A casta é incontestável

montanarojuiz

62 servidores do Tribunal de Justiça estão sob investigação, revela Luís Lima, em O Globo.

O crime? Ironizarem o “auxílio-moradia” recebidos pela casta dos juízes, numa página de Facebook.

Em posts jocosos como o da paródia da marchinha  “Me dá um dinheiro aí”:

“Ei, você aí, me dá um auxílio aí, me dá um auxílio aí. Não vai dar? Não dar não? Vou lhe prender só por convicção”.

Apura-se suposta “falta funcional” dos serventuários, que – pergunte a qualquer um deles, exceto aos que ocupam altos cargos de “juízes substitutos”, porque a eles é dada a tarefa de despachar e até redigir sentenças para as sobrecarregadas excelências – são considerados como mucamas da toga.

Talvez, mas apenas talvez, escapem de uma punição porque o caso veio à tona e a imagem dos meritíssimos já stá meio queimada.

Hoje tem mais exemplos de como praticam a generosidade em causa própria, no Estadão: a “bocada” de até R$ 300 mil para cada magistrado por conta de licenças-prêmio, desde 1996. Isso no riquíssimo Rio Grande do Norte, onde, como se sabe, o povo vive em situação de abundância nababesca.

Mas lamento informar aos 62 servidores que viraram “malditos” e nem pensem mais em qualquer tipo de condescendência, mesmo que não seja a crítica crime ou desvio funcional.  Ao que parece, porém, só é tolerável aos delegados da PF que montaram grupos pró-Aécio.

Afinal, como disse um deles no Facebook, “com eles ninguém pode. Estão acima da lei”.

Comentários no Facebook