A caça ao Lula. Por Ricardo Amaral

aim

Nos últimos dez dias, Globo, Folha e Estadão republicaram antigos vazamentos da Lava Jato contra o ex-presidente Lula.  Notícias velhas foram requentadas e servidas como carne fresca a quem perdeu a memória dos desmentidos: uma sede do Instituto Lula que nunca existiu, uma rodovia na África e o acervo que Lula tem de guardar por força da lei. Isso se chama publicidade opressiva, violência inerente ao estado de exceção e essencial aos “julgamentos pela mídia”.

    Não pode ser coincidência. A ofensiva dos vazadores e seus repórteres amestrados segue-se à ação da defesa de Lula, que levantou a suspeição de Sérgio Moro para julgá-lo, por perda da imparcialidade. Essa é a notícia nova do caso, que a imprensa brasileira escondeu. Deu no New York Times, mas não saiu no Jornal Nacional.

     A ação aponta 12 afirmações de Moro antecipando a decisão prévia de condenar Lula. Registra os abusos que ele cometeu – da condução coercitiva sem base legal à divulgação criminosa de grampos telefônicos. No estado de direito, Moro deveria declinar do caso para outro juiz, isento, imparcial, condição que ele perdeu em relação a Lula.

    O Datafolha também ajuda a entender a ofensiva. Só Lula cresceu. Tem um terço dos votos válidos no primeiro turno e mais de 40% no segundo, contra os três tucanos e a insustentável Marina. Só perde, hoje, para o antipetismo; e debaixo de uma campanha de difamação sem precedentes.

    É preciso acabar com Lula, fazer sua caveira, antes que ele tenha chance de voltar pelo voto. E antes que sua defesa desmoralize a Lava Jato. Tem de bater na cabeça da jararaca. Mas como, se não há crime para acusá-lo? Se há só pedalinhos, obras de alvenaria, propriedades imaginárias, palestras profissionais, presentes de governos estrangeiros.

   Desde a reeleição de Dilma (aliás, por isso mesmo), Lula, seus filhos, sua empresa de palestras e o Instituto Lula tornaram-se alvos de 9 inquéritos do Ministério Público e da Polícia Federal,  3 proposições de ação de penal, 2 fiscalizações da Receita e 38 mandados de busca. Quebraram e vazaram seus sigilos bancário, fiscal e telefônico.

    Numa afronta à Constituição e a princípios universais do Direito, adotados pelo Brasil em tratados internacionais, Lula é investigado pelos mesmos fatos em inquéritos simultâneos: da Procuradoria-Geral da República, de procuradores regionais do Paraná e Brasília e de promotores do Estado de São Paulo. É tiro ao alvo.

    Essa verdadeira devassa – insisto: sem precedentes no Brasil – não encontrou nenhum depósito suspeito, conta no exterior, empresa de fachada ou contrato de gaveta; nenhum centavo sonegado, nenhuma conversa de bandido. Nada que associe Lula direta ou indiretamente aos desvios na Petrobras investigados na Lava Jato ou qualquer ilegalidade.

    Nem mesmo os réus delatores, que negociam acusações sem provas em troca de liberdade e (muito) dinheiro, apontaram fatos concretos contra Lula. No máximo, ilações, do tipo “ele devia saber”, conduzindo à esfarrapada tese do domínio do fato. No estado de exceção midiática, apela-se à tese da obstrução da justiça (o maldito direito de defesa), a partir do pré-julgamento de grampos ilegais.

    O fato é que a Lava Jato e a Procuradoria-Geral da República não têm como entregar – na só-base da prova, da lei e do direito – a mercadoria esperada desde sempre por seus patrocinadores: Lula na cadeia. Não em julgamento justo, com policias e procuradores apartidários, juiz natural e imparcial, tribunais fiscalizadores da primeira instância. Não no estado de direito democrático.

    Para tirar Lula do jogo, precisam desesperadamente da cumplicidade dos meios de comunicação; a Rede Globo à frente e o rebotalho dos impressos na retaguarda.  Precisam promover um julgamento pela mídia, com base na publicidade opressiva. Precisam espalhar que Lula estaria metido “nessa coisa toda”; silenciar e até intimidar quem duvide disso, para sancionar uma condenação sem prova.

    Quem foi jornalista na ditadura tem amarga lembrança de colegas que serviam à repressão (alguns em dupla jornada, como na Folha da Tarde, da família Frias). Noticiavam assassinatos de presos como “atropelamentos”, tratavam torturas como “rigorosas investigações”. Faziam a caveira dos “subversivos”. Eram chamados jornalistas de “tiragem” – a serviço dos “tiras”, é claro, não da verdade.

    Recordo sem intenção de ofender os jornalistas “investigativos” de hoje que comem na mão dos “investigadores” anônimos. Podem acreditar sinceramente que contribuem para “combater a corrupção”. Ganham as manchetes, mas abrem mão do jornalismo, que é a busca da verdade. Quando a meganha pauta e o repórter obedece, cegamente, quem perde é a notícia. E perde a democracia.

Comentários no Facebook

12 Respostas

  1. Carlos Cruz disse:

    Lula teve a chance de destruir a Globo & Congeneres. Dilma também. Sem as verbas oficiais, que deveriam ter sido gastas na TV oficial, já teriam ido ao esgoto há tempos. A ” Pax Lulista” custou/custa caro às esquerdas e aos nacionalistas. Mas é coisa que devemos refletir e aprender. Não se aliar a inimigos e exercer o poder em toda sua plenitude. STF/MPF/PF/ FAAs são órgãos ligados diretamente às escolhas da Presidência da República.

  2. Paulo disse:

    Lula cresce em todos os cenarios? Não faz diferença se verdade ou mentira pois me parece mais um recado para Sergio Moro e outros (STF, etc) para endurecer o jogo.

    O que eu gostaria de dizer dessa turma toda: Moro e Lula, Dilma e Temer, Mendes e Globo, é impublicável.

    Infelizmente talvez tenhamos que lançar todos os dados em um salvador da patria, mesmo sabendo que não exista. Ou isso ou hastear a bandeira americana.

  3. Messias Franca de Macedo disse:

    XICO SÁ: “BRASIL VIVE O MAIOR GOLPE DE ESTADO SILENCIOSO DE TODOS OS TEMPOS”

    Jornalista e escritor critica “o jornalismo brasileiro que só julga puta, preto e petista, quase sempre atendendo um juiz moral de primeira instância”; “Como pode, por exemplo, o golpe seguir com esse silêncio todo? O golpe parlamentar sem um editorial contra essa safadeza, sem um jornal digno contra essa escrotidão toda”, questiona; para ele, “não há jornalismo investigativo da mídia convencional sobre temer. Jamais haverá. Golpe é golpe”

    17 DE JULHO DE 2016 ÀS 12:13

    (…)

    FONTE: http://brasil.elpais.com/brasil/2016/07/15/opinion/1468596461_510131.html?id_externo_rsoc=Fb_CM

    • Messias Franca de Macedo disse:

      O BRASILEIRO É MASOQUISTA OU O DATAFOLHA MENTIU TAMBÉM NA ECONOMIA?

      Além de inconsistente na política, ao mostrar que apenas 3% dos brasileiros querem novas eleições, contra 63% de outros institutos, a pesquisa Datafolha deste domingo também tem problemas na economia; segundo o levantamento, é maior o percentual de brasileiros que preveem melhora da economia (38%) do que o dos que esperam piora do quadro econômico (30%); ocorre que, na mesma pesquisa, 60% dos brasileiros dizem que tanto a inflação quanto o desemprego – os dois principais indicadores de bem-estar econômico – devem aumentar nos próximos meses; ou seja: o resultado também parece ser uma tentativa de manipular senadores e a opinião pública para consolidar o golpe parlamentar

      17 DE JULHO DE 2016 ÀS 07:51

      (…)

      FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.brasil247.com/pt/247/economia/244407/O-brasileiro-%C3%A9-masoquista-ou-o-Datafolha-mentiu-tamb%C3%A9m-na-economia.htm

  4. Messias Franca de Macedo disse:

    Depois dessa pesquisa não será surpresa se Moro,MPF e PF arrumarem alguma operação com o espalhafato costumeiro tendo Lula como alvo.

    Comentário proferido por Gabriel Braga
    em
    ‘O esforço da Folha em melhorar a situação de Temer e piorar a de Lula no último DataFolha.’
    Por egrégio e impávido jornalista Paulo Nogueira

    Postado em 17/07/2016

    (…)

    FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-esforco-da-folha-em-melhorar-a-situacao-de-temer-e-piorar-a-de-lula-no-ultimo-datafolha-por-paulo-nogueira/

    LÁ VEM O MATUTO QUE SENTE CHEIRO DE GOLPE DESDE O DIA EM QUE NASCEU EM PINDORAMA

    … O único fator impeditivo do momento são os jogos olímpicos!
    Sim, talvez!
    E se os(as) nazigolpistas vagabundos(as), Amorais, antinacionalistas/entreguistas abjetos &$ [mega]corruptos pretenderem trocar os jogos olímpicos pelo fechamento do regime?!…

    • Messias Franca de Macedo disse:

      ajuste [de contas com a história fática!]

      … E se os(as) nazigolpistas vagabundos(as), Amorais, antinacionalistas/entreguistas abjetos(as) &$ [mega]corruptos(as) pretenderem trocar os jogos olímpicos pelo fechamento do regime?!…

  5. Messias Franca de Macedo disse:

    … O interino usurpador nazigolpista decorativo é LIBANÊS!
    E este “detalhe” [crucial!] os Frias da Puta do instituto DataFRAUDE omitiram ao entrevistar “os pesquisados”!
    E ao publicar “os resultados da pesquisa”!

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Lá isso é oPÓsição, siô?
    Realmente, aí, só mesmo via golpe:
    a direitona em coma de abstinência há mais de 13 anos

  6. Messias Franca de Macedo disse:

    Em polvorosa o *PIMG nazigolpista &$ [mega]corrupto agora apela para a caça até de [ex] “petista” da tropa que traiu os petistas desde o antanho do criminoso julgamento de exceção do Mentirão.
    “O mal do Walter Pinheiro” foi pensar que a trairagem iria livrá-lo da impiedosa sanha persecutória dos mafiosíssimos patrões barões!
    ENTENDA

    $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    Senador reclamava de problema de telefonia a ‘chefe’ de operadora

    O senador Walter Pinheiro (PT-BA), relator da medida provisória que cria compensações para as mudanças no ICMS
    O senador licenciado Walter Pinheiro (sem partido), hoje secretário na Bahia

    FELIPE BÄCHTOLD
    DE SÃO PAULO

    17/07/2016 02h00

    Revoltado com os problemas com a sua operadora de telefonia, o senador baiano Walter Pinheiro resolveu tomar uma atitude drástica: dar uma bronca no “chefe” da empresa, com quem tinha proximidade e negociava doações eleitorais.
    (…)

    FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/07/1792528-senador-reclamava-de-problema-de-telefonia-a-chefe-de-operadora.shtml

  7. Leonardo disse:

    A esperança da direita é a condenação por colegiado do Lula para não sair nem candidato em 2018. Por isso a pressão agora…
    Vida política pro Lula, só se a Dilma não for caçada e tivermos eleições em breve. Mesmo que ganhe, governará sob fogo cerrado pelo menos até o próximo parlamento.

  8. revenger disse:

    Ouvi de um amigo, que não é coxinha, pelo contrário, uma estapafúrdia idéia de que, “estariam” criando uma estratégia de se criarem vários empregos remunerados com apenas um salário mínimo. E que isso á longo prazo seria bom pois, as todas as pessoas teriam empregos e dinheiro, portanto a economia iria girar e voltaríamos à crescer!(?) Ele achou isso fntástico.

    Minha conclusão: não é só coxinha que é fácil de se manipular. Questionei-lhe: se as empresas pudessem admitir pessoas com salários mínimos agora, porque não o fazem?

    Quanto ao aumento de carga horária (quase o dobro), se a empresa tiver um funcionário que trabalha o dobro do que se trabalha hoje, ela irá admitir mais um, ou cortar um?

    Quanto ao aumento da idade de aposentadoria. Se não tem jovens o suficiente pra bancar a previdência, sem emprego o suficiente você escolhe entre ficar com um funcionário experiente porém cansado e desmotivado ou um funcionário novo e com muita perspectiva.

    Ou seja, terá desempregados jovens, desempregados velhos e sem mais condições de reinserção, pelo menos igual ao emprego anterior, ou os dois, jovens e velhos desempregados.

    Não vejo onde arrochar o trabalhador pode aquecer a economia. Salários mínimos geralmente compram, e quando compram, comida e moradia. O que aquece a economia são bens de consumo duráveis.

    Não é a toa que as cidades estão ficando cercadas por favelas, opção dos que ganham salários bem baixos.

    • revenger disse:

      Meu amigo rebateu e disse que isso existe. Rebati de volta. Isso existe em casos de estado de calamidade, guerra e estados e caos na economia. Não serve pra recuperar a economia e sim pra fins humanitários e tem caráter temporário.

      Não poderíamos esperar que um engenheiro aceite trabalhar pro resto da vida varrendo rua (não que isso não seja importantíssimo, basta ver quando os garis fazem greve), desperdiçando o que aprendeu, ou que utilize seus conhecimentos ganhando salário mínimo e que isto vai ajudar o pib nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *