revogação da prisão preventiva.

No áudio afirma, categoricamente, que prisão preventiva é “instrumento utilizado para o crime de colarinho branco”, objetivando com ela a “boa vontade em esclarecer” as acusações. O juiz federal ainda defende a ideia de que o ônus da prova cabe ao acusado: “o juízo não tem nenhuma notícia do concreto em que pese a afirmação da defesa de boa vontade em esclarecer, resolver essa situação em mostrar que não existe risco de reiteração [da prática do crime]”, disse.

Inicialmente, o empresário afirma que não se nega a responder o processo e desabafa sobre seu estado de saúde: “Infelizmente, eu to ficando fraco, cada vez mais. Eu tenho problema, eu operei a coluna lombar, eu tenho problema cervical. Para sentar é complicado, tenho que ficar quase sempre deitado, porque sentado é muito complicado. Então o que eu vinha fazendo, eu estava com a minha vida normal. Não estou reclamando, de jeito nenhum, das pessoas, do sistema carcerário. Dentro da legalidade, eu sou tratado com dignidade. Mas é diferente, minhas comidas eu não consigo. Tenho colite, diverticulite, tenho uma série de problemas digestivos. Tenho problema de posicionamento, de articulação, eu não posso ajudar a pegar nada, em cima, em baixo, levantar. Então isso vai me consumindo um pouco”, disse.

Quando Mário Góes afirma que os problemas o prejudicam, inclusive, a colaborar no processo de investigação, Sergio Moro encontra a brecha para iniciar a coerção.

– Eu tento ajudar a descobrir, ver e mostrar, esclarecer, mas eu me sinto cada vez menos capaz de fazer as coisas. Então por exemplo, no exame deve ter, meu coração dispara a noite, eu sinto coisas estranhas; diz o executivo.

– Um dos motivos para a preventiva seriam as contas offshore e que, até hoje, o juizo não teria nenhuma notícia concreta sobre elas; disparou o juiz.

– Tudo isso será muito bem esclarecido no decorrer do processo; respondeu Góes.

– Porque o problema que o juízo vê é que essas contas para prevenir reiteração delitiva, e essas contas não sei se estão ativas, inativas…

Nesse momento, o advogado do empresário interfere afirmando que esse assunto será abordado no interrogatório, e que o pedido atual não era de revogação da prisão, mas de conversão em domiciliar, o que para a defesa atenderia aos mesmos propósitos argumentados para a detenção do executivo.

– Certo, veja doutor, aqui é um crime de colarinho branco e são os instrumentos utilizados pra esses crimes, segundo pelo menos o Ministério Público nessas contas no exterior, o juízo não tem nenhuma notícia do concreto em que pese a afirmação da defesa de boa vontade em esclarecer, resolver essa situação em mostrar que não existe risco de reiteração. Então, se estamos discutindo a prisão preventiva, esse era um elemento importante a ser esclarecido nessa audiência; insiste Sérgio Moro.

– Eu volto a dizer, a defesa não pede a revogação da prisão preventiva nesse momento, apenas a conversão da prisão preventiva em domiciliar, o que me parece que atende aos mesmos propósitos da fundamentação da decretação. De outro lado, a existência ou não dessas contas, que o próprio juízo reconhece que não tem notícia, na verdade são objeto mérito da acusação; afirma o advogado.

– Sim, mas é um instrumento; fala o juiz.

– Vamos abordar sobre ela [acusação] somente no inquérito, vossa Excelência; rebate o advogado.

– Mas aí é como eu disse doutor, é o instrumento do crime, o juízo imputa importantes esclarecimentos, caso se pretenda a reavaliação dessa questão. Mas, tudo bem, eu vou levar em consideração, estou colocando a oportunidade para o acusado, certo?; mais uma vez tenta Sérgio Moro.

Em seguida, o juiz federal conclui a audiência: “O Ministério Público tem alguma questão a colocar? Está bem, esse documentos foram colocados, eu confesso que não os avaliei, vou abrir vista ao Ministério Público para manifestação, e decido, depois, em seguida. E reitero a posição do juízo, a questão dos instrumentos para a prática do crime, segundo o Ministério Público, ainda estaria à disposição do acusado, e esse foi um dos elementos que levaram a decretar a prisão preventiva. Então, fica aí uma sugestão eventual de avaliar essa situação pela defesa e pelo acusado, certo senhor Mário?”, finaliza, em sistemática insistência, Sergio Moro.

Assista ao diálogo da audiência completo aqui: https://youtu.be/3jHCwHIINM0

Posts relacionados...

Comentários no Facebook

36 Respostas

  1. paul moura disse:

    Fernando,
    realmente é de apavorar a desfaçatez do Juiz.
    E isso ainda em vídeo com todas as letras, virgulas e trejeitos.
    Então um Juiz vai para uma audiência sem tomar conhecimento dos elementos apensados no processo e que “exclusivamente” dizem respeito a mesma?
    Onde estava o Juiz que foi liberado de receber novos processos, para dar celeridade a atual investigação?
    Talvez dando entrevistas para a mídia ou prefaciando um livro qualquer.
    Não é o cúmulo dos cúmulos dos sacripantas!
    Por muito menos o tribunal de Nuremberg teria sido anulado.

    • Luís Vasconcelos disse:

      Quem já leu um processo da Inquisição de Lisboa? Eu já li vários. A mesma coisa são os inquéritos desse Moro. Sem tirar nem por. Ou o acusado diz o que o Dr. Moro quer ouvir, ou permanecerá preso e quem sabe condenado a “morrer queimado”. É um retorno aos tempos do obscurantismo. Não há superiores na Justiça brasileira que tenha autoridade para conter esse juiz insano?

      • JOSÉ DE ARIMATHEA disse:

        A continuidade desse inquérito, conforme está sendo conduzido, afronta o estado de direito de nações civilizadas.
        Não se entende é a impassividade do STF e da PGF

      • José Magno disse:

        Luis Vasconcelos o pior será “fazer justiça cpm as próprias mãos”!!! Lembra-se dos justiceiros da revolução francesa? O que aconteceu a êles…

    • Dinio disse:

      Estava se banhando com a farinha da vaidade pulverizada nos salões da casa grande, junto com sua escritora preferida…

  2. Carlos N Mendes disse:

    Não acredito existir outro nomepara isso que não seja ‘chantagem’.

  3. Carlos N Mendes disse:

    Não acredito existir outro nome para isso que não seja ‘chantagem’.

  4. Messias Franca de Macedo disse:

    … Agora, “o lhano” “juiz do ‘braZ$il”!

    Depoimento do deputado federal Jutahy Magalhães Junior (PSDB/BA)

    https://www.youtube.com/watch?v=k-fE3OmeqBg

    • octavio disse:

      Só faltou ele instalar uma tribuna para o deputado poder criticar o governo. O deputado disse que foi na empresa pedir contribuição e recebeu R$ 300.000,00. E disse que não sabia nem o porque do empresário ter doado tal quantia.

  5. Luís Vasconcelos disse:

    Quem já leu um processo da Inquisição de Lisboa? Eu já li vários. A mesma coisa são os inquéritos desse Moro. Sem tirar nem por. Ou o acusado diz o que o Dr. Moro quer ouvir, ou permanecerá preso e quem sabe condenado a “morrer queimado”. É um retorno aos tempos do obscurantismo. Não há superiores na Justiça brasileira que tenha autoridade para conter esse juiz insano?

  6. Carlos Roberto disse:

    O Juiz Moro é responsável pelo maior Tribunal de exceção em verdade uma masmorra, além do mais, fiquei estarrecido ao assistir e ouvir suas afirmações e fez lembrar do Conde de Monte Cristo, sua conduta “parece” análogo aos dos três inimigos invejosos que ocasionaram a prisão por catorze anos de um “inocente” e jogou na masmorra, mas note: o que ninguém esperava era que ele conseguiria sair da prisão, com uma sede de vingança que não pouparia nenhum dos responsáveis pela sua tragédia.

  7. Regina disse:

    Engraçado, a vozinha do Moro parece macia mas, no fundo, tem um tom meio que amedrontador.

  8. Dinio disse:

    Se as instâncias do Direito não agirem em relação às coerções do Ditador Moro, logo ali na esquina, toda a filosofia do Direito Penal no Brasil estará distorcida, e entraremos no Estado da Barbárie Judicial. E aí se multiplicarão os exemplos de cidadãos que se vestem acima da lei para torturar, acusar sem provas, e cercear o direito de defesa. O que este juiseco de 5ª está fazendo junto com a Mídia Bagaceira deste país é forçar a “corda” para ver rebentar, basta ver em sua própria “República do Paraná” o que ocorreu há poucos dias com a violência policial aos professores.Enquanto isto a corrupção está no núcleo do poder embaixo da sua bunda e ele -como faz parte da turma- finge que não vê. Basta atacar o PT e o Gov. Federal, a mando da globo, e pronto. O resto o Direito Ditatorial garante…

  9. edir disse:

    Deu a impressão que o juiz Moro nem entende de Lei.
    Mas que porcaria é essa gente trevestida de Deus, onipotente e salvador de toda a humanidade através da carcerária, acabando definitivamente com a corrupção.
    Assim pensa o rei Moro.
    Nojento esse homem, pobre de quem cair nas garras deste monstro.

  10. Antonio disse:

    Esse juiz é envergonha a justiça e os códigos legais brasileiros.
    Junto a outros está colocado definitivamente na história do Brasil como um jagunço a serviço de um partido político e de uma elite canalha.

  11. Rogério Ferraz Alencar disse:

    Gostaria de resposta, se possível, jurídica: os advogados não podem abandonar a defesa, dizendo que ela é inócua e que, atualmente, no Brasil, juiz faz o que quer? Afinal, Rosa Weber não deixou claro, na condenação de José Dirceu, em voto foi redigido por Sérgio Moro, que não se precisa de prova para condenar? Acho que o abandono da defesa seria forma eficaz de chamar a atenção sobre os despautérios jurídicos que estão se avolumando.

  12. Sérgio Rodrigues disse:

    Vale tudo pra atingir o PT!…..

  13. Rogério Ferraz Alencar disse:

    Gostaria de resposta, se possível, jurídica: os advogados não podem abandonar a defesa, dizendo que ela é inócua e que, atualmente, no Brasil, juiz faz o que quer? Afinal, Rosa Weber não deixou claro, na condenação de José Dirceu, em voto foi redigido por Sérgio Moro, que não se precisa de prova para condenar? Acho que o abandono da defesa seria forma eficaz de chamar a atenção sobre os despautérios jurídicos que estão se avolumando. A reação precisa acontecer.

  14. renato disse:

    Eu sou leigo quanto as frases tecnicas do juiz e do advogado.
    E seria preso só por não entender desta bula..
    Iria para cadeia sem mais delongas e acreditando que seria
    culpado…
    MAS…..O juiz agora, não esta lidando com senhores desmilinguidos
    nem tão pouco idiotas juridicos…
    Os bandidos comuns que infestam as cadeias, tambem choram, lacrimejam,
    fedem a mijo e merda, são estuprados, esmurrados, mortos, escolhidos
    para servirem aos outros…
    Mas acabaram de roubar, matar, estuprar, ferrar com a vida de outros..
    Sou contra alguem que agride de qualquer forma os direitos humanos..
    Não vejo ser este o caso..até cachecol ele tem..
    E tinha tudo isto quando dava carteirada e corrompia o sistema..
    Desculpem, sou PT….mas não dá para entrar nesta…

  15. renato disse:

    u sou leigo quanto as frases tecnicas do juiz e do advogado.
    E seria preso só por não entender desta bula..
    Iria para cadeia sem mais delongas e acreditando que seria
    culpado…
    MAS…..O juiz agora, não esta lidando com senhores desmilinguidos
    nem tão pouco idiotas juridicos…
    Os bandidos comuns que infestam as cadeias, tambem choram, lacrimejam,
    fedem a mijo e merda, são estuprados, esmurrados, mortos, escolhidos
    para servirem aos outros…
    Mas acabaram de roubar, matar, estuprar, ferrar com a vida de outros..
    Sou contra alguem que agride de qualquer forma os direitos humanos..
    Não vejo ser este o caso..até cachecol ele tem..
    E tinha tudo isto quando dava carteirada e corrompia o sistema..
    Desculpem, sou PT….mas não dá para entrar nesta…

  16. Jair Almansur disse:

    O foco tem sido todo no Juiz Moro, mas quero afirmar que se não tivesse a conivência e complacência dos tribunal gaucho,e inclusive do Ministro Teori (anotem esse ministro é medoroso). E o melhor nome para juiz medroso é covarde.

  17. sergio m pinto disse:

    E por que esse pessoal fica insistindo com esse juiz de primeira instância, que mais parece um acusador ao invés de juiz, não apela ao Tribunal de Direitos Humanos da OEA? Medo de retaliação ou dúvida se teria algum efeito?

  18. Thiago Teixeira disse:

    Independente se o Juiz é o Moro, ou as motivações da investigação, mas certos tipinhos de réus fazem ceninha na frente do Juiz, dão uma volta, inventam um monte de desculpa ao invés de irem direto ao ponto. Tenho certeza que quando estes empresários estão viajando em seus iates, jatinhos, ou contando o dinheiro de suas negociatas não lembram nem um pouco de suas doenças. Sinto muito mas apesar da minha ideologia de esquerda, não tenho estomago para aturar isso.

  19. Rita disse:

    Miguel, você disse tudo em duas palavras: “tempos sombrios”!

  20. Tomás disse:

    Moro é culpado, mas muito mais culpados, verdadeiros inimigos do país, são os empresários que estão lhe dando cobertura e apunhalam a Constituição e a justiça brasileira sem nenhum pejo.

  21. Ramos de Carvalho disse:

    Não sei o porque, mas lembrei de Robespierre, o incorruptível segundo seus amigos, guilhotinou muitos e foi guilhotinado.

  22. Constante disse:

    A motivação das prisões é a obtenção de delações, e para isso o indiciado permanecerá preso até dizer o que o juiz Sérgio Moro quer que ele diga.

  23. Marcelo Teixeira disse:

    Fernando
    A mídia recorrentemente exibia todo seu preconceito contra Lula e exibe e reforça em seus comentários a dificuldade ( que é real) da Presidenta Dilma se expressar publicamente e de frente às Câmeras.
    Observando esse vídeo notei algo que me deixou impressionado.
    A dificuldade do Juiz Moro no uso de pronomes é incompatível para o exercício da atividade para aqueles que profissionalmente dependem desse domínio para interrogar, peticionar, discorrer sobre e dar sentenças.
    Não bastasse os equívocos de todo o processo da Lava Jato, amplamente abordados pelo Tijolaço e os demais Jornalistas, Blogueiros, intelectuais e Políticos Progressistas, a falra de domínio para o uso correto da língua Portuguesa é incompatível; se sujeito a uma redação de concurso para Juiz, Moro seria reprovado.

  24. carlos disse:

    Moro é a prova de que estamos vivendo tempos sombrios no Brasil. Age impunemente, sem qualquer barreira, sem que órgãos como CNJ e STF tomem as atitudes necessárias para impedir que esse agente da direita continue atuando acima da lei. Ele conta com os aplausos da mídia golpista, que é quem pauta a justiça, a PF e o congresso. Ele é o agente da Globo – um deles – para atacar o PT e a Petrobras. E com isso a nossa democracia, já bem limitada, vai abrindo espaço para esta onda de direita e golpista que ataca o Brasil.

  25. abelardo disse:

    Torturador, carrasco, covarde, …. vários adjetivos similares poderiam compor essa Corbélia de horror, que tão bem o juiz Moro sabe coroar os réus da operação Lava Jato a seus cuidados. Na verdade, os réus estão mais às suas torturas que a seus cuidados, certo? Como pode a instituição do judiciário assistir e permitir que abusos de poder, que comportamentos não condizentes com o cargo, que agressões absurdas as leis constitucionais sejam rotineiramente praticados por juízes, que tem, por obrigação e juramento, fazer exatamente o oposto? Quem tem medo de quem? O judiciário é senhor si mesmo ou escravo da mídia? Está perdido, está rendido ou está vendido?

  26. assim falou Golbery disse:

    De fato, corrupto tem que ser tratado com tudo carinho e safado é quem não aceita ser corrupto

  27. Pedro Luiz Moreira Lima disse:

    Amigo Fernando Brito:
    Venho fazendo críticas e cobrando ação da mais importante instituição dos Direitos Humanos no Brasil – O Tortura Nunca Mais – NADA,NADA e NADA!!!
    Cheguei diversas vezes a chamar de Tortura Nunca Mais ,porém ,todavia,contudo,entretanto,talvez – ou uma omissão covarde ou assim como a direita diz – “Direitos Humanos só para humanos” e a esquerda – “Direitos humanos só para a esquerda e pobres – ricos,empresários e ex poderosos inocentes ou culpados não são humanos”
    Um dirigente do Tortura Nunca Mais Rj – como resposta “SEU MERDA”como ousa injuriar e difamar o Tortura Nunca Mais, outra me chamando de “agente provocador” – detalhe – ameaças,coerção e intimidação,o mais importante ZERO DE EXPLICAÇÂO.O silêncio do Tortura Nunca Mais Nacional em relação a total quebra dos direitos individuais no Paraná,nadica, nadica sobre o Guatanamo do Paraná – no entanto “SEU MERDA”e o vomitável “SABE COM QUEM ESTA FALANDO?”foi a resposta.
    É caro amigo – como diria a propaganda de um banco, o Barmerindus, “O tempo passa,o tempo voa e o Tortura Nunca Mais quer ficar só na BOAAAAA” – somente uma explicação “deixa eles se FUDEREM não vamos meter a mão nessa cumbuca tomar cuidado com a Globo e cia,né?” Deixa os jornalistas e a OAB se FU sozinhos.
    Triste – D´.Evaristo doente não merecia assistir a isso.
    Pedro Luiz

  28. carlos disse:

    Cadê a justiça, certa feita um advogado fez uma petição pedindo o afastamento, do presidente da camara Eduardo Cunha, e aí vem a piada do dia é um caso escabroso por se tratar de uma juiza, pasmem os senhores ela exigiu que o advogado passase uma procuração para ele mesmo, gente isso é inedito no mundo por se tratar de um juiz nunca ouvi falar uma pessoa fosse procuradora dela mesma se algué me explicar isso, com a apalavra a OAB. DO BRASIL.

  29. Thila disse:

    Eu assisto Law and Order sempre que posso. Mas a vozinha macia é sempre dos psicopatas. Podem comprovar sky 43

  30. Luiz Carlos P. Oliveira disse:

    Voltamos aos tempos do TORQUEMADA. Não temos mais tribunais e julgamentos justos. Temos um INQUISIÇÃO à moda República Curitibana das Bananeiras. Pobre país. E ainda tem gente que vem aqui defender essa barbárie. Não percebem que estamos abrindo estados de exceção jurídica e que, num futuro não muito distante, seremos nós os afetados por ela? Esses julgamentos, baseados no Mãos Limpas italiano, só nos levará aos resultados que ele gerou na Itália: o surgimento de “berlusconis”, cujo governo foi marcado por corrupções sem precedentes na história italiana. É isso que queremos para o Brasil? Com a palavra os “bem intensionados “coxinhas sem noção”.

  31. Marcelo Teixeira de Oliveira disse:

    Trecho 1min 30 intervenção incial de Mor: Disposto a lhe ouví-lo???
    Me pergunto: Como esse Juiz consegui ser aprovado na tão difícil prova para ser Magistrado, com um Português desse???
    Sou filho de juiz e me envergonho completamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *