Os 22% de Haddad na Vox: se não são, logo serão

A Vox Populi apresenta, na CartaCapital, pesquisa contratada pela CUT  dando ao candidato do PT o nome que agora tem Fernando Candidato do Lula Haddad,

Quando claramente apresentado aos eleitores como o candidato do ex-presidente, o petista Fernando Haddad alcança 22% de intenção de votos e assume a liderança na disputa”

A forma de perguntar, antes de ser uma indução, foi uma antecipação do que está acontecendo agora e ficará mais forte até domingo, depois de mais dois dias de programa de televisão e inserções informando da indicação do ex-presidente.

Quanto aos demais candidatos, pouca alteração em relação às demais pesquisas: a leve subida de Jair Bolsonaro, em alta equivalente à do Datafolha (embora com índices 6% menores); Ciro Gomes, estável; Marina Silva despencando e – nisso diferença notável  – Geraldo Alckmin se desmilinguindo.

Nenhuma movimentação incongruente com as demais pesquisas – esqueçam as feitas por telefone, pela óbvia distorção que trazem – mas duas tendências ampliadas, como se registrou.

Uma de baixa, de Geraldo Alckmin, que parece evidente a todos, inclusive aos seus esquemas de apoio político, que debandam em alta velocidade.

Outra, de alta, de Haddad, que –  em número um pouco menores, pela não-associação explícita a Lula na pergunta –  vai ser confirmada amanhã à noite pelo Datafolha.

O crescimento, como em outras pesquisas, é forte no eleitorado  lulista, de  baixa renda e escolaridade:

Na comparação com a pesquisa de julho, mês no qual o PT ainda nutria esperanças de garantir Lula na disputa, o ex-prefeito passou de 15% para 24% entre os eleitores com ensino fundamental e de 15% para 25% entre aqueles que ganham até dois salários mínimos.

A temperatura vai subir e as agressões vão baixar de nível.

PS. Aos que duvidam de pesquisas contratadas por uma central sindical, uma pergunta: por que confiam nas dos bancos?

 


Der WhatsApp Chat ist offline

Comentários no Facebook