O antagonista e a anta coadjuvante

jaws

Depois que vi o filme Tubarão, do Spielberg, ainda no Cine Brasil, que hoje é uma loja de eletroeletrônicos, passei um bom tempo sem entrar no mar de Imbé.

Esse tipo de filme, que era uma novidade na época, mexia com a nossa imaginação.

Acho que o primeiro longa-metragem do gênero filme-catástrofe foi Aeroporto, de 1970, que tinha no elenco Burt Lancaster e Jacqueline Bisset.

Cinema catástrofe é um gênero cinematográfico que mistura três elementos principais: enredo apocalíptico, apelo melodramático e cenas de ação, de preferência com efeitos especiais que enfatizem o clima de tensão.

A gente torcia pelos protagonistas, como se fossem nossos verdadeiros heróis. A gente odiava os antagonistas, fossem eles: tubarões, incêndios, serpentes gigantes, monstros, piranhas ou um vulcão.

O mais odioso, no entanto, era atitude daqueles personagens secundários que atrapalhavam a ação de combate ao verdadeiro problema.

Esses coadjuvantes, que a partir de agora vamos tratar por “coxinhas”, eram sempre pessoas gananciosas que temiam perder poder, dinheiro e prestígio. Mesmo que a causa fosse algo que pudesse matar a todos. O coxinha sempre reluta em ver o real perigo, pois só consegue ver diante dos olhos os seus próprios interesses.

Com alguma habilidade, eles confundiam a opinião pública, destorciam os fatos e acabavam conseguindo criar uma onda de ódio contra, justamente, quem poderia salvar a todos.

A maior parte do filme ficava nessa tensão.

Em, “O Tubarão”, o policial que tenta alertar a todos do perigo, diz o quanto o inimigo é ardiloso e como se deve fazer para destruí-lo. Ele é chamado de neurótico e chega a ser destituído do cargo.

Grande parte da população fica contra o personagem principal, dizem impropérios, xingam e sentem muita raiva. Até que o tubarão começa a fazer suas vítimas.

Em alguns filmes-catástrofe o protagonista consegue salvar muita gente.

Normalmente, os coxinhas aparecem no final do filme sendo engolidos pelo vulcão ou tubarão ou serpente gigante.
Eles têm olhos arregalados e cara de pavor.

Mas é tarde. Tarde para amar.

Posts relacionados...

Comentários no Facebook

25 Respostas

  1. Carlos Roberto disse:

    Hoje este sítio ultrapassou todas as espectativas, textos cabais, vide Mino Carta e agora o Jari, analogias perfeitas um real retrato do Brasil com seus nefastos coxinhas e seus monstruosos coleguinhas da casa grande. Excelente.

  2. serralheiro velho disse:

    Excelente analogia. desta vez o tubarão já devorou um bocado do nosso futuro.

  3. marco guerra disse:

    simples mas do caralho .parabens blogueiro.

  4. titus disse:

    Hey Fernanado agora os trolls somem!

  5. Benjamin Eurico Malucelli disse:

    Muito bom, Brito. Como bem alguém já disse, bela analogia.

  6. Eliane ex-SP agora Rs disse:

    Analogia perfeita! Mais claro, impossível. Tanto é, que doeu no fígado de uns quantos que comentaram via face…

  7. Mauricio Gomes disse:

    Acho que ele está mais para Freddy Krueger, de “A hora do pesadelo” (para o Brasil, é claro).

  8. renato arthur disse:

    Você ou algum dos chamados “blog sujos” receberam algo do Alckmin? Por que a midia recebeu muito.
    No ano de 2015, a empresa O Estado de São Paulo, que publica o jornal O Estado de S. Paulo, recebeu R$ 1.173.910,43 dos cofres públicos paulistas, mais especificamente vindos da Secretaria da Educação, por meio da Fundação para o Desenvolvimento para a Educação (FDE).
    Pelos mesmos caminhos, a empresa Folha da Manhã, dona do jornal Folha de S.Paulo, recebeu R$ 1.163.610,83. A Abril Comunicações, da revista Veja, foi aquinhoada com R$ 557.600,40. Para a Editora Globo, publicadora da revista Época, foram R$ 480.548,30. Os dados são oficiais e podem ser conferidos na imagem ao fim deste post.
    Em sua página dentro do portal do governo estadual paulista, a FDE é apresentada como “responsável por viabilizar a execução das políticas educacionais definidas pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, implantando e gerindo programas, projetos e ações destinadas a garantir o bom funcionamento, o crescimento e o aprimoramento da rede pública estadual de ensino”. E o MP, Janot e Moro não tem nada com isso.
    Do blog da Helena

  9. Rosa disse:

    Valeu Brito pela analogia perfeita.
    Especialmente pela associação de tubarão, que na linguagem popular significa ricaços.
    Os coxinhas não perdem por esperar. E o pior que nem poderão fugir para Miami, pois
    la encontraram o governo “petista” do Sanders.
    Hehehe….

  10. renato andretti disse:

    Eu era da época que comprávamos coxinha nos cestos dos vendedores, logo após uma sessão de cinema.
    Hoje esta versão mais globalizada dela, a transforma numa coisa mais robusta, inchada, quase disforme.
    Mas não tem coisa melhor para figurar o ” COXINHA”.
    Parabens…não vou conseguir olhar para o mar sem ver as pontas dos coxinhas..

  11. Carlos Salgado disse:

    Brilhante, Brito!
    Não poderia ser mais didática sua análise!
    Que a vida imite a arte, e a grane maioria de comuns seja salva.

  12. Zapper disse:

    Algumas vezes fiz comentários no blog do Reinaldo Azevedo e que nunca foram publicados mesmo sendo educados, embora em desacordo com a opinião dele, até que desisti e não o leio mais. Você, Fernando, está de parabéns por publicar aqui comentários de alguns analfabetos políticos com os quais é inútil argumentar, como, por exemplo, o Everaldo Lopes. Parabéns, mais uma vez, Fernando e haja Hepatovis!

  13. Frank disse:

    Ao Everaldo ..90% da populacao brasileira nao e ilustrada, culta ou politicamente instruida …e o 10% nao trabalha na Faculdade de Odontologia de LINS -FOL-UNIMEP .. interprete !!

  14. Nelson disse:

    É preciso que acionemos com urgência o Juizado da Infância e da Juventude. Temos que salvar a criança que o Sr Everalo Lopes está segurando. Afinal, a ignorância dele, para dizer o menos, é pegajosa e pode acabar sendo transmitida para a criança.

  15. Carlos Hums disse:

    Belíssimo texto.

  16. beto disse:

    Analogia perfeita. Nos comentários percebi uma coisa: os coxinhas emudecem qdo lhes perguntam qual candidato votarão em 2018. Posso ajudar: vai ser o cerra, o “perdedor”.

  17. Lenita disse:

    Parabens FB. Pelo que vemos aqui e ali os coxinhas ja estao na primeira fase de auto-destruicao. O tempo que levara para que sejam destruidos pelo monstro que criam diuturnamente so dependera da reacao firme, consistente e democratica das forcas progressistas. PT e Frente Brasil Popular no dia 17 darao a primeira resposta. Rosas para Lula ! E, muitos tubaroes para os coxinhas! #SomosTodosLula ????

  18. JURIDICO disse:

    todo super heroi trabalha fora da lei

    • Lenita disse:

      Concordo, MORO e exemplo paradigmatico do heroi sem causa, ou, do heroi do “nao vem ao caso”. O tubarao ja esta pedindo pra ele tirar a toga.

  19. Lenita disse:

    Correcao: quis dizer :
    #SomosTodosLula !!!!
    Havia escrito “coracoes” que foram transformados em ponto de interrogacao…

    #LULAEUCONFIO
    #SOMOSTODOSLULA

  20. revenger disse:

    Pode incluir aí o também famoso à época, Terremoto!

  21. Bernardo disse:

    Os cães ladram ( têm ladrado menos) e a caravana passa. A máscara do combate à corrupção está caindo uma vez que o foco nunca foi esse mas tentar desestabilizar o governo atual e uma nova candidatura de Lula em 2018; estão sem argumentos e ficarão ainda um bom tempo criando factóides para manter acesa a chama do golpe. Não contavam que iria demorar tanto mas se esqueceram de que o tempo hoje é outro e não há lugar para presidente que se suicida, outro que renuncia e outro que é deposto; se querem ganhar que seja no voto mas tratem de arrumar alguém que traga mensagens verdadeiras e não somente essa história de combate à corrupção (sentam no rabo para falar do rabo dos outros). O interesse pela lava jato já está bem menor e declinando, talvez por que muitos agora perceberam o que estava escancarado: o objetivo é destruir um partido político para ver se um outro consegue ganhar eleição sem adversário. O povo não é bobo como eles pensam, mesmo porque nada entendem desta matéria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *