A elite daqui se lixa para o sofrimento do povo

guardianbc

Ontem, a economista Monica de Bolle – neoliberal civilizada – disse à BBC que “‘Elite da elite’, governo Temer não entende o que é estar desempregado no Brasil“.

Mesmo no conservador Reino Unido, num governo conservador como o de Teresa May, a elite é menos insensível.

Meu amigo Hayle Gadelha manda comentários sobre uma matéria recente do The Guardian sobre a visita do diretor e potencial novo presidente do Bank of England, o BC deles, a áreas empobrecidas do país, como o País de Gales, para ouvir as queixas da população, antes de tomar as decisões de políticas econômicas mais duras ainda.

Ora direis, ouvir o povo…

Hayle Gadelha

O jornal The Guardian de hoje traz reportagem sobre Andy Haldane, o economista-chefe do Banco da Inglaterra, que está viajando pelo País de Gales. “Mas esta não é uma viagem dos discursos habituais, de palestras para homens de negócios sobre os detalhes da política monetária. Em vez disso, Haldane está no ‘modo ouvinte’, na primeira etapa de uma turnê nacional que visa aproveitar as experiências cotidianas das famílias comuns na elaboração de políticas monetárias”, escreve o jornal.

“As famílias mais pobres da Grã-Bretanha”, diz Haldane, “estão sendo mais atingidas pelo aumento dos preços dos produtos essenciais, como comida e combustível, e as ações para evitar que uma inflação mais alta se torne enraizada devem, portanto, ser uma prioridade”.

Diz a reportagem que “Haldane conheceu dezenas de pessoas esta semana, que disseram que estavam lutando para lidar com o aumento do custo de vida. Ele ouviu falar de pais que impedem seus filhos de fazer viagens escolares, para destinar o dinheiro para os recursos básicos cada vez mais caros. Ele ouviu falar sobre o aumento de busca por empréstimos e sobre pessoas que vasculham supermercados para economizar alguns centavos em um pedaço de pão. Na verdade, ele ouviu dezenas de histórias semelhantes durante os eventos da mesa redonda em Cardiff, Barry e Porth, nos vales galeses”.

Essa tentativa de compreender as dificuldades dos mais pobres diante da política econômica inflacionária é louvável, embora as soluções que Haldane pretende dar de combate à inflação possam levar a desemprego e achatamento salarial – portanto, a condições semelhantes às que vivemos aqui no Brasil. Não adianta fortalecer os bancos à custa de enfraquecer a produção e de piorar ainda mais as condições de vida do trabalhador.

O nosso “homem forte” da economia brasileira talvez também ouça muito – mas não os mais pobres. Está atento ao que dizem os banqueiros e de olho nos mais pobres (que foram lançados ao desemprego e ao achatamento salarial) apenas em função do calendário eleitoral.

Comentários no Facebook

10 Respostas

  1. Lenita disse:

    E nós temos hoje no Brasil uma resistência sindical e de movimentos sociais que o UK não tem mais. A esquerda inglesa conseguiu se levantar, um pouco, depois que a elite (culta e bem informada num país com mídia plural) resolveu ir atrás da extrema direita e dos jornais sensacionalistas, reacionários e racistas que levantaram a bandeira do “mal” dos imigrantes para acusar a UE ( embora ai, em parte com razão) e da folego ao Brexit. Mas essa mesma elite que “se preocupa” com os pobres ingleses foi causa e efeito do empobrecimento da população inglesa: há décadas moldada pelas políticas neoliberais da madame de ferro que perdeu até o juízo …

  2. jose carlos vieira filho disse:

    isso é o efeito Corbin.
    como ele será, rapidinho, primeiro ministro, os caras estão tentendo parecer bonzinhos.
    e o Corbin é, abertamente, socialista, marxista.

    • Lenita disse:

      Sim, Jeremy foi o ponto fora da curva, porque embora tivesse sido declarado morto dentro do seu próprio partido, teve coragem, fibra e determinação para virar o jogo.

  3. salvador disse:

    Que bolivarianismo!!!! Fala aí, Ernesto.

  4. vânia disse:

    interessante. porque o ataque destes alienados e midiotas ficam bem à vista?

    • leonardo-pe disse:

      é por que na europa e estados unidos,isso é”chique”. aqui não pode isso. falam de assistencialismo ou bolivarianismo. com essa imprensa sem voto que nos temos governando(e atrapalhando)o brasil,nosso destino é a falência!

  5. Rui disse:

    Vende-se um banco público a escolher: BB ou Caixa. Interessados deverão manter contato com João Dória, que afirmou hoje no Jornal o Globo, que um dos dois tem que ser vendido, ou melhor brindado, igual Vale, CSN, Petrobrax por pouco e outras. Portanto votando em Doria você estará colocando no Leilão das privatizações o que escapou das garras do FHC. Acho melhor votar no Lula, sem medo de ser feliz.

  6. José Ademar disse:

    Lendo essa coluna de Fernando Brito no blog,me lembro que no ano de 2004 em uma crise hídrica que teve no estado de São Paulo,o programa do cabra macho e que mete o porrete nos poderosos políticos que morrem de medo da mídia podre,Zé Lewis Darteina,ex amigo do Lula,amigão das verbas de publicidade do governo golpista Temer com aumento de 1000%,ele é Boechat-outro cara de pau,uma senhora de um bairro de classe média,ultra conservadora,culpando os nordestinos pela quase falta de água em São Paulo e sugerindo que eles voltassem para a sua terra.

    Infelizmente não tinha youtube e outras plataformas de mídia,mas a tv Bandeirantes tem isso em seus arquivos e é só procurar.

    Eu infelizmente não pude gravar porque não tinha reprise desse programa nojo.

    Agora,infelizmente,o responsável por isso foi Vargas,provando por a+b que não existe nada perfeito no mundo.

    Mas ainda tem tempo de resolver isso.Foi

    Como?

    É fácil.

    É só redistribuir 90% das industrias de São Paulo pelo Nordeste,já que eles não precisam mais de industria e revolucionária a economia da região e São Paulo fica livre deles.

    Não precisa rasgar CLT,acabar com a previdência, nada!

    Lula e Dilma criaram 21 milhões de empregos sem tirar nenhum direito do povão.

    Se alguém estiver se perguntando e Rio de Janeiro e Minas Gerais?

    São dois estados fantásticos,mas já são ricaços demais, muito poderosos e tem menos necessidade que o NE brasileiro e o Nordeste e Norte dão ao Flamengo o status de maior torcida do Brasil e os flamenguistas de São Paulo são todos do Nordeste.

    E o sul?

    O sul tem clima favorável,imenso potencial agrícola,turístico,dizem que tem o heroíno do mundo e das galáxias Sérgio Moro e Deltan Dallagnol(coitado do estado do Paraná com essa onda de que são os salvadores da pátria versão extendida do diretor do filme caçador de marajás de 1989) e a maravilhosa,fantástica,brilhante,suprema,senadora Gleisi Hoffmann que eu adoraria que fosse senadora pelo meu estado.

    Agora que ela é presidenta do PT,quando ela vier na minha Recife vou descobrir onde ela está e levar um tapete vermelho para ela passar já no aeroporto,levarei flores e uma caixa de chocolates.Já estou avisando logo que é para não tomar um cacete dos seguranças do hotel ou do PT.

    Agora falando mais sério,lendo os livros maravilhos de Fernando Lira sobre Vargas,foi um golaço contra essa concentração de riqueza em um só local e nada contra São Paulo onde vivi de 1979 a 1997,adorava o centro clássico e foi o único local que tive chance de ver uma corrida de MotoGP antiga 500cc esporte que sou apaixonado em 1992,conquistei minhas primeiras namoradas,etc,etc,mas que perdeu espaço na minha bomba cardíaca para Recife e Manaus-Amazonas onde o povo é doente pelo Flamengo,Vasco,Botafogo,Fluminense,Rio de Janeiro e o estado do Ceará.É incrível esse fenômeno.

    Só digo que é muito bom adorar,torcer e conhecer o Brasil.

  7. carlos disse:

    O povo tem o SUPREMO que merece isso mesmo, financiador de roubo, venda de liminar, habeas corpus, sentença e tudo mais para o fiel cumprimento da roubalheira, legitimador do crime de lesa-pátria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *