Ator que provocou “não vai ter golpe” em BH pede desculpas a Chico e ao público

chicobh

Da minha colega de cobertura do Palácio Guanabara, há tantos e saudosos tempos, Heloisa Tolipan, no JB:

“No último fim de semana, todas as atenções voltaram-se para o diretor teatral Claudio Botelho, após o espetáculo ‘Todos os musicais de Chico Buarque’ ser interrompido pela plateia por conta de comentários feitos pelo próprio, pronunciando-se contra o governo da Presidente Dilma Rousseff.

Nesta terça (22), Botelho reativou seu perfil no Facebook para fazer um pedido de desculpas oficial pelo episódio. Nele, o diretor aborda o áudio de sua conversa com Soraya Ravele, no camarim da peça, que vazou logo em seguida de ser gravado.

O texto, na íntegra:

Os incidentes do último sábado em Belo Horizonte durante a sessão do musical Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos são do conhecimento de todos, eu suponho. Emiti uma opinião pessoal que causou reação negativa de uma parte da plateia. Mais do que isso, o espetáculo foi interrompido e a sessão não chegou ao final.

Deste acontecimento infeliz que me tem causado enorme desgosto desde então (ameaças à minha integridade física pelo Facebook, telefone, trotes, acusações diversas sobre meu caráter e minha honra, insinuações sobre meu pensamento a respeito de temas delicados como racismo, autoritarismo, censura, entre outros) – desde aquele momento, apenas sofro, penso e repenso, estou muito triste. Porém minha tristeza é o que menos interessa neste momento.

Mas há algo fundamental e definitivo: peço desculpas a Chico Buarque. Nada do que vier de mim, nenhuma palavra, gesto ou pensamento, poderá jamais servir para desagradá-lo. Ele é o autor, o compositor, e estou trabalhando com sua obra. Desta forma, reconheço sua soberania a respeito de tudo que envolva seu nome e sua criação. O simples fato de mencionar qualquer assunto ligado a Chico (citei em entrevistas, equivocadamente, o histórico atentado à peça RODA VIVA nos anos 1960, que não têm qualquer semelhança com o fato do último sábado; citei episódios de repressão pelos quais ele passou, assuntos que não são de minha alçada e que não têm qualquer ligação com o incidente de sábado passado) é inaceitável, não tenho nenhum direito de inferir, pressupor, fazer ilações com nada que se refira ao autor, seja Chico ou qualquer outro artista que me autorize a trabalhar com sua obra. Minha obrigação – por ética e respeito – é ser cuidadoso, reverente, e em nenhuma hipótese atingir a história, o pensamento, a identidade de quem me permite generosamente colocar em cena suas obras. Este é meu dever como diretor, ator, e produtor.

Errei. Erro muito. Sou humano, mas isso não me desculpa. Aos 51 anos, sendo também autor e sendo um homem de história longa no teatro, eu tinha por obrigação preservar o autor e sua obra, não permitir que nada partindo de mim resvalasse nele, seja da forma que fosse. Por ser um admirador apaixonado e mais que isso, um pretenso “buarquiano” de carteirinha, minha responsabilidade é ainda maior. Dirigi e produzi ÓPERA DO MALANDRO, SUBURBANO CORAÇÃO, OS SALTIMBANCOS TRAPALHÕES (peça e filme que acaba de ser realizado com minha direção musical), NA BAGUNÇA DO TEU CORAÇÃO, ÓPERA DO MALANDRO EM CONCERTO, e idealizei TODOS OS MUSICAIS DE CHICO EM 90 MINUTOS como uma maneira de reverenciar o artista, o compositor, o autor. Mas falhei com minha responsabilidade, com Chico, falhei com o teatro e com a música

Um áudio clandestino, gravado em meu camarim, me flagra num momento de enorme nervosismo, de destempero, de raiva. Nada justifica que invadam minha privacidade, considero a gravação um ato criminoso e a divulgação dela pelas mídias sociais é uma agressão à minha intimidade. Portanto, isto está sendo tratado em esfera policial e jurídica. Mas mesmo assim, por ter sido duro, descortês, arrogante e destemperado (o momento era muito inflamado), peço desculpas a todos que ouviram aquele Claudio Botelho sem compostura. E, se atingi alguém, mesmo tendo sido violada minha privacidade, peço novamente desculpas.

Minha exaltação e qualquer menção à obra do autor naquele dia são motivo de vergonha para mim neste momento. De qualquer forma, ouso crer que, por mais desatroso que tenha sido o acontecimento, o teatro ainda é um espaço que pode levantar debates nacionais de extrema relevância e repercussão. O teatro é sagrado e será sempre um espaço livre, de troca de ideias e de respeito às diferenças. Assim espero e por isso torço.

Envergonhado por ferir um estatuto sagrado do Teatro – respeitar o autor e público -, tenho obrigação de invocar novamente a única palavra que me parece oportuna neste momento: perdão.

Duas opiniões, apenas.

A primeira: o arrependimento, quando sincero, é um direito humano que não pode ser recusado a ninguém e bem faria, a meu ver, o diretor se desse por encerrado o episódio, suportando as consequências do que admite serem seus erros com autor e com o público.

A segunda: se não houvesse a reação, indignada e manifesta do público, estes erros jamais viriam a público e a arte de Chico teria sido ferida de morte, porque estaria servindo para insuflar o ódio, a intolerância e o autoritarismo contra os quais sempre foi um delicado guerreiro e que lhe custaram até o sofrimento do exílio.

O perdão que pede não se concede, conquista-se com o tempo e as atitudes.

Posts relacionados...

Comentários no Facebook

44 Respostas

  1. Francisco Cavalcante Souto disse:

    Para mim, o que fica desse episódio, é o parágrafo final da matéria.

    • iSKRA disse:

      O que esse LIXO deseja é voltar a coletar , via Lei Rouanet, os milhões que terá que ser privado desde então !
      Risível a argumentação de sigilo e reserva da intimidade, quando divulgam criminosamente telefonemas do Presidente Lula, da Presidente Dilma e de autoridades da República, esses fascistas partem pro vale tudo.
      Pimenta só arde nos olhos alheios….C.A.N.A.L.H.A !

      • Não há sigilo algum aqui. Ele estava em um espetáculo público, realizando uma atividade pública e não na casa dele conversando com amigos. É uma desculpa tão esfarrapada que não consegue esconder a falta de razão dele em tentar tapar o sol com a peneira de que o que ele realmente está temendo é o prejuízo financeiro que sua manifestação deselegante, anti-democrática e incoerente (se ele estivesse montando outro espetáculo que não fosse com as músicas do Chico Buarque, quem sabe, usando as músicas do Lobão neoconvertido ao neoliberalismo e ao neofascismo, não teria recebido prontamente o repúdio da plateia que foi ali em busca de outra postura, evidentemente, não a que ele revelou subitamente, surpreendendo o público).

    • Octavio disse:

      Acho que deveríamos perdoa-lo. Afinal ele é humano. Agora, voltar a fazer musical com as músicas do Chico, NUNCA MAIS!!!!!!!!!!
      Por que ele não faz com as músicas do Caetano Veloso.

  2. Desculpa pela metade, não vi em nenhum paragrafo desculpas ao seu colega ator negro que foi agredido publicamente.

  3. Leleco disse:

    Posso estar redondamente enganado , mas sempre me vem à cabeça (fria) , o arrependimento do bolso , que para o coxinhismo é a parte que mais dói no corpo humano…

    • Carlos Gomes disse:

      Acredito que este é um estrago percebido, além da idoneidade moral que se apresenta completamente instável. Lobão sabe bem o que é isto e também já está com muitas dificuldades para promover seus shows.

  4. Hcc disse:

    Não me convenceu. Como acreditar em um cara que aproveita do estado com financiamentos de obras questionáveis, deve estar rico, e acha que a presidenta é ladra.

  5. Paulo Brasileiro disse:

    Já doeu no bolso.

    Arrependimento relâmpago.

  6. Salvatore Vella Jr disse:

    Doeu no Bolso, depois que o Chico proibiu a peça, agora o Claudio Botelho fica de mimimi…

  7. Beto Formolo disse:

    Mudara apenas nas aparencias. Prefiro nao compartilhar ou asistir trabalho algum deste Senhor de 51 anos. Principalmente porque viveu boa parte de sua vida durante o Periodo Militar.

  8. Ruy Acquaviva disse:

    Só está pedindo desculpas porque a casa caiu. Não vejo nenhum arrependimento real, apenas uma forma pensada e calculista de reduzir os danos.
    Está em curso no País uma escalada de intolerância e violência política em níveis inéditos, já há muito atingindo as raias do fascismo. Até mães foram agredidas por carregarem crianças de colo com roupinha vermelha. Não é possível tolerar o oportunsmo e a irresponsabilidade de quem usa de sua posição para incitar o ódio e a violência política.
    O que esse indivíduofez foi usar um espaço onde o público havia se reunido para obter um tipo de entretenimento, para fazer proselitismo político, apologia contra a democracia e discurso de ódio. Não é por acaso que perante a reação mais do que justa da platéia ele revelou-se racista, autoritário e elitista. Era exatamente esse o contudo de sua fala, totalmente oposta aos valores do autor e da obra que estava sendo apresentada.
    Acho que ele não merece perdão, nem desculpas nem ao menos consideração. Está pedindo desculpas da boca para fora por oportunismo e vai repetir o feito quando lhe for possível fazê-lo sem receber resposta à altura. Desculpá-lo equivale a aceitar passivamente essa essa atitude e com isso contribuir para a escalada de intolerância e violência política no País. Claro que não proponho o uso da violêncioa contra ele. Violêncioa só em legítima defesa e em último caso, mas acho que aceitar essa conversinha fiada dele equivale a ser enganado, como trouxas, por um espertalhão que se deu mal e busca uma saída pela tangente. É necessário firmar posição contra esse tipo de atitude. Não agredir o oportunista, mas denunciar e repudiar o oportunismo.

    • Edgar Rocha disse:

      Colega, dê um crédito. Não é sempre que se vê alguém pedindo desculpas e admitindo sua própria cagada de forma tão contundente. Foi mais que uma dor de bolso. Até porque, o próprio Lula passou por coisa semelhante recentemente. Pediu voltou atrás (sem pedir desculpas) em relação ao que disse ao Supremo, cinte da besteira que falou e da necessidade não jogar bosta nas instituições neste momento. O que ele falou na gravação, nunca diria em público. No particular, o fígado tem mais liberdade pra expressar bobagens comprometedoras. É assim, ao menos com pessoas responsáveis. É uma regra que não vale pra gente como o Escosteguy (leu o outro post?). Enfim, expressar vergonha por um desabafo feito aos botões, não é pra qualquer um.

      • Nelia disse:

        Edigar, são situações bem diferentes. Lula criticou o supremo em conversa privada. Nunca declarou em público ou em discursos.A conversa veio à público por conta de atitude criminosa do Moro, isso não criticam. O Presidente atual do STF fez o mesmo comentário sobre seus colegas na época do mensalão e ninguém deu escarcéu por conta disso.
        No caso desse Botellho, a notícia que veio foi que ele discutiu nos camarins com uma atriz do espetáculo. Áudio feito por pessoa física no momento do confronto não contém ilegalidade porque pode ser usado como defesa pela pessoa confrontada.
        Mas, muito antes do áudio vir a público, eu vi divulgado no mesmo dia do acontecido um vídeo de um ator que estava assistindo o espetáculo e se disse indignado com o desrespeito do ator fascista para com o público e a obra de Chico Buarque. Ele disse que tinha passado um email para o Chico relatando tudo o que aconteceu.
        Sou mais propensa a pensar que ele está preocupado com o bolso sim. Difícil acreditar que alguém que conheça profundamente e admire a obra de Chico Buarque possa ter essa postura reacionária e fascista no âmbito político.
        Se ele tiver que interromper a tournet vai precisar prestar contas ao patrocinadores captados pela Lei Rouanet.
        Ele não é bobo, Chico dá casa cheia. Apesar desse Botellho ter pensamento afinado com Lobão, não faz espetáculo com obra dele porque seria fracasso na certa.

  9. Augusto disse:

    Belo “migué” do hidrófobo. Doeu no bolso!

  10. Edgar Rocha disse:

    Valeu mais que anos de dedicação às obras de Chico Buarque. Nunca li um pedido de perdão com tamanha integridade. O episódio só mostra o quanto o ser humano – todos os seres humanos – são permeáveis à massificação do pensamento e susceptíveis a momentos de fragilidade emocional que só fazem aflorar o discurso fácil dos que se apossam do senso comum. Não fôssemos tão permeáveis a tudo isto, não haveria porque estudarem-se as formas de controle social, e estas não seriam eficazes. É pra isto que elas existem: pra nos tirar do sério, nos induzir ao erro, nos forçar a descer ao fundo do poço da irracionalidade, sem que nos demos conta de que fomos manipulados. A responsabilidade por isto, claro, sempre será conferida à vítima, nunca aos manipuladores. Crápulas sempre dizem: “a culpa é tua que foi fraco, eu só tirei proveito”. Não há outra forma de combater tal discurso e retomar a autonomia mental senão arrepender-se, pedir perdão e, sobretudo, perdoar-se. Desumano é quem tem tanta consciência do que faz e porque faz, que não faz outra coisa senão pensar em como fazer que os outros façam por ele as coisas que ele jura que nunca faria na vida (ufa!). É de gente assim que devemos ter medo. São estes os verdadeiros inimigos. Não porque queiramos que sejam, mas porque é assim que este tipo vê a todos a sua volta.
    As ilusões criadas pelos que se dedicam exclusivamente ao poder pelo poder despencam-se como flor de outono quando aprendemos a recusar as enganações. Os crápulas mostram sua crueldade ilimitada quando recebem o primeiro não. Deixam de ser cordiais, derrubam a máscara na primeira negativa e jamais se arrependem de algo. É quando seu teatro de sombras perde a lona que revela apenas seus contornos, que o perfil do monstro se revela.
    Respostas como a deste Homem trazem à frente do palco a verdade. Um momento revelador – em que podemos entender o que estão tentando fazer conosco – sim, com todos nós! – e ficamos cientes das decisões e da natureza daquilo que proferimos como sendo nosso, mas que não é.
    Acredito que com a consciência do que está se passando, a virulência dos ataques à nossa integridade – mental e física – irá se acirrar. O desespero diante da verdade não deixará alternativa aos golpistas senão a imposição pelo medo. Algo tão ilusório quanto o discurso democrático de Sérgio Moro. Embora o risco seja real, a vitória golpista só se dará se todos se curvarem. Talvez, seja o momento de lembrarmos também de Milton: “Sem polícia, sem a milícia, sem o feitiço, cadê o poder?”

  11. Rogerio Ferraz Alencar disse:

    Também acho que o pedido e desculpa deva ser aceito, e concordo mais ainda com o perdão que se conquista, e creio que Claudio Botelho não vai conquistá-lo tão cedo. Teve uma atitude digna agora, com uma parte dos ofendidos, mas esqueceu a outra parte, acusada absurdamente de ladra e ladrão, e dos negros ofendidos na figura de um, que o peitou, segundo entendi do áudio vazado.

    Acho também que Chico deve vedar, ao menos por um tempo, o acesso à sua obra, que talvez já tenha sido usada, em outra ou outras ocasiões, para disseminar ódio, autoritarismo e preconceitos.

  12. Ontem, na Fundição Progresso, Rio, no revigorante protesto dos artistas contra o golpismo em marcha, a melhor resposta ao destempero de Cláudio Botelho foi dada por uma militante que disse ser o ator em cena um operário, um trabalhador, a serviço da Arte. O indigitado havia dito, entre outros insultos, que o artista no palco era um rei, não poderia ser atacado nem contestado, em suas opiniões. Momento Maria Antonieta da investida tresloucada.

  13. José fernandes disse:

    Ok.. O Chico deu o perdão mas,..está proibido de usar a obra do do Chico.,eu faria assim e ponto final….esse canalha não pensou quando xingou a Dilma de bandida,com a raiva espumando pelo canto da boca…doeu no bolso,então essa gente e capaz de tudo de se transformar em carneirinho pra depois fazer igual…e igual e igual.

  14. Reed disse:

    Mudanças de convicções tão profundas quanto as manifestas no pedido de desculpas do REI, me parecem possíveis apenas após uma extensa e demorada análise de consciência, algo que consumiria alguns bons anos de vida.

    Encaro a atitude do REI como uma tentativa de estancar o prejuízo a sua imagem profissional e assim, o quanto antes, retornar a normalidade.

    O REI, nas próximas semanas, se esfoçará para difundir uma imagem arrependida e humilde, visando apagar a mancha deixada pelo lastimável episódio que protagonizou.

    Alteza! O espetáculo acabou.

  15. Messias Franca de Macedo disse:

    … Depois de sequestrarem também o Marcelo Odebrecht – e forçarem as vítimas a ‘vazar’ vômitos de delações [premiadas!], os integrantes aloprados da ‘PORCA-tarefa’ prescrevem:
    “a delação, digamos, irrestritamente ampla do Marcelo Odebrech ‘não vem ao caso’!”

    ENTENDA mais esse escândalo dentro [mega]escândalo do fascista golpe ainda ora em curso!

    $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    Odebrecht sugere delação de todos os partidos

    22 de Março de 2016

    A jornalista Tereza Cruvinel observa que, na nota em que anunciou que pretende colaborar com a Justiça, a Odebrecht faz “referência ao financiamento ilegal e ilegítimo do ‘sistema partidário-eleitoral'”, sem se remeter a um único partido, “mas ao sistema”, ao “conjunto”; “Há nesta afirmação uma coerência com rumores de que Marcelo Odebrecht, preso desde junho, teria dito que se decidisse falar, falaria de todos e não só de um partido”, comenta a colunista do 247; “Sintomaticamente, segundo o Jornal Nacional, os procuradores da Lava Jato disseram não existir nenhum acordo negociado com os executivos da construtora e que novas delações serão examinadas segundo a prioridade e o interesse das investigações. Nesta altura da marcha contra o mandato de Dilma Rousseff, a delação da Odebrecht, se ampla e irrestrita, pode ter deixado de interessar. Uma bomba de alta detonação teria reflexos diretos sobre o processo de impeachment”, avalia Tereza; leia a íntegra

    (…)

    FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.brasil247.com/pt/blog/terezacruvinel/222298/Odebrecht-sugere-dela%C3%A7%C3%A3o-de-todos-os-partidos.htm

  16. Everaldo disse:

    O inigualável Chico certamente vai aceitar as desculpas, acredito.
    Todavia, como já descrito em comentários anteriores, falta ele pedir desculpas mais específicas a muita gente que ele agrediu. Não adianta pedir ao “público” apenas. (- Seja humilde sr. Claudio..!! Vamos lá, o senhor consegue….!!!)
    Na verdade ele, de forma talvez midiotizada, entrou na mesma “frequência” dos fascista atualmente de plantão.
    Chico, perdoa o cara…!! Afinal sua cultura musical tem de seguir.

  17. Ana1 disse:

    Ele vai receber hoje um prêmio no copacabana palace dado por O Globo (Faz a diferença), justamente pela peça. Todos deviam estar em uma saia justa.
    Ele não pede desculpas a quem ofendeu de verdade, e refere-se as ameaças que vem recebendo, insinuando que os agressivos e violentos estão do outro lado. O texto só pode ter sido escrito por alguém da Globo para amenizar a saia justa!
    Ele só quer limpar a barra com Chico e o prêmio da Globo!!!!

  18. Paulo Athaydes disse:

    Botelho:
    Abre um buraco e te esconde até o fim dos tempos, pois ofendeu os colegas, o público, o autor, os negros, o povo, a inteligência.

    Chico:
    Sem Perdão.
    O que esse idiota fascista fez foi demais para ser perdoado.
    A tua obra é grande demais para ser entregue nas mão de ordinários.

  19. marco disse:

    Tu tem que pagar pelos teus erros VIGARISTA.Não adianta fingir arrependimento.Tu es daqueles,que acha que o povo é burro,mas não é.Tem que te MARCAR NA CABEÇA,ENTRE OS CORNOS,com ferro quente.Pouco vai adiantar,pois CANALHA NÃO TEM CURA.Pelo menos os que por CASTIGO,tem que respirar o mesmo ar que tu usas,ficarem sabendo quem tu és,para fugir pra bem longe de ti.Se os PUSILÂNIMES,PENSAREM O CONTRÁRIO,não são muito diferentes de ti.CANALHAS PUSILÂNIMES.

  20. Grilo D disse:

    Das opiniões ao final, fico apenas com as duas primeiras linhas. Sim, o ator errou feio. Ele veio a público reconhecer o erro e se desculpar por ele. Apesar de eu acreditar ser obrigatório, esta hombridade é exceção e deve ser reconhecida e respeitada.

  21. Carlos Lima disse:

    O ser humano melhora todos os dias, o moço, talvez tenha tido algum desgosto muito amplo, eu até acredito na sua desculpa e até o perdoaria sem nenhum problema, porém nunca mais deixaria usar meus trabalhos, sabendo que dentro do seu eu, havia tanta incompreensão contra negros ou favelados como foi alardeado pelas redes sociais, acredito que mudar a índole que eu não tenho certeza se é racista seja muito mais complexo que um pedido de perdão. Acho que errar é humano, sempre erramos, sempre erraremos e também sempre acertamos e iremos acerta muitas vezes. As pessoas que lidam com o público tem muitas responsabilidades, incitar com opiniões que levam as pessoas para o lado negativo e violento é imperdoável na ótica que logo imediatamente pode acontecer uma tragédia irreversível, o momento que o Brasil passa por uma tentativa de GOLPE não era hora para tal verborragia inútil, eté porque que eu saiba a presidenta não é ladra e que eu saiba também negros de favela ou não, estão no sangue de quase todos os brasileiros, pois se olharmos por esse pensamento aberração do autor, seria:todo árabe é terrorista, todo alemão nazista, todo americano assaltante de nações, todo Inglês escravizador, todo africano escravo, todo português tolo o que não é senão nas brincadeiras, e assim vai, o que é uma verdadeira bobagem pois em todo lugar tem gente que podemos considerar ruim ou boa. Se generalizarmos todo autor teatral passaria a ser racista e intolerante o que não é verdade que eu acredito que nem ele seja, apenas fez uma leitura errada do momento delicado e quis se colocar sem mérito ou lógica como um ser humano superior ao “negro’ e que não poderia parar a sua peça porque o negro havia vindo de favela segundo o que lemos, não ouvi o Áudio, não perco tempo com esse tipo de informação. De qualquer forma ele merece o respeito como cidadão brasileiro como todos de qualquer raça, ou equilíbrio econômico, somos todos brasileiro e defender a democracia é defender a nossa soberania e é um dever. Vida segue. Perdoa ele chico..você é maior, aliás muito maior que a insanidade.

  22. José Lucena disse:

    A obra de Chico Buarque seria ferida de morte? Quem é tu, coxinha midiota? A Obra de Chico é IMORTAL! Esse babaca não está, sequer, arrependido, isso é conversa mole de quem jogou e perdeu no “bolsomoro”.

  23. moacir disse:

    O cara sentiu na pele a divulgação de um áudio, imagine o LULA que é Ex-Presidente do Brasil, e tem todo instante divulgado áudio de suas ligações telefônicas, que não são crime algum, e as “Otoridades” insistem que são indícios, ora, indício não é prova. Então que encontrem provas

  24. Eliana disse:

    Ele está indignado com o vazamento contra ele.
    E, os vazamentos criminosos contra Lula e Dilma?
    Ele não os usou para fazer juízo de valor?
    Só os processos que sofrerá é que o pode redimir.
    Se ele provar que Dilma é ladra, ele não tem o que temer.

    Viva Chico Buarque!

    • marcos disse:

      Concordo.Ele tem que provar ou fazer um reparo à imagem da Presidente Dilma.Isso deve lhe custar muito trabalho.boa sorte a esse moleque.

  25. Luis disse:

    No have a chance, my dear. Perdeu sua chance, pedir desculpas depois do que fez e no momento que fez é fácil, agora deve receber a saraivada de críticas, todas genuínas que merece. Perdão, talvez Deus lhe dê, nós nesse momento não devemos perdoá-lo. Deveria(á) ser processado pelo monte de impropérios destilados, entre outros racismo, inafiançavel. Venha a público criticar a emissora do seu coração, entre de frente numa batalha contra as arbitrariedades do Moro e os grampos ilegais na presidenta e nos advogados e em mais um montão de gente que nem sabemos, talvez ministros do STF, policiais federais (alto comando) também tendo seus passos cercados/cerceados.
    “O perdão que pede não se concede, conquista-se com o tempo e as atitudes.”

  26. fabio disse:

    Acho sincera as palavras de pedido de desculpas, quem de nós nunca errou, nós estamos acostumados a pedir justiça mas quem de nós é justo, o que nos pertence é perdoa e não o julgamento, sou a favor de lula, mais ainda do perdão ha quem procura de coração, espero que ele te perdoe assim como todos, da minha parte você está perdoado, abraço a todos.

  27. Maria Rita disse:

    Separem as coisas. A carta é para Chico Buarque, ele escolheu as palavras certas (também não tenho condições de dizer se é sincera ou não), é uma carta de pedido de perdão. Isso é difícil para qualquer um. Agora, se ele irá pedir perdão pelo seu preconceito ou por usar um espaço público para, no meio de um espetáculo pago, dirigir ofensas à Dilma, isso são outros quinhentos. As pessoas presentes não estavam interessadas nem preocupadas com o que ele pensa sobre o momento político. Se a preocupação é o bolso e o reconhecimento, a pluralidade de pensamento foi aniquilada naquele dia. Resta saber se ele vai aguentar um público que pensa e se comporta como ele se comportou. Para um artista, isso é o verdadeiro inferno. Basta olhar o exemplo de Lobão que não consegue público para seus shows.

  28. Seu Zé disse:

    Texto feito pelo ‘Rolando Lero’? Não pede desculpas aos ofendidos (usa, novamente, a obra do Chico pra se esconder) e acusa aos que divergem dele de serem os violentos. É pelo bolso essa resposta que deu, não há dúvida.

  29. francisco pereira neto disse:

    Desculpem-me a franqueza, mas esse pedido de “desculpa” soa com ares de bandido arrependido. Lágrimas de crocodilo.
    A sua desculpa não deveria ser dirigida ao Chico apenas, quase que exclusivamente.
    Foram citadas na sua “desculpas”, duas ou três direcionadas ao público. E é para este que você deveria ter baixado as calças, se fosse homem.
    Você continua bandido e fascista.
    O que você quer é manter com Chico, a autorização dele para continuar a trabalhar com o seu conteúdo intelectual, coisa que você não tem.
    O que está por trás da tua farsa são os milhões que você levanta via Lei Rouanet do governo que você atacou, como noticia o próprio Tijolaço nesta matéria de Jorge Nogueira Rebolla:
    http://tijolaco.com.br/blog/o-coxinha-de-r-36-milhoes-de-dinheiro-publico-por-jorge-nogueira-rebolla/
    Canalha.

  30. marcos disse:

    Como diz aquela canção de Chico Buarque : – Vai trabalhar ! Vai trabalhar!

  31. douglas disse:

    Ele está dissimulando, o intuito dele, e de seus financiadores ocultores, era justamente introduzir o germe do golpismo no seio da classe que historicamente é anti-golpista e legalista por natureza, a classe artística. Esse cidadão não pode ser desculpado, ele agiu de má fé, ele é filhote da ditadura.

  32. Ana Maria disse:

    Primeiro – só pediu desculpas ao Chico e à plateia porque está preocupado com o dindim que irá perder.
    Segundo – não pediu desculpas a Dilma e Lula (significa que o pedido de desculpas é pura lorota, o que leva ao primeiro ponto).
    Terceiro – sobre a escuta em seu camarim. É aquela coisa: aprovo a quebra da lei contra meus desafetos e inimigos, mas esqueço-me que esta mesma lei pode, um dia, ser quebrada contra mim. E este dia pode acontecer a qualquer momento. A pergunta é: será que ele teve a mesma compreensão acerca dos grampos executados no Planalto e logo em seguida divulgados?

  33. Roberto de Paulo disse:

    Quero saber se o babaca idiota,vai continuar a ser fascista coxinha,porque não adianta pedir desculpa,e continuar a ser ignorante fascista e preconceituoso.

  34. Swamy disse:

    Está perdoado, fascista. A proibição continua. Boa tarde.
    Assin. Chico Buarque.

  35. Luiz Claudio disse:

    Caro Brito. Você está cada vez melhor. Que forma! Você, elegante, fino, gentil e Jornalista como sempre, limpou um pouco a cara desse mal agradecido nazista. Ele só pediu desculpas por causa da reação, pois caso não houvesse teria ficado a infâmia. Essa figura, ao contrário do Chico, vai para o lixo da História junto com o bobão, com o bolsomoro, o temer, o jagunço, o menino do Rio e a rede que nos faz de bobos. Deixa esse mamador de verbas públicas ladrar à vontade, pois a caravana vai continuar a passar. Ladre à vontade. Você vai passar para a História do Brasil como mais um ridículo racista. Já vai tarde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *