Atenção, direita que sonha com a “Argentina aqui”. Inflação só de janeiro, lá: 4,1%

inflarg

O pessoa que sonha com Aécio Neves como “o Macri daqui” devia por as barbas de molho.

O índice inflacionário mais aceito na Argentina o de Precios al Consumidor de la Ciudad de Buenos Aires (IPCBA) ficou, em janeiro, segundo mês do governo Macri, em 4,1% ao mês.

Isso mesmo, ao mês, em janeiro, depois de fechar dezembro em 3,9%.

A inflação anual bate nos 30%.

E isso ainda não é nada, porque não capta o brutal reajuste das contas de energia, de até 700%, que se expressará nos índices de fevereiro e de março, porque, além de aumentar, a cobrança, que era bimestral, passou a ser mensal.

E ainda deve vir este mês o aumento do gás, que deve girar em torno de 300%.

A menos que o novo índice nacional de inflação que o Governo Macri está construindo faça “mágicas”, já é de imaginar índices beirando os 40% até abril.

Macri sustenta que isso é apenas um “choque”, que se reverterá nos próximos meses e que daqui a três anos a Argentina será o melhor dos mundos.

Qualquer semelhança com aquela lenga-lenga do Joaquim Levy no início do ano passado não é mera coincidência.

encuestaÉ bom o pessoal que gosta de bater panela  ficar com um olho na Argentina, que começou a praticar este “esporte” com o fugaz Fernando de la Rúa, que mal inteirou dois anos antes de ser posto a correr da Casa Rosada pelas caçarolas.

Em dois meses de governo, uma pesquisa do Centro de Estudos de Opinião registrou mais insatisfeitos com a politica econômica  do governo mais numerosos  que os  satisfeita: 49 por cento para 48 por cento, uma perda de aprovação de 10% em 40 dias.

Assim o pessoal acaba pedindo que sente na cadeira presidencial o Balcarce, cachorrinho que Macri fez posar para fotos no Facebook, para se promover como defensor dos animais.

 

Comentários no Facebook