Grandes petroleiras perdem 98% dos lucros em 2015. Petrobras dará resultado positivo

prod

O baixo preço do barril derrubou as receitas das maiores petroleiras do mundo: o lucro líquido de seis das gigantes caiu 98% em 2015, chegando quase a zero na comparação com o ano anterior. O cálculo, feito com base nos balanços divulgados pela Shell, Exxon Mobil, Chevron, Pemex, BP e Statoil, revela que o lucro somado das empresas ficou em US$ 1,6 bilhão ao longo do ano.

A Petrobras deverá apresentar um balanço positivo ou, na pior das hipóteses, aproximadamente neutro no ano, dependendo do critério contábil de considerar ou não a venda de parte das ações da Gaspetro, que foi suspensa em janeiro por um juiz da Bahia, mas que era válido no término do ano fiscal, em 31 de dezembro.

Um resultado zero é, na prática, a reversão do prejuízo contábil do ano passado.

Considerado o baque do ajuste contábil feito pela empresa no balanço do quarto trimestre do ano passado, pelas perdas admitidas na Lava Jato e pela reavaliação de ativos – algo leonino que o mercado “impôs” à empresa e que muito raramente é feito nesta escala em outras gigantes do petróleo – o que isso revela é que a empresa brasileira continua apresentando uma imensa saúde operacional, apresentando lucros de operação previstos entre US$ 80 e US$ 100 bilhões em 2016.

Enquanto isso, o número de sondas operando no shale – tanto em petróleo quanto em gás continua em queda livre.

Em uma semana, a quantidade delas em operação caiu de 619 para 578, 7,8% a menos do que em 29 de janeiro. Em um ano, 61% menos.

E a crise, claro, é  da Petrobras.

Posts relacionados...

Comentários no Facebook

8 Respostas

  1. Derli Dourado disse:

    Parabéns Fernando. Suas publicações são sempre muito esclarecedoras. Do jeito que o PSDB/DEM e os demais partidos apêndices deles colocam as coisas, parece que a PetroBrás e não BRAX está à beira da falência.

  2. Márcio Martins disse:

    Visão de mercado: agora que as ações da Petrobras estão desvalorizadas, é hora de passá-la nos cobres…assim eu também quero, e com financiamento do BNDES a perder de vista, dando como garantia títulos podres da época do Império, corrigidos pelo valor de face, sem deságio. Esse negócio de pré-sal é uma roubada mesmo, né?

  3. Aristides Bartolomeu Novaes disse:

    Bem que eu gostaria que o comentário feito por Simone Araújo Mendes, de Nova Friburgo, fosse encaminhado ao Ricardo Boechat, da BAND, com a finalidade de informar-lhe sobre esses dados que a imprensa “finge” desconhecer.
    É lamentável ao que estamos presenciando sobre o bombardeio sofrido pelo Lula.
    As acusações feitas na própria operação Lava Jato ao Aécio, ao FHC, ao Serra e outros, são desconhecidas do Ricardo Boechat, da BAND?
    É puro cinismo dessa imprensa que omite a verdade ao povo, e só publica o que lhe convém.

    • Victor disse:

      Aristides, você está certíssimo com as suas afirmações, mas nós não poderíamos querer que eles dissessem coisas diferentes do que dizem, já que repetem o que o patrão deles ordena.

  4. luka disse:

    No final das contas a Lava Jato foi a salvação da Petrobrás. Foi o escândalo que forçou a mudança de rota dos investimentos, a substituição do Presidente, que se dependesse de Dilma, jamais seria feita, e a contenção de gastos, tudo isso antes mesmo do petróleo despencar.
    Por todo o mal que o escândalo tenha causado ao país, pior seria se fosse a falência. E talvez seja um bom alibi para convencer os gringos a não processá-la. Tá ruim mas anda dá lucro.

  5. titus disse:

    A petrobras e do Brasil, e assim deve se manter!
    A merda com serra moro cunha fhc renan aos extrangeiros e a todos os vendedores de patria!

  6. Zé Ruela disse:

    É bem possível que em breve o petróleo perca o posto de nº 1 na matriz energética mundial, mas é muito difícil que seja substituído ao ponto de deixar de ser um produto estratégico como fonte de energia, além do que esta muito longe de ser substituído na indústria química.

  7. carlos disse:

    Livro que relata envolvimento de FHC com a CIAEspionagem e dólares

    Não há registros imediatos de que o ex-presidente tenha negado ou admitido as denúncias constantes nos livros de Sauders e Leoni. Em julho do ano passado, no entanto, o jornalista Bob Fernandes, apresentador da TV Gazeta, de São Paulo, publicou artigo no qual repassa o envolvimento do ex-presidente com os serviços de espionagem dos EUA, sem que tivesse precisado, posteriormente, negar uma só palavra do que disse. Segundo Fernandes, “o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso diz que ‘nunca soube de espionagem da CIA’ no Brasil. O governo atual cobra explicações dos Estados Unidos”.

    “Vamos aos fatos. Entre março de 1999 e abril de 2004, publiquei 15 longas e detalhadas reportagens na revista CartaCapital. Documentos, nomes, endereços, histórias provavam como os Estados Unidos espionavam o Brasil.Documentos bancários mostravam como, no governo FHC, a DEA, agência norte-americana de combate ao tráfico de drogas, pagava operações da Polícia Federal. Chegava inclusive a depositar na conta de delegados. Porque aquele era um tempo em que a PF não tinha orçamento para bancar todas operações e a DEA bancava as de maiores dimensão e urgência”, garante Fernandes.

    Ainda segundo o jornalista, o mínimo de “16 serviços secretos dos EUA operavam no Brasil. Às segundas-feiras, essas agências realizavam a ‘Reunião da Nação’, na embaixada, em Brasília”.

    Bob Fernandes, que foi redator-chefe de CartaCapital, trabalhou nas revistas IstoÉ (BSB e EUA) e Veja, foi repórter da Folha de S.Paulo e do Jornal do Brasil, afirma ainda que “tudo isso foi revelado com riqueza de detalhes: datas, nomes, endereços, documentos, fatos. Em abril de 2004, com a reportagem de capa, publicamos os nomes daqueles que, disfarçados de diplomatas, como é habitual, chefiavam CIA, DEA, NSA e demais agências no Brasil. Vicente Chellotti, diretor da PF, caiu depois da reportagem de capa Os Porões do Brasil, de 3 de março de 1999. Isso no governo de FHC, que agora, na sua página no Facebook, disse desconhecer ações da CIA no país”. esgota edição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *