É bom segurar os foguetes com a queda da inflação. Parcial do IGP vai a 0,86 em janeiro

igp1djan17

O primeiro índice econômico de janeiro, o Índice Geral de Preços do primeiro decêndio, recomenda muita cautela a quem está prevendo um mar de rosas na inflação de 2017.

O número, que havia registrado alta de  0,2% no mesmo período em dezembro, pulou para 0,86% e sem captar a alta do diesel e os aumentos de preço da chamada “inflação gregoriana”, a de reajuste de contratos e tarifas que se altera com a virada do ano.

Como já se havia antecipado nos índices que refletiam preços do atacado em dezembro, também nessa medição foi o grande fator de influência na alta: passaram de uma variação de  0,3% para 1,13%.

Diz a Fundação Getúlio Vargas, responsável pela apuração do índice:

“Contribuiu para este movimento o subgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de   -4,97% para 1,96%. O índice correspondente aos Bens Intermediários variou 0,90%, ante -0,01%, no mês anterior. A principal contribuição para este avanço partiu do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção,que passou de -3,70% para 3,11%.

Antes do aumento do diesel, frise-se.

Os índices de preço ao consumidor continuam mais modestos, mas em alta: passaram da estabilidade ( -0,02%) para uma alta de 0,4%, sem que ainda estejam computados reajustes das mensalidades escolares e das tarifas de transporte público.

Este ano, com um dezembro chuvoso no Sudeste, ainda não se registraram as altas tradicionais do preço de legumes e hortaliças, que influem mais no preço ao consumidor dos que qualquer 0,5% a mais ou a menos na Taxa Selic.

E sobre tudo isso, paira o enigma, que parece estar sendo pouco considerado aqui, da posse de Donald Trump sobre o dólar.

Até agora, o mercado brasileiro acha que o cowboy vai chegar no saloon dizendo: dá licença, posso entrar, por favor?

 

Comentários no Facebook

5 Respostas

  1. renato arthur disse:

    Se fosse no governo dá Dilma teríamos um mês de manchetes aterrorizante na mídia, sendo o governo que impuseram pelo golpe não há um pio

  2. Carlos disse:

    Vai servir pra que inflação baixa se a população estiver sem emprego ou com medo de gastar por temer o futuro? Ainda bem que estas antas da raça “economistas”, bem como as antas da raça “procuradores” não são médicos, senão mandariam matar o doente pra baixar a febre. Mas o “deus mercado” (leia-se banqueiros e especuladores internacionais) está feliz, isto é o que importa.

  3. Francisco de Assis disse:

    https://www.youtube.com/watch?v=XOp057aBnjM

    Vale pena ver de novo. talves isso de para entender um pouco o que FHC foi fazer no Chile um pouco antes de assassinarem Allende

  4. Luiz Carlos P. Oliveira disse:

    O governo Temer age mais ou menos como o sujeito que, para se livrar do cupim, manda incendiar a casa. É muita incompetência.

    FARIAS CARDOSO: troca a bateria da tua calculadora. Teus cálculos estão totalmente errados. Quanto ao Mais Médicos, os médicos brasileiros não querem atender em vilas nem no interior do interior. Por isso o PT recorreu a médicos do exterior. E não são só médicos cubanos. Tem de vários países, mas os coxinhas tem uma fixação por Cuba impressionante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *