A tábua da nova lei: a da delação

moraesdarosa

Imperdível o irônico e trágico texto do juiz Alexandre Moraes da Rosa sobre a crua lógica do processo de delação premiada que se tornou, nestes dias, o “processo único” de apuração, com a transformação de investigações e julgamentos em um simples negócio.

Conheça os dez mandamentos
da delação premiada

Alexandre  Moraes da Rosa, no Conjur

Perguntaram-me como explicar brevemente o regime da colaboração/delação premiada no Brasil sem precisar ler muita coisa, no estilo 10 mandamentos. Aceitei o convite. Abaixo, segue o que explico no Guia do Processo Penal conforme a Teoria dos Jogos[1], de maneira esquemática. Aviso que as alusões devem ser lidas com certa dose de cinismo. Significam perspectiva metafórica do que pode se passar, e não necessariamente com o que concordo.

Metaforizei a partir de um indivíduo que joga sujo e quer maximizar seus êxitos a qualquer preço, sem levar em consideração aspectos éticos e morais. Não estou falando, necessariamente, de você, leitor.

Seguem os mandamentos:

1. Ama (e salva) a ti mesmo sobre todas as coisas e pessoas.

2. Não torna seu nome em delator em vão, porque deve valer a pena a recompensa.

3. Guarda gravações, documentos e prints de pessoas que podem ser delatadas no futuro.

4. Delata pai e mãe, se necessário for.

5. Não delata muito antes de o comprador precisar da informação.

6. Não delata alguém que pode te delatar, salvo se conseguir destruir tua credibilidade antecipadamente.

7. Não rouba informação alheia nem reputações, salvo se necessário.

8. Não levanta falso testemunho, salvo se puder criar falsos indícios ou provas, e então o faça parecer crível.

9. Não deseja o julgador do próximo só porque ele é mais garantista.

10. Não cobiça as delações alheias (somente porque os outros jogaram melhor).

O desenho da delação/colaboração premiada é objeto de muitas querelas e dilemas. Alguns podem ficar magoados com o modo em que sugeri os mandamentos, mas pode ser que você esteja enfrentando alguém que pensa justamente assim. Não admiro nem faço loas a quem joga sujo. Apenas descrevo um comportamento possível de um jogo de compra e venda de informações que se instalou no Brasil. Se você não concordar, melhor. Talvez esteja errado. Que assim seja…

Comentários no Facebook

4 Respostas

  1. Marivaldo disse:

    Este sujeito tem quatro letras no nome que começa com M e termina com O.M..o.

  2. moro fura teto disse:

    O maior escândalo de corrupção do Brasil – o Nº 1, Banestado, com 142 Bilhões, PSDB – é o que é porque teve o dedo do moro fura teto, O GRANDE CARRASCO CONTEMPORÂNEO DO BRASIL!!!!!!

  3. augusto2 disse:

    Dentro de cinco anos eu quero que todos os procuradores e assessores curitibanos e, claro, o seu capo abram seu sigilos bancario e fiscal.
    E de seus parentes em 1º grau. Desafio.
    Nao falamos do telefônico, nem dos e mails que eles nunquinha jamais vão deixar.
    Aposto o sol e a lua que tem suculentas coisinhas ali.

  4. L'Amie disse:

    Mandamentos já eram conhecidos anteriormente sob o título: Código de Hamurabi e atualizado pelos Egípcios, onde Moisés se baseou e atualizou. Bem, são mais de 4000 anos e o homem continua o mesmo. Nem judeus, nem católicos, nem protestantes são praticantes perfeitos, ou quase, desta norma ; assim, o que se pode esperar daqueles que têm outras orientações religiosas, ou nada seguem, ou são ateus? Foi um bom recurso para orientar nossa conduta, mas os que praticam estes atos ilícitos são orientados por apenas uma norma de vida: O Egoísmo. Vivem apenas para si próprios e nada mais vêem, ou se preocupam. Lamentável !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *