Governo tenta impor urgência para votar reforma trabalhista

tvcamararef

Numa manobra que revoltou não só a oposição como parte da base aliada, o Governo pediu a decretação de regime de urgência na votação da reforma trabalhista, como forma de tentar aprová-la (só exige maioria simples) e compensar o desgaste da derrota anunciada da reforma previdenciária.

Se aprovado, serão dispensados os prazos de vista e também  para apresentação de emendas ao substitutivo apresentado pelo relator, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN).

São modificados ou suprimidos cerca de 100 pontos da Consolidação das Leis do Trabalho, reduz multas e indenizações trabalhistas.

É a correria, da qual tratarei adiante, para fazer o mal ao trabalhador e agradar ao mercado que o sustenta.

A votação, já que não pode ser clandestina, o será, se conseguirem, às carreiras.

O Governo Temer tornou-se um perigo a cada dia.

Comentários no Facebook

5 Respostas

  1. Nai disse:

    “Até o papa sabe a que Deus serve M.T” (frase excelente lá do DCM). O povo precisa saber também a real índole desses canalhas que colocou lá através do voto, o pior congresso desde os primórdios da democracia brasileira!

  2. as redes sociais tem que agir nas próximas eleições,colocando o nome destes deputados que votaram a favor do golpe e votaram a favor do fim da carteira de trabalho(reforma trabalhista)
    esses canalhas não poderão voltar mais na política,e depois o lula ou o ciro que é claro que um dos dois vai ganhar,botar todos esses traidores da pátria atrás das grades.

  3. Márcio Martins disse:

    Não conseguiram, mas virá agora em forma de medida provisória? Quem duvida?

  4. Alex Herren disse:

    P M D B – P egaram o
    M ichael
    D ando a
    B …….. faça sua sugestão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *