O PSB “declarou” o avião. Como o quê? Cartas para a redação de O Globo

quemondecomo

Toda a imprensa sabia que ontem era o último dia para a segunda prestação de contas da campanha: a presidencial, inclusive.

Todas as matérias apontavam a existência de laranjas em meio à operação de compra. E mencionavam um ponto chave para saber-se a verdade: como o PSB apresentaria à Justiça a situação do avião que provocou a queda de Eduardo Campos e a ascensão de Marina Silva.

Nenhum jornal, porém, à exceção de O Globo, publica uma linha sobre as contas apresentadas ontem.

E, mesmo esse, o faz com uma indigência que soma o despreparo do repórter à falta de apetite jornalistico de seu editor.

“O partido incluiu na prestação (de contas) o avião que conduzia Campos a Guarujá, quando ocorreu a tragédia.”

Sim, muito bem. Incluiu. Como o que? Empréstimo? Doação? Cessão? Presentinho?

No segundo parágrafo, depois do “incluiu” a repórter escreveu que ¨nesta parcial, será declarado apenas o avião, mas a quantidade de voos e os custos serão lançados apenas na prestação final”.

O texto não consegue explicar se trata do passado – “incluiu” – ou do futuro com o “será declarado”.

E mais não disse nem foi perguntado.

Então, ficamos assim. O avião foi declarado, não importa como o que. Não importa quem deu,cedeu ou vendeu, não importa coisa alguma.

Afinal, o avião serviu a Marina,  grande esperança da mídia, então está tudo bem.

Viva o jornalismo brasileiro!

Comentários no Facebook