Auler: Fonteles e Ribeiro Costa, referências do MP, criticam ação dos procuradores

fontelesribeiro

Cláudio Fonteles, ex-Procurador Geral da República, e Alvaro Ribeiro  Costa, primeiro procurador dos Direitos do Cidadão na reorganização da instituição após  Constituição de 1988 e ex-presidente da Associação Nacional do MP, divulgaram um manifesto em que criticam, sem mencionar o nome, a condução coercitiva de Lula ordenada por Sérgio Moro e a atuação da Força Tarefa da Lava-Jato.

“Escolher um suposto “criminoso” e a partir daí “investigá-lo” e constrangê-lo para descobrir supostos crimes é inverter a lógica legal e afrontar princípios fundamentais de Direito Processual e Penal. É puro arbítrio, que a ordem jurídica condena e sanciona.

Fonteles e Ribeiro Costa são, ou deveriam ser, referências na corporação. Mas talvez não sejam para parte dos procuradores que, infelizmente, perdeu as referências até na lei…

Leia toda a história no Blog do Marcelo Auler.

Posts relacionados...

Comentários no Facebook

12 Respostas

  1. renato arthur disse:

    O Ministério Público e o judiciário , se associou a Mídia, perderam a vergonha , a bússola, o GPS. Se tornaram patrimonialista com salários que incorporam todo o tipo de vantagem pessoais, afrontando o bom senso e a miséria de milhões de brasileiros. A OAB se tornou amante do capital financeiro , se prostitui desde em que foi fundada. Em resumo o povo brasileiro nada deve esperar desse poder promíscuo e corrupto que existe para se locupletar e promover a injustiça.

  2. Prezado Brito, talvez se você disser para alguém do PT, que não sejam o Zé , Berzoini, Mercadante, que tenha contato com os movimentos progressistas, para abortarem as manifestações de apoio ao governo e Lula e dar um tempo. Eu ouvi atentamente as “versões” das manifestações na mídia nativa. Eles estão colocando a palavra “pacifica” em todas as frases. Como não nasci ontem, sei muito bem o que isto significa. É a senha para as manifestações de apoio. Estão ávidos por um cadáver e com esta gente não se brinca, a invasão da sede do sindicato em Diadema, as pichações na sede da UNE, a bomba no Instituto Lula, servem de provas de minha certeza de vão fazer um ou mais cadáveres.

    • José Magno disse:

      Sr. Cleiton eles que façam os cadavares e depois que aguentem as consequencias…Eles falam que essas manifestações representaram a totalidade do povo brasileiro. Você acredita nisso? A população brasileira ultrapassa a 200 milhões de brasileiros e nas manifestações está menos de 0,5% da nação.Não vou afirmar que o restante que não esteve nas manifestações é favoravel ao governo.Todavia, existe uma parcela da população disposta a lutar pela continuidade desse governo e isso faz a diferença.

  3. jõao disse:

    Até a semana passada, a Sabesp, companhia de água paulista, informava diariamente o nível do sistema de abastecimento da Cantareira como um percentual sobre o volume útil, de 982 bilhões de litros. Volume útil é a água que fica acima das comportas de captação. Ao longo da seca, esse volume se esgotou e foi acrescido de duas reservas, conhecidas como “volume morto”, um total de 287,5 bilhões de litros de água situados abaixo da linha das comportas, captados por meio de bombas. Em 17 de março de 2014, incluindo essas duas reservas técnicas, havia 435 bilhões de litros ao todo no sistema. Como elas ainda não eram contadas, a Sabesp divulgava ter apenas 147 bilhões de litros, ou 15% do volume útil. Um ano depois, em 16 de março de 2015, havia algo como 150 bilhões de litros, também 15% do volume útil. Em um ano, portanto, São Paulo perdeu quase 300 bilhões de litros de água – mais que as duas reservas somadas, ou quase um terço da capacidade útil. Mas os percentuais divulgados pela Sabesp e repetidos de forma quase automática na imprensa eram os mesmos, os tais 15%. Até que uma ação do Ministério Público levou a Sabesp a divulgar uma comparação mais sensata, embora ainda imperfeita.

    Tomemos outro exemplo. Na gigantesca mobilização popular do último dia 15 contra o governo Dilma Rousseff, a Polícia Militar de São Paulo estimou a multidão reunida na região da Avenida Paulista, no auge do protesto, em 1 milhão de pessoas. A Paulista tem aproximadamente 2,8 quilômetros de extensão e uma largura máxima de 47 metros, numa área total de uns 130.000 metros quadrados, incluindo aí canteiros, pontos de ônibus e trechos em obras. Em multidões concentradas, cientistas contam quatro pessoas por metro quadrado – sete equivalem ao aperto do metrô lotado. A PM informou que, para fazer suas contas, considerou cinco, na Paulista e em ruas adjacentes. Se a avenida estivesse realmente abarrotada em toda a sua extensão, como informou a PM, caberiam nela, no máximo, 650 mil. Para chegar ao milhão, seriam necessários ainda, por essas contas, mais 70.000 metros quadrados – ou mais de meia Paulista também abarrotada. A PM se recusou a divulgar as fotos aéreas com base nas quais fez sua estimativa, por isso é difícil avaliá-la. Há trechos mais abertos, gente chega, gente sai, gente anda. Ao levar isso em conta, o Instituto Datafolha calculou a multidão em 210 mil ao longo do protesto, ou 188 mil no auge. Seus critérios, explicados em seu site, deixam claro como é fácil subestimar ou superestimar a massa. Mas dá para engolir uma discrepância tão grande, de 800 mil pessoas?

    • ernesto disse:

      Numa manifestação de horas, muita gente chega e sai. Além disso, pessoas que estiveram na Paulista relatam que não conseguiam nem caminhar direito tal a concentração da multidão, ali, nas transversais e nas paralelas, pois todas as ruas próximas estavam tomadas. A PM apontou 1.400.000 pessoas, o DataFolha 500.000. Mas desta vez tivemos também a tecnologia de ponta da startup israelense StoreSmarts, cedida ao MBL. Várias antenas foram instaladas na região e emitiram sinais que reconheceram celulares que estavam com o Wi-Fi ligado e registraram seus IPs. Ao mesmo tempo, militantes do MBL entrevistaram milhares de pessoas para saber a proporção dos presentes que estavam com os aparelhos nessas condições. E o resultado foi praticamente o mesmo da PM: pouco mais de 1,4 milhão de pessoas. Assim, ciência e a seriedade da PM de um lado, interesses políticos e comerciais do Grupo Folha com o PT do outro.

      • Antoniokings disse:

        Estive nas Diretas Já da Presidente Vargas. Ela é uma via de seis pistas, cada uma com 3 faixas. Acho que é bem maior que a Av. Paulista e lá tinha um milhão de pessoas. Acredite, não há como concentrar um milhão na Avenida Paulista. É propaganda de jornal e o Governo sabe disso. De certa forma, foi mais do mesmo.

        • ernesto disse:

          Talvez não de uma vez e só nela. Mas, num protesto que foi do final da manhã ao início da noite, o mesmo espaço pode ser ocupado por mais de uma pessoa em momentos diferentes. E as paralelas mais próximas e todas as transversais também estavam tomadas. Vi ontem relatos, na Internet, de gente que, saindo da manifestação, levou uma hora para chegar à Estados Unidos, uma paralela que está a cerca de um km dali.

  4. Dilma Coelho disse:

    Estive preocupada com as manifestações, agora vejo que não foram grandes coisas. O que é 1.400.000 perto dos 54.000.000 que elegeram Dilma. Continuo acreditando que ela é o melhor governo que poderíamos ter. Tudo mais é frustração com a derrota : Anéscio never foi vaiado, alkmim foi vaiado, marta foi vaiada, etc.
    A maioria que estava na rua apoiava a corrupção embora, da boca pra fora, diziam outra coisa. Isto também passará…

  5. Antonio disse:

    A quantidade de gente na Paulista foi inflada pela Folha, tanto quanto o ego do seu dono.
    Estive lá, 200.000 ou 250.000, não mais do que isso.
    Por outro lado é vergonhoso que o governador Alckmin tenha liberado as catracas do Metrô bem como cancelado as folgas para facilitar o deslocamento dos oposicionistas, enquanto a empresa está depenando várias composições por falta de verba.
    Fica claro que os três promotores usaram seu cargo para insuflar manifestações, seguindo ordens do chefe.
    Alckmin quer porque quer a presidência!

  6. Messias Franca de Macedo disse:

    MAIS UM MÍSSIL NO COLO IMUNDO DOS GOLPISTAS FASCISTAS

    $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    Claúdio Pracownik, da foto da babá, foi vice-presidente da Brasif, empresa que bancou amante de FHC

    13 de March de 2016

    (…)

    FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.revistaforum.com.br/blogdorovai/2016/03/13/claudio-pracownik-da-foto-da-baba-foi-vice-presidente-da-brasif/

  7. beijo no C* disse:

    o que todos esses estão com medo é que antes só ia para cadeia ladrão de galinha e a se até mesmo Lula corre o risco de ir, o pavor é imenso. Se eu fosse Lula confessaria o que levasse ele passar uns 20 anos de cadeia para apavorar de vez essa elite para sempre

  8. Maria Rita disse:

    O que Moro fez no dia 4 foi altamente simbólico, nos mesmos moldes do Underwood do House of Cards. Pegar uma família praticamente inteira e os colaboradores mais próximos de Lula, para dar um exemplo coercitivo de que esse lugar não é para qualquer um e não deve ser apoiado. O contrário do que Lula propagou com seu exemplo e de forma prática, através de todos os programas sociais. Paradoxalmente, Lula na sociedade capitalista é o símbolo da ascensão individual e do progresso de homens livres. Mas os mercenários do judiciário tupiniquim trabalham com a lógica do colonizador e da Casa Grande.Quanto à classe média batedora de panelas, resta o triste papel de marionetes figurantes de uma festa que nunca será dela. Aliás, o MPF paulista atualmente em destaque com o trio Los hermanos é prova dessa classe média, a não ser como serviçais burocráticos. Promotoria hoje em dia é – para os do alto da pirâmide, um trabalhinho como outro qualquer, como o funcionalismo de banco, por exemplo. Como se vê na atual escalada de desqualificação de todas as categorias de trabalhadores..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *