A carne é fraca e a mídia é forte

serraglioestad

A cada dia fica mais evidente que a Operação Carne Fraca, independente de haver falcatruas no setor, foi um movimento político-policial.

Pessoas e fatos surgem ao sabor (podre) das conveniências.

Vaza-se por toda parte e, quando necessário, “vazam”, como na gíria, os personagens inconvenientes.

Os peritos da Polícia Federal dizem, no Estadão,  que não houve perícia nos fatos que motivaram um escândalo de repercussão mundial.

Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF) divulgou nota afirmando que as conclusões da Operação Carne Fraca referentes aos danos à saúde pública não têm embasamento científico, uma vez que os peritos federais foram acionados pela Polícia Federal (PF) apenas uma vez durante as investigações e que o laudo resultante desse trabalho não comprovou tais danos.

O que acontece? Nada.

E porque não acontece nada? Porque o Governo “vazou” o chefe da Polícia Federal, o Ministro da Justiça Osmar Serraglio, como você vê na edição de hoje do mesmo Estadão.

Estão todos acoelhados de medo diante do que já lhes fizeram chegar aos ouvidos sobre sua base de apoio, e não só no Paraná.

No destaque, outro escândalo: a Superintendência da PF no Paraná mandando recolher e fazer vídeos que possam  ser “relevantes” para a mídia. Mais importante, claro, do que serem relevantes para a investigação. A imagem, publicada pelo repórter Marcelo Auler em seu blog, a propósito da também escandalosa detenção do blogueiro Eduardo Guimarães.

A  mídia se refestela e ainda ganha algum: Lauro Jardim registra que, de sexta a ontem, as TVs abertas tiveram 48 inserções de JBS e BRFoods. E na mídia impressa não é diferente, todo dia anúncios de página inteira.

Da cúpula do Judiciário, que se desmoralizou ao longo dos três anos em que encampou, na cola da mídia, a atuação da “República de Curitiba”, pouco se pode esperar.

O Gilmar Mendes que hoje vocifera contra os vazamentos é o mesmo que utilizou o “vazamento oficial” de Sérgio Moro da gravação  – que ele sabia ilegal – de diálogos entre Lula e Dilma Rousseff para impedir que o ex-presidente pudesse ser o último e salvador dique contra o golpismo.

Agora, que a água do policialismo se levanta contra seus prediletos, reclama. E seus pares não estão em melhor situação, porque entre latinismos e floreios jurídicos, deixaram um bandido livre a presidir a Câmara até que o golpe se consumasse.

A reconstrução da democracia em nosso país depende que as instituições republicanas sejam recolocadas num patamar de equilíbrio, porque do caos só vem o caos.

E, com ele, os demônios do autoritarismo.

Sem enfrentar quem os invoca, a mídia, não se vai esconjurá-los.

Comentários no Facebook

11 Respostas

  1. marcos disse:

    Serraglio é um excremento golpista da facção Cunha que não podia jamais ser Ministro, imagina então Ministro blindado…meu Deus, o circo de temer não tem fim !!!

  2. Márcio Martins disse:

    A carne pode ser fraca, mas o sistema é podre…não há Moro que dê jeito! Nem Dallagnóis com powerpoints fajutos, muito menos delegadinho de PF querendo aparecer na mídia para a(o) namorada(o)!

  3. renato arthur disse:

    O Brasil não tem Tsunami, nem terremoto, nem atentado terrorista, nem vulcões, nem vazamento de usina atômica.
    Mas tem uma classe política , judiciário, uma Mídia, associada a uma classe dominante ( dinheiro) escravagista e ignorante, que é muito mais prejudicial ao país do que todos os cataclismos. Não é possível uma nação de natureza abençoada, com todos os recursos naturais com mais de 200 milhões de pessoas, que tenha mais de 500 anos de existência, não consiga se desenvolver. O Brasil caiu 18 posições no IDH e ocupa posição 75, atras do Sri Lanka. Isto só é possível por classe dirigente e um judiciário apodrecidos. E ainda querem precarizar mais o trabalhador. É o fim da picada.

  4. julio cesar novaes de paula santos disse:

    Brito, é um escândalo o que esta acontecendo. A Policia Federal depois de se utilizar de mais de 1000 agentes para fazer uma mega operação e depois de destruírem nosso mercado exportador de carnes, e consequentemente a economia de pequenos, médios e até de grandes produtores rurais, além do desemprego que com certeza virá, descaradamente, em nota oficial, vem dizer que o caso se restringe a investigação sobre “alguns agentes públicos em casos pontuais”. Ora faça-me o favor!!! Brito, eu, como cidadão brasileiro cônscio de meus deveres e dos meus direitos, exijo a exoneração dos idiotas que praticaram esse crime!

  5. betinho disse:

    A “república de curitiba” está fora de controle!

  6. Guilherme disse:

    As instituições estão “funcionando”.

    Depois, caro general Villas Boas, só não me venha botar o exército para atrapalhar caso a população pegue em armas e ponha essas “nobres instituições” que vigoram hoje em risco.

  7. Bel disse:

    Extra, Extra!!! Fantasmas em frente ao Palácio do Jaburu: Será que só a Revista Forum vai divulgar? em-protesto-contra-temer-grupo-se-fantasia-de-fantasma-em-frente-ao-palacio-do-jaburu/

    • Tomás disse:

      Esta história de fantasmas no Alvorada, é muito fácil de ser compreendida. Temer não se sentia bem com o altíssimo nível artístico e patrimonial, profundamente brasileiro, que preenche todo aquele palácio com o melhor de nossa arte e cultura. Preferiria mil vezes a mediocridade do Jaburu. Onde Lula e Dilma se sentiam muito bem, mesmo porque são brasileiríssimos e sentem positivamente a arte, ele “sentia uma coisa estranha”. A esposa, que deve ser determinante nestes caprichos de morar, certamente também deve ter se sentido muito mal no Alvorada. Isso, e um subconsciente mais carregado que um céu de furação, devem ter decidido a mudança, na verdade uma expulsão pelos miasmas positivos dos guardiães da alma brasileira.

  8. DeBlu disse:

    Mas que mundo cão é esse!! Dinheiro para pagar a mídia tem né? agora para pagar os impostos da folha de pagamento ou remunerar melhor os colaboradores é outra história. Todos dessa PF de bosta tinham que ser exonerados de seus cargos porque não possuem a mínima competência (inteligência e moral).

  9. Tomás disse:

    Quando alertaram mil vezes aos empresários de boa vontade que apoiavam o golpe, de que estavam sendo enganados por pura propaganda dirigida ao aderirem tão facilmente à derrocada da democracia, e que a consequência fatal e imediata daquele golpe seria ações gigantescas de destruição ou açambarcamento deles próprios e de todo o setor produtivo nacional mais estratégico, eles deram risadas. Preferiram ouvir os golpistas que falavam que tais conjecturas eram pura teoria da conspiração. Mas estava claro que a primeira vítima seria o próprio setor produtivo nacional, a chamada burguesia nacional que ainda não tinha de todo se estabelecido com uma sólida consciência de país, ficando ao sabor das pregações neoliberais internacionalistas. Inclusive, a corrupção era vista por estes setores como um dado permanente da economia capitalista internacional, e todos eles se sentiam seguros, embora cevando políticos corruptos. Agora se sabe que mesmo setores onde a corrupção política não estava presente estariam no alvo da destruição pós-democrática. Por enquanto, temos destruídos ou profundamente prejudicados três grandes setores de nossa outrora florescente economia, e as ramificações de desastrosos prejuízos se estendem a toda a vida pulsante do país. E como vimos, não importa que tais setores sejam ou não sejam sérios e infensos à corrupção. Tomado o poder e podendo fazer qualquer coisa com o respaldo integral do judiciário e da mídia, a ordem parece ser exterminar completamente os concorrentes das economias centrais e remetê-los a uma condição de nova idade média.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *