Professores com medo de alunos delatores. Aula de fascismo

dedo

Paula Ferreira e Renato Grandelle, hoje, em O Globo, mostram o legado juvenil da era do grampo e delação conduzidos à condição de “heroísmo” pelo Ministério Público, pela Justiça e pela mídia.

Contam a história de professores amedrontados, temendo estarem sendo gravados por alunos, em busca de “dedurá-los” como esquerdistas ou gays.

Até a cor da camiseta serve como pretexto:

Quando escolhe a roupa que usará durante um dia de aula, Miguel (nome fictício), professor de Português e Literatura de duas escolas privadas, deixa as camisas vermelhas de lado. Nas duas vezes em que as vestiu no trabalho, foi chamado pelos alunos de petista. Era brincadeira, mas ele não baixa a guarda. Os estudantes já se queixaram dos debates conduzidos por Miguel em sala sobre temas como racismo e homofobia. Outros docentes já passaram por situações mais dramáticas — tiveram trechos de aulas gravados e divulgados nas redes sociais, onde foram acusados de promover doutrinação ideológica.

A reportagem (que não achei na versão online) é uma sequência de monstruosidades. Entre elas as contidas no  site do movimento “Escola Sem Partido”: “uma aba chamada “Flagrando o doutrinador” estabelece comportamentos dos professores que os alunos podem identificar como doutrinação” e outra,  “Planeje sua denúncia”, ensina os alunos a registrarem falas dos professores que sejam “representativas da militância política e ideológica”.

Auxiliar de coordenação de um colégio da Zona Sul do Rio, uma educadora que também não quis se identificar recebe e-mails com denúncias sobre o conteúdo transmitido nas aulas. É, segundo ela, um fenômeno recente, mas que forçou mudanças na linha pedagógica da instituição.

— A escola está com menos liberdade de atuação. Até dois anos atrás, podíamos fazer uma videoconferência sobre qualquer tema que estivesse acontecendo no mundo. Hoje, temos que mostrar à direção, submeter à aprovação dos pais, analisar com que série vamos trabalhar — revela. — As famílias tinham mais confiança em nós.

São os filhos do Moro, os imbecis da “cognição sumária”, tão entupidos de convicções que não precisam aprender, debater, discutir ideias ou fatos.

Basta-lhes, como à Rainha de Copas de Lewis Carroll, apontar o dedo duro e gritar: cortem-lhe a cabeça.

Comentários no Facebook

37 Respostas

  1. Jose carlos lima disse:

    E não era mesmo pelos 20 centavos…

    Mutirão Jornadas de Junho/2013 ou: E o gigante (m)idiotizado acordou…

    https://josecarloslima.blogspot.com.br/2017/06/mutirao-jornadas-de-junho2013-ou-e-o.html

  2. baader disse:

    pois é, e as aulas de história sobre os movimentos fascistas Alemanha e Itália, será que podem ser colocados sem patrulhamento, será que prof.podem fazer comparação com o que vivemos ou isso já seria pauta para a escola sem partido (progressista) atacar o mestre? só tem uma saída: não se acovardarem e enfrentarem de cabeça erguida as investidas. mestres, não percam o estímulo e a vontade. NÃO SE ACOVARDEM!

    • ernesto disse:

      É inegável que existe doutrinação de (extrema) esquerda nas escolas. Começa nas faculdades de Humanas, que muita gente larga por isso. E muitos saem de lá julgando que a sua obrigação é converter (“conscientizar”) alunos ao invés de ensinar uma matéria. Isso vem de anos, só estava adormecido porque a imprensa, que deveria repercutir o problema, era parte dele. Você via o repórter petista entrevistar o sociólogo petista e só podia comentar seus absurdos com o seu amigo. A coisa mudou com a Internet, onde há milhões de amigos. E o PT acirrou os ânimos (e deu um tiro no pé) na última eleição, quando tentou levar seu esquema de doutrinação para as redes e comprou briga com um exército de voluntários muito maior. Parte do impeachment se explica por isso. E as pressões de agora contra professores também. Exageros vão acontecer, mas o pessoal estava oprimido por anos de petulância esquerdista, é um pouco natural. No fundo repete-se aqui a novela, a nossa extrema-esquerda gosta de bater sem levar o troco. Matar gente em Cuba e na Venezuela é normal, mas torcer o braço de um blackbloc é escandaloso; o professor petista pode perseguir o aluno, mas este não pode filmá-lo. E como é impossível definir limites adequados por decreto nesses casos, talvez o modo mais eficiente seja mesmo o exagero. Com receio da reação, os doutrinadores podem começar a limitar seu fanatismo por si mesmos. E aí tudo se acerta ao natural.

      • Pedro Lemus disse:

        “É inegável que existe doutrinação de (extrema) esquerda nas escolas”. é negável sim. eu nego isso veementemente, essa afirmação é uma grande mentira, vinda de uma mente doente e autoritária. pronto sua premissa tá errada. não precisa nem perde tempo com resto do lixo que vc escreveu.

        • ernesto disse:

          Eu mesmo tive o problema com um filho, e em escola particular, imagino na pública.
          Mas o caso é comum. O “professor petista” é quase uma figura folclórica da nossa sociedade.
          Se você não sabe disso está vivendo em alguma ilha distante.

          • Leo F. disse:

            A escola pública de nível básico neste país, especialmente aquelas estaduais, sequer têm condições de realizar aulas com uma turma que não seja superlotada.

            Não possuem condições materiais (ou se têm, não chega aos mestres, sendo retido no saco sem fundo da corrupção de gestores das Secretarias de ensino) nem mesmo para programas e atividades extra-classe.

            Reforço escolar se tornou apenas um termo lançado ao vento, dado que não há na prática uma política constante de convocação de novos monitores, entre os estudantes, principalmente.

            E você vem aqui apontar o dedo para uma dita “doutrinação ideológica” das escolas públicas, que mal conseguem manter seus alunos fora das drogas e do crime.

            Não sei o que é pior, a cabeça de Guerra Fria, na qual essa turma hardcore da direita enfiou a cabeça, ou, o cinismo de se preocupar com algo que foge totalmente à triste realidade escolar nacional.

            Volte você ao Planeta Terra, pois sua passagem por Saturno o fez perder o bonde da história.

          • Rei disse:

            “Eu mesmo tive o problema com um filho, e em escola particular, imagino na pública.
            Mas o caso é comum. O “professor petista” é quase uma figura folclórica da nossa sociedade.
            Se você não sabe disso está vivendo em alguma ilha distante.”

            KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

            Ernesto, você acha que engana alguém????

            Se você tivesse filho, emprego, família… não ficaria comentando o dia inteiro no 247 e em suas revistas gays???

            Só se seu emprego for ficar fazendo panfletagem para Aécio Neves!!!

            Acorda tiozão carente!!!

          • Pedro Lemus disse:

            em todo meu ensino, nos dois cursos universitário em universidade pública à pós graduação. eu tive dois professores declaradamente partidários de esquerda (um do PC do B e outra do PT), nunca fizeram “doutrinação”, sempre foram muito sérios. enquanto isso, tive vários de direita que defendiam ideologia capitalista e da mídia; neo liberalismo: privatizações, retirada de direitos, ideologia contra os direitos humanos: discurso contra o povo indígena, por exemplo. eu vivo no brasil, e conheço bem o lixo que é classe média brasileira, da onde vêem os professores. tenho consciência disso desda década de 90.
            patrulhamento ideológico contra a esquerda é coisa de maluco fanático doente, que não aceita a diversidade e pluralidade de ideias, mesmo que vinda de uma minoria quase insignificante. só aceita a existência de uma forma de pensamento.

      • Rei disse:

        Ernesto segue seu curso:
        -15 mil comentários no 247. De 5 da manhã até a madrugada.
        -Revezando com comentários na revista GLS. Incluindo matéria sobre o “sereismo”.

        Desses 15 mil comentários, metade deve ter sido defendendo Aecio Neves, até quando as contas em paraísos fiscais já estavam aparecendo nos jornais.

        Sumiu de vergonha quando Aecio foi grampeado… agora quer voltar… é a carência de quem não tem vida… mendigar comentários aqui é o que resta patá ele. Da pena!

        • Leo F. disse:

          Se é fato o que você escreve, e ele não recebe um centavo de algum grupo político, esse cidadão é ideologicamente masoquista.

          Alguém que vive de provocar outros comentaristas, através de ataques ácidos em sites ou blogs de campo político flagrantemente oposto ao seu, deve gostar muito de sofrer.

          É como se eu entrasse dia sim, outro também, para fazer comentários ridículos na página do “Antagonista” ou daquele “Mídia sem Máscara” (nem sei se esse existe mais).
          Tenho mais o que fazer da minha vida.

          • Rei disse:

            Ele vivia aqui com esse mesmo papo furado de sempre… em um dos posts ele desafiou os leitores a responder seus questionamentos… eu aceitei o desafio… ao ser questionado ele se acovarda e foge… não tem bagagem política ou histórica… apenas repete frases feitas.

            Ele sumiu uma época… por coincidência encontrei o usuário dele no 247… ao clicar, apareceu o perfil do cidadão: mais de 10 mil comentários, meses seguidos, comentando o dia inteiro… além de comentar também em revistas de RPG e de público GLS.

            Quando eu expus ele aqui, mais uma vez saiu correndo… agora está tentando voltar…

            Geralmente essas pessoas agem em bando… ele e os outros… aparecem sempre que existe alguma movimentação dos líderes das massas de manobra. Se Dória é atacado… eles aparecem para defender… se Moro fala que precisa de publicidade para atacar Lula… eles aparecem atacando Lula… se Aécio é investigado… eles aparecem para defender… são teleguiados por grupos de Facebook e watsapp… todos com a mesmíssima opinião sobre tudo.

            Por que Fernando Brito permite esse tipo de gente aqui??? Isso ninguém nunca será capaz de responder!

        • Nina disse:

          Rei expôs a ficha completa do Ernesto também conhecido pelos seguintes nomes: Bronco Capiau e Alisson. Kkk!!!

  3. renato arthur disse:

    Se contarem para os idiotas as pregações do evangelho, sem mencionar que são palavras de Jesus Cristo, dirão que estão pregando a intolerância contra os ricos e disseminando a aversão pelo consumismo, pregando contra o capitalismo. Se mencionarem que se deve ajudar os mais pobres, dirão que estão fazendo propaganda da bolsa família. A ideologia da mídia capitalista faz sua lavagem cerebral e para isso que ela existe.

  4. André Monteiro disse:

    Eu dou aula e não tenho medo algum. Não sei como é nos outros estados mas aqui no Ceará nunca aconteceu nada disso. Ainda que acontecesse eu não recuaria. Para combater gente assim só encarando!

    • Rafael Wuthrich disse:

      Nordeste é diferente, até porque a maioria do povo aí é favorável a Lula e o relaciona ao PT.

      Triste que esteja acontecendo isso. Só contribui para uma sociedade mais ignorante e acrítica.

  5. Rei disse:

    URGENTE!!!!
    OS DADOS DA ECONOMIA BRASILEIRA NO IBGE SEGUEM MANIPULADOS, COM AJUDA DA IMPRENSA E ATÉ DA ESQUERDA QUE FINGE NÃO VER:

    http://www.brasil247.com/pt/247/economia/298984/Brasil-cresce-1-no-1%C2%BA-tri-e-sai-da-recess%C3%A3o-diz-IBGE.htm

    TRECHOS RETIRADOS DO G1:
    “O BC revisou o dado de janeiro de uma queda de 0,26% para uma alta de 0,62%. Isso reflete uma revisão intensa dos dados referentes a janeiro nos setores de serviço e comércio divulgados pelo IBGE se deu por causa de uma mudança metodológica que segue as normas internacionais.”
    “o IBGE informou que o varejo brasileiro registrou expansão de 5,5% em janeiro, na comparação com dezembro, em vez da retração de 0,7% que havia sido anteriormente informada. Nesta quinta-feira, o instituto revisou o número de janeiro para o setor de serviços, de uma queda de 2,2% para uma alta de 0,2%.”
    “O BC revisou o dado de janeiro de uma queda de 0,26% para uma alta de 0,62%.”

    OS DADOS DE CRESCIMENTO ECONÔMICO SÓ ESTÃO MELHORES DEVIDO À TAL MUDANÇA METODOLÓGICA DO IBGE!

  6. Carlos Lima disse:

    A ideia de não ter ideia, de não discuti ideias, levará este pais para lama da história, os smartphones unificou a “minha” ideia sobrepondo o coletivo, um punhado de “eus” substituiu o nós, é a falência até da ciência, sem correntes de pensamentos distintos corremos o risco de irmos todos para o mesmo precipício em busca do nada. Eis a burrice dos gentiles, do moros, dos lobãos, dos frotas, dos holydeis da vida, acreditam estes em educação com se o professor tivesse de ensinar ou discutir apenas seus futricos bestiais frutos de truques midiáticos. Sem base intelectual para o que pensam tentam desesperadamente formar um exercito de burros e acaguetes de professores num macartismo ilógico somente calçado no aparecer nas redes sociais como se isso fosse nível de cultura.

  7. Helbert Fagundes disse:

    Bom dia,

    esses ai(alunos) é fácil de resolver, começa a dar provas selecionadas uns 4 tipos e difíceis( já são mesmo analfabetos mesmo o erros deles já justifica) ai eles já eram. Professor tem que parar de ser bonzinho com aluno. Na minha sal quem manda sou eu e não aluno!

    • Marco disse:

      Isso é assédio moral, você pode responder um processo crime se isso se comprovar. Fique ciente disso! E sua declaração pode ser usada como prova inclusive de sua conduta.

      • Adma disse:

        O professor tem liberdade de cátedra. E é a autoridade máxima na sala de aula. Ele tem a prerrogativa de decidir como suas provas devem ser. Até o direito de o professor elaborar suas provas como quiser e colocar disciplina na sala você quer cassar? E aluno dedurar professor, ou então gravar sua aula e colocar no Face, não é constrangimento? Quanto a isso você silencia? Professores, não se acovardem! Fascistas não passarão.

        • Marco disse:

          Errado, você parece desconhecer o ECA. Nada do que vc falou procede. Justamente por ser autoridade é que ele comete o assédio moral. Essa estória de que o professor pode tudo e os alunos que se calem já foi há muitos anos. Não vivemos em um regime totalitário, as crianças têm todo direito de se expressarem e exigirem seus direitos. Tentar se usar de uma autoridade para prejudicar um aluno é uma contravenção gravíssima. Não se pode misturar as coisas. Isso é pura falta de profissionalismo.

  8. alex disse:

    Isso é uma reação natural aos abusos que alguns professores cometeram no passado, muitas vezes com os pais dos alunos atuais. Claro que é desproporcional, mas com o tempo e um trabalho competente é possível retornar a sanidade em um ponto de equilíbrio em alguns anos.
    O fato é que quando eu frequentei escolas, na ditadura e depois dela, vi os dois lados do radicalismo. Primeiro os conteúdos ridículos obrigatórios dos milicos, contando uma série de mentiras históricas como o heroismo de Santos Dumont e a figura santa de Tiradentes. Depois, já na nova república, o contrário, professores tão engajados que levavam bandeiras do PT para a sala de aula. E com certeza perseguiam alunos que não concordavam com sua posição ideológica. É natural que hoje em dia, nós que crescemos neste ambiente, especialmente os que vieram depois de nós que só pegaram a fase da nova república (e não as mentiras da ditadura) estejamos preocupados com esse tipo de professor militante.
    Mas mais preocupante é que fatos e até mesmo ciência indiscutível, como teoria da evolução e física, estejam sendo questionados!

    • Adma disse:

      “E com certeza perseguiam alunos que não concordavam com sua posição ideológica”. Você pode me trazer um caso concreto? Você foi perseguido por algum professor por não concordar com a posição ideológica dele? Por que “com certeza” fica no terreno das suposições.
      O certo é que muita gente vai apoiar essa insanidade de Escola sem Partido para se vingar dos professores que tiveram no passado.

    • Leo F. disse:

      Estudei em todo o meu Ensino Médio, em uma escola particular de classe média e, posso lhe assegurar, JAMAIS verifiquei qualquer tipo de doutrinação à esquerda ou à direita por parte dos mestres, no momento de passar o conteúdo da matéria que estivesse no campo das humanas.

      Óbvio que, ao conversamos mais, entendíamos qual o posicionamento político e bandeira ideológica dos mesmos (afinal, não existe “ausência” de ideologia, por mais forçada que seja a análise). Porém, partindo desse pressuposto, sempre mostravam prós e contras, para aquele momento histórico, dentro dos temas tratados em sala de aula.

      Em especial, ascensão na Europa do comunismo, anarquismo e até do fascismo.

      Fico imaginando como que o professor que tem toda a liberdade de Cátedra assegurada pelo Direito Internacional, faria uma aula a respeito do expansionismo Imperialista do Século XIX, com essa porcaria de “Não doutrinação”, onde todos os FATOS seriam tratados como suposto lixo ideológico.

  9. Guilherme disse:

    A juventude hitlerista não faria melhor.

  10. Marco disse:

    O fascismo se dá pela imposição de ideologias de ambos os lados. O Brasil hoje está em um espécie de “guerra fria civil”. O que a esquerda acha da direita a direita também acha da esquerda e vice-versa. E argumentos estapafúrdios e sólidos há para os dois lados. Numa guerra não há santos, caro Fernando. Você já deveria saber disso.

  11. Paulo Vasconcellos disse:

    vivemos a farsa do nazi-facismo,a sociedade do espetáculo se realiza como queria a Globo,e ,ela ,virou uma farsa junto.

    finito…não tem nada parecido com o futuro próximo,talvez até uma proto-revolucão promovida por quem chegou em algum lugar com os governos populares….

    e a internet terá que ser censurada rapidinho,ou ….

  12. Bernardo disse:

    Isso tudo é uma fachada para a imposição de crenças religiosas e ideológicas geradas pelo Grande Irmão do Norte; isso começou com força nos anos 1980 e agora ganhou alento com a forte ajuda da mídia nacional. O que não contavam é que suas idéias seriam abraçadas por grupos fascistas que se aproveitaram da propaganda gratuita da mídia e espalharam suas convicções ( essas estão muto fortes hoje em dia) Brasil afora.
    Isso deverá passar mas para tanto a sociedade tem que reagir.

  13. Rex disse:

    Socialismo ou barbárie.

  14. Genaro disse:

    Fascistas são conhecidos por ter miolo pequeno e não entender nuances e a realidade.
    Na Europa o fascismo só foi controlado na bala.

  15. Sgt. Pepper disse:

    Isso é Macarthismo, não há outro nome. Desde os tempos de Jango na presidência que o Brasil foi se tornando, com a grande influência dos USA, um país macarthista.

  16. Vital disse:

    A sociedade colhe o que planta.
    Quanto se tem grupos hegemônicos de mídia, instituições privadas de ensino, grupos religiosos extremistas
    que só pregam fascismo, o resultado não poderia ser diferente.

  17. Nina disse:

    Excelente comentário, Celso Nunes Moraes. Na boa, mas quem propaga mais esse tipo de ideia é a mídia. E convenhamos, hoje em dia muitos alunos não respeitam os professores. Os professores não estão alí para doutrinar sobre política ou religião, e sim para ajudar esses estudantes a serem pessoas melhores, adultos mais conscientes, que respeitem as idéias de outras pessoas (mesmo que não concordem) e que possam tomar suas próprias decisões sem interferências de outros.

  18. Nina disse:

    O MPF deveria enquadrar essa “Escola Sem Partido”. O que eles fazem é um absurdo. É o renascimento do Macartismo!

  19. Djijo disse:

    Acho desinformado é quem diz que comunismo ainda existe além de Cuba, até para resistir ao assédio dos EUA que querem a ilha de volta. Comunismo em escala existia no início da revolução russa com Lenin e depois na China com Mao Tse Tung, depois tudo virou capitalismo de estado. Então se falar que o comunismo tem que acabar é seguir implante mnemônico (isso vira um mantra nos convictos que tem opinião de que são informado) dos financistas que querem desestruturação dos estados para ficarem com os recursos para eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *