No “xerife” da Odebrecht estava na festa há 30 anos e vai moralizar o salão?

eticaodebrecht

O Relatório Reservado enche a bola do diretor de Compliance – algo como Controle, em português – da Odebrecht, Sérgio Foguel, dando a entender que será ele quem, na prática, deterá as rédeas de funcionamento da empreiteira de agora em diante:

Foguel está na Odebrecht há 25 anos, sempre lidando com a área de desenvolvimento humano e organizacional. Trata-se de um quadro altamente ideológico – um dos criadores do Instituto Millenium -, com excelente formação acadêmica. Foi resguardado em uma estufa na companhia e escolhido a dedo por Emilio Odebrecht para comandar a teia de controles que está sendo implantada na companhia.

Bem, Foguel era do quadro de mantenedores do Millenium , think tank da direita brasileira, embora este think deva ser relativizado dada a presença de Rodrigo Constantino, o amigo do Pateta, entre seus dirigentes. Foguel pertencia ao quado de mantenedores – não sei se do próprio bolso – ao lado de Armínio Fraga, João Roberto Marinho e Jorge Gerdau – do Instituto.

Os dados estão aqui, em trabalho de pesquisa do Dr. Lucas Patschiki, da UFG, como no estudo da Coppead/UFRJ sobre a empreiteira.

Foguel está, na verdade, há quase 30 anos na Odebrecht, em 1979 já era Diretor da Construtora Norberto Odebrecht e foi  vice-presidente e membro do Conselho da holding. Desde muito antes, portanto, de Marcelo Odebrecht  chegar à empresa, em 1992.

Ocorre-me, portanto, uma curiosidade.

Foguel, ocupando esta posição, por tanto tempo, não sabia de nada sobre os bilionários negócios de propina da empreiteira?

Se não sabia, pode ser o homem que vai colocar a empresa na linha, atento e vigilante, sem deixar escapar um deslize sequer?

Ou se, ao contrário, sabia e, ao menos, não pegou o boné, diante da bandalheira,  e continuou usufruindo de altíssimos postos na empresa, pode ser fiador de qualquer mudança ética de verdade?

Será que vai aparecer um coleguinha dotado ao menos da capacidade de perguntar a ele: Mas Dr. Foguel, ali, na direção da empresa, por quase 30 anos, o senhor não tinha percebido nada da propinagem?

Eu sei que, quase sempre, o moralismo é hipócrita, aqui e em toda parte. Mas não precisavam exagerar assim, não é?

Posts relacionados...

Comentários no Facebook

9 Respostas

  1. Jotage disse:

    Como mantenedor do Prostituto Millenium, ele achava que toda a dinheirama era uma ação entre amigos, e não falcatrua e corrupção. E o Moro continua correndo atrás do Lula.
    Logo vão dizer que a grana ia para o PSDB e PMDB, mas eles repassavam ao Lula.

  2. Rei disse:

    “Foi resguardado em uma estufa na companhia”… ACHO QUE É A MESMA “ESTUFA ANTI-CORRUPÇÃO” QUE OS POLÍTICOS DO PSDB USAM!!!

    A estufa anti-corrupção do PSDB tem duas camadas de proteção, a midiática e a judiciária… a midiática conta com a Globo, Abril e outras menos eficientes, já a camada judiciária conta com Gilmares da vida… é uma beleza!!!

    A mesma imprensa que tenta empurrar essa pasmaceira de que o cara estava há 30 anos na estufa da empresa e não sabia de nada… tenta enfiar goela abaixo que Lula devia saber de tudo e ser o chefe, mesmo sem provas… mas no caso da corrupção da Petrobrás no governo FHC existia a tal estufa anti-corrupção!!! No metrô de São Paulo também tem outra estufa!!!

    A estufa é tão boa que o PMDB já adquiriu uma!

  3. Márcio Martins disse:

    Sabia ou não sabia? Esta é uma boa pergunta.

  4. renato arthur disse:

    O jornalista Palmério Dória lançou um livro “Honoráveis Bandidos” (2009) onde narra a ascensão da família Sarney. Quem lê, passa descrer no Brasil, pois está tudo dominado pela total corrupção, que abarca todas as instituições e essas não vão permitir que esse povo tenha ascensão social, pois a educação e a cidadania é uma ameaça a oligarquia. O Político que for honesto vai se ver com o Moro. Por isso a indicação do comando da Odebrech é adequada p/ um pais como o Brasil, pois com mais 30 anos na política conhece o cego dormindo e o rengo sentado.

  5. Manu disse:

    Estranho é essa grana toda movimentada nem rf nem bc nem banco alguma emitiu um alerta

  6. Valdir-Ba disse:

    Na orelha do livro Desenvolvimento e Deterioração Organizacional, de Sergio Foguel, ed. Atlas, de 1980, lemos o seguinte:´Sergio Foguel é fellow do Massachussetts of Instituto of Tecnology, master of Sciense em administração pela University of Califórnia at Los Angeles (UCLA), engenheiro civil pela UFRS , tendo feito cursos especiais na Harvard University e no NTL-Institute for applied Behavioral Science, professor da Fraduate School of Management do Boston College.Professor de pós graduação da UFBA e da Escola de Administração de Empresas da Bahia. Currículum muito rico, conhecimento é o que não falta.

  7. Paulo ETV disse:

    dominio do fato ,que no caso ,não vem ao caso,é aquela ferramenta que bêbado usa sempre que alguem o chama de bebum?

  8. Patrice L disse:

    Seria equivalente ao Pedro Parente, depois de liquidar a fatura vendendo tudo tudo da Petrobrás a preço de banana, retornar à alta administração da RBS, da qual segue sócio, para zelar pela boa moral da companhia no pós-Zelotes. Sabe, ele passou tanto tempo lá e não sabia do malfeito fiscal…

  9. Tomás disse:

    Péssimo caminho de tentativa de recuperação da Odebrecht, pelo lado sombrio da capitulação, exaltando a pureza ideológica de um personagem em linha com os reacionários de direita que, por sua vez, estão a destruir o país com seu nojento golpe de estado. Não há nada de ética nesse negócio. O que há é que a Odebrecht parece disposta a se mudar para Miami e pagar altos impostos para o tesouro americano, dando as costas para o Brasil. Como sempre, quem vai perder é o povo brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *