Prejuízo da Petrobras é barulho para enganar trouxa. Empresa opera com alto lucro.

tresmilhoes

Com seu ódio mortal à Petrobras, a imprensa brasileira faz um carnaval com o balanço negativo em R$ 3,75 bilhões da Petrobras do terceiro trimestre do ano. Um bilhão de dólares, em números redondos.

Foi um desastre?

Absolutamente não. Tanto que o mercado “after hours” de Wall Street apresenta, no instante em que escrevo, uma alta de 1,5% no valor das ADRs (equivalentes a ações) da empresa, nos EUA.

Mas eles deixam de lado o dado que mostra a saúde da empresa: nos nove primeiros meses do ano o lucro operacional da empresa – o que ela ganha menos o que gasta para funcionar, excluído os pagamentos de financiamentos, subiu 149%.

Os investidores americanos não são bobos como os nossos editores de economia.

A Petrobras saiu-se melhor do que muitas das suas concorrentes no trimestre.

A Shell, por exemplo, teve um prejuízo seis vezes maior – US$ 6,1 bilhões –  e seus investidores bateram palmas, porque ela fez isso assumindo os prejuízos por maus negócios, como o da fracassada exploração no Ártico.

Depois, o resultado veio absolutamente dentro do que estava, já, “precificado” pelo mercado, por conta da desvalorização cambial e da persistência dos preços deprimidos do petróleo: as previsões variavam de um resultado contábil negativo entre US$ 0,5 e US$ 1,8 bilhão. E considerando que a empresa teve despesas extraordinárias de US$ 0,8 bi com a quitação de seus débitos ficais (que foram parcelados, com o pagamento de uma “entrada”) o resultado foi bem próximo de zero.

E seria de lucro, e lucro alto se a empresa não tivesse as pesadas dívidas que tem,

Por que?

Porque as dívidas da Petrobras são em dólar e o dólar, entre o primeiro dia de julho e o último de setembro subiu mais de 26%.

E porque a Petrobras deve tanto? Por causa das roubalheiras de Costa & Companhia por lá? Nem de longe. Eles são ladrões, roubaram uma fortuna que nós, mortais, nem conseguimos imaginar mas, perto do que a Petrobras investia e investe, não tapa nem o buraco da cárie.

A Petrobras deve porque está desenvolvendo o maior projeto exploratório  de petróleo no mundo que, se é rentável ao extremo, também exige gastos imensos: cada uma das dezenas de sondas, por exemplo, tem um custo de arrendamento que, na cotação de hoje, é de US$ 518 mil por dia!

E tem de gastar, porque, do contrário, o Brasil terá de entregar seu maior tesouro mineral ao saque internacional.

Parece claro, claríssimo, que à Petrobras não falta senão um processo de estruturação de sua dívida, talvez por um tipo de securitização que encontre, em agentes financeiros internacionais voltados para o fomento econômico, a estabilidade pelo alongamento dos créditos e sua garantia em equivalente-petróleo, porque é um negócio sem risco de xabu a exploração de nosso pré-sal.

Mais cedo ou mais tarde, é o que ocorrerá, se houve lucidez e coragem. É muito melhor que ir vendendo, picados, ativos lucrativos da empresa e fazendo a política de “suspende pagamento” que arruina a indústria nacional voltada para a cadeira de petróleo, sobretudo a naval.

 

Comentários no Facebook

11 Respostas

  1. Mauricio Gomes disse:

    O mais revoltante disso é ver “brasileiros” defendendo a entrega de um patrimônio nacional para a banca internacional. Ou seja, são sabujos, entreguistas e apátridas.

  2. Robson disse:

    É normal do mercado anunciar resultados trimestrais. Prejuízo é prejuízo, e foi que isso aconteceu neste trimestre. Isso é fato, está no balanço… Assim como a baixa dos investimentos mal feitos em Premium I e II, bem como a baixa contábil da corrupção.

    Também é verdade que o resultado operacional da empresa é muito melhor que o do ano passado. Ano passado, os preços da gasolina foram represados artificialmente quando a cotação do petróleo subia, e esse ano, os preços da gasolina sobem, mesmo quando o preço do petróleo cai…

    Assim como eu, há milhares de trouxas, ops, brasileiros com recursos do FGTS em ações da empresa, e que viram seus recursos minguarem nos últimos anos. A Petrobras deve continuar sendo uma empresa nacional de economia mista, que serve aos interesses estratégicos do país, mas só conhecendo e enfrentando de frente os problemas que ela tem, a Petrobras vai sair do atoleiro em que está metida…

  3. C.Paoliello disse:

    Submissão à “austeridade” (=ajuste=arrocho) gera violência na Grécia:

    https://actualidad.rt.com/ultima_hora/191298-video-huelga-general-grecia-violenta

  4. Euler disse:

    Claro que neste pequeno grande prejuízo tem um dedo da operação Lesa-pátria como consequência. As coisas estão ligadas: a instabilidade econômica foi criada, em grande parte, pela instabilidade política gerada pelos ataques generalizados pela Frente Golpista que juntou a mídia, os partidos de direita, a Operação Lesa-pátria com seu complô do Paraná; Eduardo Cunha e seus comparsas na Câmara dos Deputados, entre outros.

    O próprio governo federal contribuiu para isso quando entrou no jogo da direita e nada fez, apenas apreciou, em nome de um republicanismo de araque. Como consequência deste conjunto de fatores, o dólar subiu, o PIB encolheu, setores estratégicos da economia brasileira – indústria da construção civil, naval, além da Petrobras – investiram menos; o desemprego aumentou e obviamente que todos os setores foram atingidos.

    Mas, a Petrobras é muito maior do que isso. Uma empresa que tem no bolso uma reserva estratégica de 30 trilhões de dólares e que em setembro deste ano atingiu 900 mil barris dia na produção de petróleo do pré-sal, não corre nenhum risco diante de um prejuízo ocasional de 1 bilhão de dólares. Só em 2013 – se não me falha a memória – a Petrobras sozinha pagou de impostos e encargos sociais não menos que R$ 75 bilhões ao Brasil. E é esta força que canalhas golpistas da mídia, dos partidos de direita, da operação lesa-pátria, entre outros, tentam destruir, para entregar tudo de bandeja aos gringos e seus associados locais.

  5. Joselito disse:

    “E tem de gastar, porque, do contrário, o Brasil terá de entregar seu maior tesouro mineral ao saque internacional.”

    Em tese, se existisse mecanismos mais eficientes, poderia postergar a exploração sem, entretanto, significar entrega à terceiro. Como no minério de ferro, sana exploratória, oferta alta, preço baixo, lucro maior é do comprador.

  6. Vincent Velazquez disse:

    Fernando e amigos, permitam-me dizer, em primeiro lugar, que votei na Dilma. A verdade porém é que a Petrobras sofre de uma espécie de esquizofrenia que vai, como última consequencia, levar à sua privatização. Enquanto a área de exploração e produção torce pelo crescimento econômico, a área de abastecimento e distribuição reza por uma recessão prolongada. Isso porque o maior prejuízo da empresa vem da necessidade de importação de derivados. Entre 2012 e 2014 a empresa gastou em torno de R$ 130 bilhões – aumentando em 25% sua dívida – para abastecer o mercado interno com derivados importados. , o dobro do lucro líquido do período, Comprou lá fora por preço maior do que vendeu internamente. E vendeu os derivados para os seus concorrentes internos, Shell e Ipiranga, que tiveram lucro em cima do prejuízo da Petrobras. Assim, se a crise mundial continuar, a Petrobras importará derivados por um preço menor, mas exportará petróleo bruto a preço também menor. Se o país crescer, a empresa não terá como suprir a demanda interna, e o seu prejuízo aumentará. A única saída seria concluir as refinarias projetadas, para processar aqui dentro o petróleo do pré-sal, que é extraído a custo cada vez mais baixo, tornando o país autossuficiente em derivados. Porém o novo plano de negócios da empresa foi no sentido contrário, cancelando as refinarias. No afã de focar exclusivamente no pré-sal, a Petrobras está primarizando as suas atividades, deixando de lado os produtos de maior valor agregado, como derivados e petroquímica, para dedicar-se à extração de óleo bruto para exportação. Mais ou menos como faz o agronegócio com a soja.
    O governo errou duas vezes, primeiro obrigando a empresa a subsidiar o combustível e depois a cancelar as refinarias. Isso levará a sucessivos prejuízos ou lucros insignificantes, que são grandes argumentos para sua privatização. O ROE, retorno sobre patrimônio líquido da empresa é ridículo. A empresa, mesmo sendo estatal, tem que ter lucros consistentes, que a protejam da sanha priivatista do primeiro governo liberal que venha a assumir. O PT e o governo nunca entenderam isso e subestimam o fato do preço das açãoes terem caído de R$ 45 para R$ 7. Não entendem que, pelo preço atual, será muito mais fácil para a direita privatizar a empresa – como fizeram com a Vale – se assumirem um próximo mandato.

    • Nelson disse:

      Percebe-se com o seu comentário que, os únicos motivos pelos quais se defende este governo são: Pessoas que recebem os famosos pixulécos ou aqueles cuja ideologia as deixou cega. Incompetência pura em todas as áreas nos levaram à situação de penúria que nos encontramos agora e que, certamente levará alguns anos para sairmos.

  7. Francisco de Assis disse:

    O grande ladrão Costa esta na Petrobras ha muitos anos, cargos de gerente desde que Fernando Henrique assumiu o poder, alias é bom que se diga que as contas na Suiça de Costa, Barusco, Duque e Cerveró foram abertas entre os anos de 1997 a 1999.

  8. ricardo almeida disse:

    esses facistas qu odeiam a petrobras sao os mesmo que botam a mae na quandra( na prostituiçao) pois nao se importam de serem filhos da puta( perdao da palavra).

  9. Wilson garcia disse:

    E uma pena que agora com este Golpe descarado e fatal que o Brasil esta sofrendo com certeza o Temer traidor junto com toda a ganga do congresso mais do que rápido entregara a Petrobras aos financiadores do golpe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *