Caso Aécio não é “separado” do de Temer.

amarildoaecio

Aécio Neves jogou um lance importante no seu pedido duplo ao Ministro Marco Aurélio para que seu pedido de prisão deixe a 1ª Turma e vá para o plenário do STF e que se adie, por 15 dias, sua apreciação.

Marco Aurélio – que se autodefine como o “ministro do voto vencido” – tem a tendência natural de levar para o plenário decisões mais graves (e ele, corretamente, acha prender alguém algo grave) e só isso, na prática, adia a decisão a ser tomada.

Contra isso, pesa o fato que ele já optou por uma ampliação, deixando de julgar o pedido de prisão de Janot para optar pela decisão colegiada da Turma.

O tempo é, para Aécio, um aliado. Na turma e, sobretudo, no pleno, o Supremo terá dificuldade em tomar decisões “moles” logo após o resultado do julgamento do TSE.

Esqueçam qualquer noção de “direito puro” nos julgamentos.

Aécio não é o alvo principal de Rodrigo Janot, mas se tornou peça indispensável em sua estratégia para alcançar o pescoço de Michel Temer.

É por isso que Aécio fez o que pôde para que o PSDB continuasse agarrado ao Governo.

E é por isso que Fernando Henrique sinaliza deixá-lo.

Comentários no Facebook