Temer sangrará por um bom tempo

algoatemer

Os supersticiosos deixem para ler, já-já,pela milésima vez, que agosto é o mês da tragédia na política brasileira, tradição que vem do suicídio de Vargas e da renúncia de Jânio Quadros.

Pois Michel Temer, sangrando como um zumbi, dá todos os sinais de que atravessará julho, para enfrentar em agosto a corrida final do Rodrigo Janot, em seu último mês á frente da Procuradoria Geral da República.

A “máquina Cunha”, agora sob nova direção, mostrou hoje que ainda tem forças para vencer nas comissões e barrar, pela ausência, qualquer grande chance de que seja concedida a licença para processar o atual ocupante do Planalto, mesmo com o bombardeio da Globo.

Que hoje ganhou um novo capítulo com as declarações do doleiro Lúcio Funaro  de que entregava malas de dinheiro a Geddel Vieira Lima em pessoa.

Ainda assim, pouco para sequer fazer cambalear mais Temer, que já – ao que se diz – prepara-se para jogar a escanteio parte dos tucanos e, depois de apanharem uma saraivada de tapas na cara continuam ameaçando que, “no próximo, eu vou embora”.

Aliás, aquela “escala da crise” a que João Dória se referiu outro dia, dizendo que Temer estava “grau oito”, depois “nove”, agora deve estar sendo esticado como naquela brincadeira infantil: 9,1; 9,2, 9,3…

PP, PMDB, PR e outros partidos que vivem do voto fisiológico sofrem menos com o desgaste eleitoral que, hoje, uma pesquisa do Poder360, significa apoiar Temer o que seria recusado por 75% dos eleitores.

O grande atingido é o PSDB, que vê o seu eleitorado ser engolido pela extrema-direita, filhotes do ódio que, há anos, vem injetando na sociedade.

Temer ficará sangrando em praça pública e a situação do país seguirá se deteriorando.

Há quem olhe para isso com paladar eleitoral.

Para quem defende a recuperação econômica do Brasil, que está vendo as ruas se encherem de desvalidos e quer  uma saída democrática, onde o povo decida quem deve nos governar é um perigo.

Um presidente fraco, desmoralizado, disposto a tudo para se agarrar ao cargo, já vimos isso, é algo a temer.

Comentários no Facebook