Juízes e advogados trabalhistas “detonam” a reforma de Temer

refbriz

Advogados e Juízes do Trabalho que participam do Fórum Nacional em Defesa dos Direitos dos Trabalhadores Ameaçados pela Terceirização divulgarma um manifesto extremamente esclarecedor sobre o conteúdo da minirreforma trabalhista anunciada por Michel Temer. É leitura obrigatória para quem quer poder formar opinião e argumentar num assunto onde, outra vez, a campanha da mídia será para  iludir, enganar e saquear os trabalhadores em seus direitos.

Quando o saco de maldades vira presente de Natal

reforma trabalhista inconstitucional proposta pelo governo Temer insere-se em um amplo pacote de maldades que atropela os direitos sociais, incluídos os do trabalho, evidenciando um modelo de Estado e de sociedade que já se comprovou nefasto em outros países, com políticas de austeridade propaladas como sendo a via única para recuperar a economia e equilibrar as contas públicas cujos resultados, porém, têm sido catastróficos em outros experimentos internacionais, não resultando em crescimento e em equilíbrio fiscal. Nesse pacote, além da já aprovada PEC 55 (que congela o gasto público por vinte anos mas, por outro lado, permite a transferência de valores e riqueza aos rentistas do Tesouro), estão a Reforma da Previdência, penalizando os mais necessitados, e a Reforma Trabalhista que se expressa em projetos de lei em andamento (PLC 30/2015 que amplia a terceirização para quaisquer atividades, PEC 300/2016, entre outros) e nas recentes medidas anunciadas como “presente de natal” que, fundadas na tese da prevalência do negociado sobre o legislado, rompem com o princípio da hierarquia dinâmica das fontes (que autoriza seja aplicada a norma mais benéfica ao trabalhador), aliás, uma das expressões do princípio da proteção, razão de ser do Direito do Tabalho.

      O sistema constitucional de 1988, ao prever a força normativa dos acordos e convenções coletivas, condicionou sua validade e eficácia à observância dos princípios da dignidade humana e do valor social do trabalho, deixando expresso no artigo 7º, caput, que às disposições inscritas nos incisos podem ser agregadas outras que “visem à melhoria das suas condições sociais”. Daí ser inconstitucional qualquer proposta que parta da possibilidade de redução ou supressão de direitos assegurados pela legislação trabalhista.

As medidas anunciadas como “presente de natal” são presente de grego para os trabalhadores e trabalhadoras do país, como diz nota conjunta da Central Única dos Trabalhadores, CUT, e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, a CTB, aqui integralmente endossada. Essas medidas, fundamentadas em premissa equivocada e não comprovada empiricamente de que é flexibilizando a tela social de proteção que serão ampliados postos de trabalho e atingidos melhores índices de produtividade e competitividade, são inaceitáveis para os que têm ciência de que tais elementos somente poderão ser alcançados com a dinamização da economia, jamais com supressão de direitos que asseguram patamar civilizatório mínimo.

Ao consagrar, na lei, a supremacia do acordado sobre o legislado, as medidas, acaso aprovadas, ampliarão a margem para o empregador contratar e gerir a força de trabalho como lhe aprouver, segundo suas conveniências e necessidades, acirrando as inseguranças no mundo do trabalho e aprofundando a precariedade. De resto, sociedades menos injustas e mais inclusivas supõem uma regulação social pública do trabalho a qual somente terá eficácia enquanto existir uma regulação pública do capital que lhe coloque freios e limites.  

No caso das medidas propostas, regressivas e intoleráveis por privilegiarem o polo mais poderoso da relação capital e trabalho, permitem, em síntese, que o acordado se sobreponha ao legislado. São onze os pontos que, segundo a proposta, poderão ser alterados nesse encontro “livre” das “vontades iguais”, tais como: jornada de trabalho, férias, repousos, horários de descanso para refeição, entre outros. Também consta dos direitos que podem ser “negociados” (para menos): as horas de deslocamento do trabalhador (horas in itinere), em desrespeito a entendimento consagrado pelo TST, os planos de cargos e salários, os bancos de horas. Mas talvez a grande novidade seja a previsão da organização por local de trabalho via comissão eleita que poderá ou não contar com a participação do sindicato. Uma vez adotada a supremacia do negociado, essa comissão poderá dispor sobre direitos empresa por empresa, o que, em cenário de crise econômica grave, brutal recessão, terceirização ampla  e fragmentação da organização sindical, além de não representar a abertura de novos postos de trabalho, ampliará o poder das empresas de negociar, por exemplo, jornadas intermitentes, com implicações diretas na remuneração e nas contribuições previdenciárias, podendo levar a uma situação de total supressão de direitos diante da insegurança do desemprego que ameaça a sobrevivência pessoal e familiar.

Estudos mostram que os acidentes e os adoecimentos se ampliam diante da sobrecarga de trabalho. A proposta, ao permitir que as regras da jornada sejam alteradas, respeitado o limite de 12 horas diárias e 220 horas mensais, além de consistir afronta direta à conquista das 8 horas diárias e 44 semanais incorporada pela Constituição de 1988, ampliará de forma alarmante os riscos a que ficam submetidos os trabalhadores, em um país cujos índices de acidentes, sobretudo nos terceirizados, já são altíssimos. A intensificação da jornada e o previsível aumento das incertezas quanto à manutenção do emprego repercutirão nas condições de vida e de subsistência das famílias, fazendo expandir os problemas de saúde como depressão, estresse, LER/DORT, entre outros. A catástrofe será ainda maior se for aprovada a Reforma da Previdência Social em andamento.

Não bastasse isso, a proposta contempla a possibilidade de ampliação do tempo em que poderá o  fazer uso do contrato de emprego temporário de que trata a lei 6.019/74.  Ao ampliar esse tempo para 120 dias, com possibilidade de renovação, ao invés de estimular a geração de empregos contribuirá para alimentar uma cadeia de precariedades e de estímulo à rotatividade da mão de obra em um cenário em que grande parte dos contratos por prazo indeterminado não chega a esse limite dilatado pela proposta.

Diante desse quadro, os signatários desta nota, integrantes do Fórum Nacional em Defesa dos Direitos dos Trabalhadores Ameaçados pela Terceirização,  repudiam com veemência tal proposta que, ao fim e ao cabo, busca eliminar quaisquer obstáculos legais ao “livre trânsito” de um “desejo insaciável” de acumulação de riqueza abstrata. Cientes de que são as conquistas incorporadas pela Constituição da República de 1988 que estão em xeque, solidarizam-se com a insatisfação de trabalhadores e de entidades expressa em notas que se ampliam e em manifestações públicas, repudiando toda e qualquer tentativa de regresso àqueles tempos em que não havia diques para conter a ação despótica do capitalismo constituído. Assim, colocam-se contrários tanto à PEC 300, por flagrante inconstitucionalidade, inclusive porque limita o direito de reparação aos dois últimos anos do contrato quanto à Reforma Trabalhista anunciada, objeto desta nota, por seu escancarado caráter retrógrado. São propostas que se colocam na contramão de história, na medida em que, enquanto na Europa discutem-se políticas de aumento do salário mínimo, no Brasil, apesar das imensas desigualdades sociais, alvitram-se medidas redutoras de direitos que mais atingem os que mais necessitam da proteção social, sacrificando o trabalho em detrimento do capital e sem qualquer aceno à redução dos juros, a um imposto de renda progressivo que não penalize os assalariados, à tributação da renda e das grandes fortunas.

Nós dizemos não a esse presente indigesto!

(a lista completa de assinaturas você pode conferir aqui)

Posts relacionados...

Comentários no Facebook

9 Respostas

  1. Tomás disse:

    Na verdade, de acordo com a inacreditável ousadia neoliberal e entreguista deste golpe, pode até não ser mais possível, mas não devemos ter qualquer dúvida de que estava na agenda golpista o desmantelamento e a dissolução completa da própria Justiça do Trabalho.

  2. Fernando disse:

    Uiiiuuii !!
    Nosso povo adora levar na .. !!!

  3. Messias Franca de Macedo disse:

    … Somente não ver quem quer ser cego:
    a postura “sem-noção” e a anti-democracia do infame libanês usurpador decorativo ‘disenterino’ ‘O Brevis’ é a senha, o chamamento para a iminente intervenção militar!
    Sim, “vão sonhando com eleições diretas, o eterno e honrado presidente Lula tri-reeleito, e em primeiríssimo turno”!

    ***

    A antidemocracia de Temer

    23 de Dezembro de 2016

    “Pessoas que acreditam nos valores de uma democracia sabem que os sinais de impopularidade sempre são um sintoma de que alguma coisa está errada e precisa ser corrigida”, diz o colunista do 247 Paulo Moreira Leite sobre a declaração de Michel Temer de que não considera importante ter o apoio da população; para ele, em vez de falsas espertezas, o que se recomenda, para início de conversa, é “humildade”; “Numa conjuntura na qual 63% da população quer sua renúncia para a realização de eleições diretas, é pura falta de respeito um presidente sugerir que a rejeição do povo chega a ser útil para tocar medidas que considera “fundamentais”, entre as quais a reforma da Previdência e a PEC dos gastos”, afirma

    (…)

    FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.brasil247.com/pt/blog/paulomoreiraleite/271976/A-antidemocracia-de-Temer.htm

    • Messias Franca de Macedo disse:

