Mistério do cofre é mistério porque a Lava Jato não lê a Época e nem a Época lê a Época

adagaepoca

Manchete da Época: Exclusivo: PF encontra cofre da família de Lula.

Uau!

E lá, entre outros objetos de arte, destaca-se a foto de uma adaga de ouro, marfim, esmeraldas e brilhantes!

Que furo de reportagem!

É?

Não é.

No dia 18 de dezembro de 2010, o próprio Lula autorizou que fossem mostrada a adaga, presente do Rei Mohammed (VI e não IV, como diz a revista) à repórter  Mariana Sanches, da própria Época, como um dos objetos que integravam o acervo presidencial e que seria levado na saída do presidente!

A foto da esquerda é dos meganhas da Lava Jato. A da direita, da Época, de 2010. Quem quiser ver o original é só olhar a foto 8 do slideshow publicado pela revista, em dezembro daquele ano. E salvei aqui para o caso de um “podemos tirar, se achar melhor”,

E a adaga estava num cofre, que absurdo!

Onde poderia estar guardada, na gaveta de meias e cuecas do “puxado” em Atibaia?

Que a turma da Lava Jato não tenha acessado a internet para ver, está bem, a gente entende que não se interessam pelo que a Época publica, pois publica o que eles mandam publicar.

Mas que a Época não leia a Época e veja que o “furo” é uma furada, que eles publicaram com todos os ares de normalidade em 2010, ah, francamente.

Lembro do meu tempo de foca, quando alguém perguntava sobre algo que tinha saído no jornal, o coro irônico: “leia o jornal em que trabalha…”. Tá bom, eu sei que da revista não se aproveita nada, mas é osso do ofício lê-la, para os que trabalham lá.

O que era “normal” em 2010 virou crime em  2016? Na mesma matéria se diz que FHC levou nove caminhões de documentos e objetos, inclusive uma coroa de jade, e tudo era bacana e legal?

É preciso, no mínimo, ter um pouco de vergonha na cara com o que a própria revista publicou.

Se Lula tivesse “passado nos cobres” a adaga do Mohammed – apesar de tecnicamente ser sua – vá lá. Para vender, ele teria de dar prioridade – prioridade, não obrigatoriedade, fique claro – à União.

Mas ficou guardadinha, intacta, e certamente dava fazer um troco para comprar centenas de pedalinhos.

Para Lula, serve para quê? Será que ele vai cortar um churrasquinho com a adaga de Sua Majestade? E ainda dizer pra Mariza: “ô galega, manda passar isso no esmeril porque não tá cortando nada!”

O ridículo, embora apresentado com ares de “furo de reportagem”, não tem tamanho.

A campanha fascista não tem, porém, qualquer pudor.

Nem o do ridículo.

Comentários no Facebook