A “moda” Renan pegou. Alckmin recusa liminar que cancela aumento das passagens

moitaalc

A Folha publica que o Governador Geraldo Alckmin escapou do recebimento da notificação  da liminar que suspendia o aumento das tarifas de integração dos transportes em São Paulo, levada por um oficial de Justiça ao Palácio dos Bandeirantes na sexta-feira, às 17h20.

Tudo bem que o governador já tivesse saído, apesar de sua agenda prever um compromisso que se iniciava às 16 horas, lá mesmo, e o Palácio dos Bandeirantes seja sua residência oficial.

Um assessor recebeu, embora a Procuradoria do Estado tivesse mandado que não o fizesse. O que já é inexplicável por a própria procuradoria, como “advogada” do Governador tivesse personalidade jurídica para dá-lo como citado, assim como o simples fato do advogado de uma parte ver um processo onde há uma citação a seu cliente , constituído nos autos, implica na contagem de prazo de citação.

É igualzinho ao caso de Renan Calheiros, que mandou dizer que não estava até ter tempo de preparar uma contestação.

E há poucas dúvidas de que, em relação a Alckmin, o Judiciário paulista vá agir de forma diferente do que fez o Supremo Tribunal Federal em relação ao presidente do Senado.

Afinal de contas, são apenas 162 centavos…

Comentários no Facebook