      … .Confirmado a tese…
      ***
      A intervenção militar no horizonte
      Análise política da situação nacional, internacional e os rumos do próximo período, feita por Rui Costa Pimenta no 8º Congresso do PCO – Por Rui Pimenta – Publicado em 18 de dez de 2016
      https://www.youtube.com/watch?v=fdjcH88_qGQ

  4. renato arthur disse:

    Como a emissora Globo entra dentro do complexo penitenciário de Curitiba sob autorização de Moro p/ fazer imagens de presos sob custódia do estado, sem a permissão dos mesmos, em flagrante violação de direito humanos e fica tudo por isso mesmo? Esse Brasil virou um lugar sem lei e voltou a escravidão.
    http://www.conversaafiada.com.br/brasil/quarto-poder-do-pha-invade-a-lava-jato

  5. Messias Franca de Macedo disse:

    … Os protofascigolpistas ‘mor(t)o’, Janot e os abilolados procuradores da a ‘PORCA-tarefa’ também na roda do “embromation”:
    das delações do Fim do Mundo da Odebrecht, não ‘vazam’ nem mesmo os peidos dos caranguejos!
    Em tempo:
    os caranguejos devem peidar fedorentos “que só”!
    Não os dignos e limpos caranguejos que habitam os manguezais;;;
    ‘Nois’ estamos nos referindo aos caranguejos [libanês] MT, ‘Mineirinho’ [“!o caranguejo mineiro mais carioca do Brasil”], Santo, Careca, Véia [da RBS], Boca Mole, Caju, Índio, Almofadinha, Moleza [DEMoTucano Jutahy Magalhães Junior], Todo Feio, ‘Porco Falante Babel’, Botafogo… Ah, sem esquecer ‘delle’, o GÂNGSTER eduardo CUnha, o ‘Caranguejo’ do Listão!

    Viva o ‘braZ$&l’!

  6. Messias Franca de Macedo disse:

    … Falando em partes íntimas, CUnha do libanês usurpador decorativo, ‘vazamentos” [seletivos]], obsessão pela jararaca roxa do eterno e honrado presidente Lula…

    ***

    Quem vai ganhar o maior peru do Natal do Tio Sam?

    Resultados parciais

    Moro (920)
    Janot (57)
    Traíra (88)
    Cerra, o de R$ 23 milhões na Suíça (53)
    Ataulpho Merval (2)
    Elio Gaspari (8)
    Mineirinho, o mais chato (47)
    o Santo do Alckmin (7)
    Gatinho angorá (35)
    Jungmann, que nem eleito foi (16)
    Dallagnol (28)
    Çupremo Minixtro (40)
    os açougueiros do neolibelismo (59)
    FHC que tira os sapatos até hoje (84)

    Total de votos contabilizados até este momento>

    TOTAL DE VOTOS: 1444

    FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.conversaafiada.com.br/

  7. Messias Franca de Macedo disse:

    Da Série ‘Todos Somos Cúmplices’!

    … E para quem pensa que a VAGABUNDAGEM da IMUNDA Casa Grande nativa DEMoTucana é pouca…
    Já se passaram quase três [longevos!] anos da Operação nazigolpista ‘Desconstrói o Brasil a Jato’, e o único DEMotucano “condenado” foi o defunto Sérgio (Gu)erra!
    Ah este juizeco DEMoTucano protofascista ‘mor(t)o’!
    Ah estes procuradores de mmmeeerrrrddda da ‘Porca-tarefa’!
    Ah estes(as) “supreminhos(as)” do STFede!
    (…)

    EM TEMPOS NAZIGOLPISTAS:
    ainda há algum resquício de democracia neste ‘Republiqueta do CUnha TEMERário/TEMERo$$$o do Mundo’ do mesmo modo que o caranguejo *’Gripado’ tem a voz mais maviosa do universo!
    *DEMoTucano Zé aGRIPE [Suína] Maia, o caranguejo ‘Fanho’ [do Listão dos megacorruptos da Odebrecht], segundo o ínclito e intimorato jornalista Paulo Henrique Amorim

    IMPORTANTE:
    ‘Zé aGRIPEno Você deu 01 Milhão para o Iberê Suína Maia’ é o mesmo nazigolpista quase-‘cumpadi’ do ‘Zé Tucano da ex-Justiça’

    RESCALDO FÚNEBRE:
    enquanto isto, o grande líder e pensador José Dirceu, o João Vaccari Neto, o Antonio Palocci, o Henrique Pizzolato… Continuam em prisão perpétua!

    Triste ‘braZ$&l’!

  8. C.Poivre disse:

    Como o Estado de Direito já caiu mesmo, os juízes e ministros brasileiros deveriam continuar decidindo de acordo com a CLT original.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *