Agressão sistemática a Dirceu corrompe a democracia e tenta humilhar a esquerda brasileira

ze_dirceu11_antiga1

Não tenho muito a acrescentar ao texto de Paulo Moreira Leite. Apenas sugiro que leiam. É uma denúncia triste, dura e urgente. Quer dizer, faltou só uma coisa ao artigo: lembrar a frase de uma ministra do STF, ao condenar Dirceu: “não tenho provas contra ele, mas a literatura me permite condená-lo”. Uma pérola fascista, que ouvimos ainda mais dolorosamente por ter sido pronunciada por uma juíza inteligente, que, sabemos, só disse aquilo em virtude da terrível pressão midiática que se exerceu sobre ela e sobre todo o plenário do STF. Embora isso não possa servir como justificativa moral válida, pois cargo que dispunha lhe obrigava a ser forte e enfrentar uma pressão espúria, já velha conhecida da literatura judicial, que se chama “publicidade opressiva”.

Seja como for, agora estamos não apenas em face de uma trágica violação do espírito democrático. Como disse Leite, há uma tentativa, por parte de setores poderosos da mídia e do Judiciário, de impor uma humilhação pública, a todo um espectro político, a todas as pessoas de esquerda no país, que conhecem a história de José Dirceu, sua trajetória, sua luta, seu compromisso com a justiça social e com a libertação do povo brasileiro. Luta esta que ele venceu, e pela qual, ironicamente, não recebeu um troféu, mas uma condenação penal seguida do ódio ilimitado das elites e sua mídia.

*

DIRCEU NA COMISSÃO DA VERDADE

Por Paulo Moreira Leite, em seu blog na Istoé

Brutalidade contra Dirceu é uma tentativa de nos convencer de que não adianta reagir

Num país que levou um mais de 40 anos para constituir uma Comissão da Verdade para apurar os crimes do passado do regime militar, talvez seja o caso de pedir a abertura de um novo item de sua pauta para investigar ataques aos direitos humanos que tem sido cometidos nos dias de hoje. O primeiro nome é José Dirceu.

O caso é exemplar.Embora nunca tenha recebido, em forma definitiva, uma sentença em regime fechado, o esforço para impedir Dirceu de respirar o oxigênio que só se encontra fora de uma prisão foi reforçado. Tudo se move para impedir que ele possa sair à rua, caminhar como uma pessoa durante oito horas por dia, trabalhar como um cidadão, conversar com homens e mulheres que não são nem carcereiros, nem advogados, nem parentes tensos, de olhos úmidos, nas horas tensas de visita.

Como se fosse um delírio, assistimos a um ato de terrorismo que não ousa dizer o seu nome, mas não pode ser definido de outra forma.

Ou como você vai definir um pedido de grampo telefônico que envolve o palácio da Presidência da República, o Congresso? Vamos fingir que não é um ataque à privacidade de Dilma Rousseff, constranger 513 parlamentares, humilhar onze ministros, apenas para maltratar os direitos de Dirceu?

Vamos encarar os fatos. É um esforço — delirante? quem sabe? — para rir do regime democrático, gargalhar sobre a divisão de poderes, atingir um dos poderes emanam do povo e em seu nome são exercidos.

Pensando em nossos prazos históricos, eu me pergunto se vale à pena deixar para homens e mulheres de 2050 a responsabilidade de coletar informações para apurar fatos desconhecidos e definir responsabilidades pelo tratamento abusivo e injusto que tem sido cometido contra Dirceu.

Sim, Dirceu foi um entre tantos combatentes que a maioria de nós não pode conhecer pelo nome nem pelo rosto, lutadores corajosos daquele Brasil da ditadura.

Depois de ajudar a liderar um movimento de estudantes que impediu, por exemplo, que o ensino brasileiro fosse administrado por pedagogos do governo norte-americano, Dirceu tomou parte da vitória do país inteiro pela democracia. Sem abandonar jamais uma ternura pelo regime de Fidel Castro que ninguém é obrigado a partilhar, mostrou-se um líder político capaz de negociar com empresários, lideranças da oposição e governantes estrangeiros.

Hoje ele se encontra no presídio da Papuda, impedido de exercer direitos elementares que já foram reconhecidos pelo ministério público e até pelo serviço Psicossocial. Trabalha na biblioteca. Já se ofereceu para ajudar na limpeza.

Sua situação é dramática mas ninguém precisa esperar até 2050 para tentar descobrir que há alguma coisa errada, certo?

Basta caráter. Em situações políticas determinadas, este pode ser o dado decisivo da situação politica. Pode favorecer ou pode prejudicar os direitos das vítimas e também iluminar a formação das novas gerações. Os direitos humanos elementares, as garantias sobre a vida e a liberdade, costumam depender disso com frequência.

Vejam o que aconteceu com o general José Antônio Belham. Em 1971, ele exibia a mais alta patente na repartição militar onde Rubens Paiva foi morto sob torturas.

Quando precisou explicar-se, 43 anos mais tarde, Belham afirmou que não se encontrava ali. Estava de ferias. Acabou desmentido de forma vergonhosa. Consultando suas folhas de serviços, a Comissão da Verdade concluiu que o general não era verdade. Ele não só estava lá como recebera os proventos devidos pelo serviço daqueles dias.

Esse é o problema. Ninguém é obrigado a ser herói. Como ensina Hanna Arendt, basta cumprir seu dever. Caso contrário, a pessoa se deixa apanhar numa situação que envergonha a mulher, os filhos, os netos – sem falar nos amigos dos filhos, nos amigos dos netos. Nem sempre é possível livrar-se do vexame de prestar contas pela própria história.

Lembra daquele frase comum em filmes de gangster, quando o herói recebe uma advertência criminosa: “você vai se arrepender de estar vivo?” Isso também pode acontecer com pessoas que não tem caráter.

Imagine como vai ser difícil, para homens e mulheres de 2050, explicar seu silêncio diante de tantos fatos que envolvem o tratamento dispensado a Dirceu. Ele foi cassado em 2005 por “quebra de decoro parlamentar”, essa acusação que, sabemos há mais de meio século, é tão subjetiva que costuma ser empregada para casos de vingança e raramente serviu para fazer justiça — porque dispensa provas e fatos, vale-se apenas de impressões e convenções sociais que, como se sabe, variam em função de tempo e lugar, de pessoa, de geração e até classe social.

Em 2012, não se encontrou nenhuma prova capaz de envolver Dirceu no esquema de arrecadação e distribuição de recursos financeiros para as campanhas do PT. A necessidade de garantir sua punição de qualquer maneira explica a importação da teoria do domínio do fato. Inventaram uma quadrilha porque era preciso condenar Dirceu como seu chefe mas o argumento não durou dois anos. Depois que o STF concluiu que não havia crime de quadrilha, ficou difícil saber qual era a atuação real de Dirceu nessa fantasia.

Pensa que o Estado brasileiro pediu desculpas, numa daquelas solenidades que nunca receberão a atenção merecida, com as vítimas dos torturadores do pós-64? Pelo contrário. O sofrimento imposto a Dirceu aumentou, numa forma perversa de punição.

Numa sequencia da doutrina Luiz Fux, que disse no STF que os acusados devem provar sua inocência, coube-lhe tentar provar o que não falou ao celular com um Secretário de Estado da Bahia.

Foi invadido em sua privacidade, desrespeitado em seus direitos humanos. Para que? É um espetáculo didático.

Como cidadão, tenta-se fazer Dirceu cumprir a função de ser humilhado em publico – ainda que boa parte do público não se dê conta de que ele próprio também está sendo ultrajado. Através desse espetáculo, tenta-se enfraquecer quem reconhece seu papel político, quem reconhece uma injustiça – e precisa ser convencido de que não adianta reagir para tentar modificar essa situação.

Não poderia haver lição mais reacionária, própría daqueles homens que fogem da Comissão da Verdade com mentirinhas e desculpas vergonhosas.

Não se engane: o esforço para inocular um sentimento de fraqueza em cidadãos e homens do povo é próprio das ditaduras. Fazem isso pela força — e pela demonstração de força, também.

Outra razão é política. Tenta-se demonstrar que o sistema penitenciário do governo do Distrito Federal – cujo governador é do PT, como Dirceu e todos os principais réus políticos dessa história, você sabe — não é capaz de cuidar dele, argumento sob medida para que seja conduzido a uma prisão federal, onde não poderá cumprir o regime semiaberto.

Este é o objetivo. Vai ser alcançado? Não se sabe.

Animal consciente dos estados de opressão, o que distingue os homens dos vegetais – e de alguns animais inferiores – é o reconhecimento da liberdade.

O que se quer é encontrar uma falta disciplinar grave, qualquer uma, que sirva como pretexto para revogar os direitos de Dirceu. Pretende-se obter uma regressão de sua pena e conseguir aquilo que a Justiça não lhe deu, apesar do show – o regime fechado.

Isso acontece porque o projeto, meus amigos, é o ostracismo – punição arcaica, típica dos regimes absolutistas. Você lembra o que disse Joaquim Barbosa:

“Acho que a imprensa brasileira presta um grande desserviço ao país ao abrir suas páginas nobres a pessoas condenadas por corrupção. Pessoas condenadas por corrupção devem ficar no ostracismo. Faz parte da pena”.

Imagine a maldade que é deixar tudo isso para os homens e mulheres de 2040. Imagine as páginas nobres da imprensa, dos jornais, das revistas. Pense como vai ser difícil, para os leitores do futuro, entender o que Joaquim Barbosa quis dizer com isso.

Mais uma vez teremos uma página horrenda da história e cidadãos perplexos a perguntar: como foi possível? O que se queria com tudo aquilo?

E, mais uma vez, num sinal de que se perdeu todo limite, vamos pedir desculpas. As futuras gerações merecem um pouco mais, concorda?

Não precisam encarar esta derrota colossal de todos que lutaram com tanta coragem pela democracia.

Comentários no Facebook

54 Respostas

  1. JURIDICO disse:

    Verdadeiro tapa na cara das INSTITUICOES DEMOCRATICAS QUE NADA FAZEM

    • Svibra disse:

      Um verdadeiro tapa na cara dos brasileiros – se não bastassem todos os infelizes episódios promovidos no STF (não só pelo JB – apesar de ser o principal agente) este “justiçamento” medieval comprova tudo que se dizia contra as inconstitucionalidade de quem é regiamente sustentado por nós para defender a nossa Constituição

  2. maria nadiê rodrigues disse:

    Três coisas poderiam ser feitas em favor de José Dirceu, agora:
    1. O advogado dele levar o caso à Corte Interamericana de Direitos;
    2. Todos os parlamentares petistas subirem à Tribuna diuturnamente para defendê-lo, ora colocando o que já se fez e se disse, ora pegando carona nas ondas de denuncismos do PIG;
    3. Através dos blogues ‘limpos’ fazermos um abaixo-assinado contra essa ilegalidade, com a participação de juristas e de advogados que já exprimiram suas revoltas sobre o caso.

    • Celso Junqueira disse:

      Quanto aos itens 1 e 3, tudo bem. Quanto ao item 2, esqueça…

    • Geraldo Chaves disse:

      4. MANIFESTAÇôES pacíficas e ordeiras na porta da papuda… TODOS os dias!!!!

    • Emanoel Messias disse:

      O PT tem deputado federal?; e sanadores, tem?

    • Heitor disse:

      1. Será feito mas o Brasil não acatará a determinação da OEA mesmo sendo signatário do tratado. (Dá pra chamar o Brasil de caloteiro ou estelionatário?)
      2. Infelizmente parlamentares do PT são iguais aos de qualquer partido, e neste momento estão pensando mais no sucesso de suas candidaturas do que em companheiros que, outrora, foram seus “professores”.
      3. Abaixo assinados nunca adiantaram nada, não são reconhecidos como prova ou a fim de alterar qualquer legislação.
      Acredito que se conseguissem levar 50.000 mil pessoas pra frente do STF ou na Paulista surtiria mais efeito.
      E por fim temos o pior hipótese: aguardar o Excelentíssimo Senhor Ministro Ricardo Lewandowski assumir o posto de Presidente no lugar daquele um…

  3. renato disse:

    E Dirceu continua na cadeia..

    • Melhor disse:

      Dirceu, mais do que ninguém, sabe que quanto maior for o seu sacrifício, mais voto terá o petismo. E quanto mais voto o petismo tiver para não ficar dependendo de corruptos como Maluf, etc, melhor será para o Brasil.

  4. Fernando Armani disse:

    Ué, ele foi julgado, é bandido e tá preso, tá errado?

  5. serralheiro velho disse:

    a acrescentar sobre o texto de Paulo Moreira Leite, somente que ele é perfeito. Triste democracia a nossa que dá direitos não legais a pessoas para produzirem malfeitos. O juiz responsável pela execução penal que agrava penas para perseguir quem bem entenda como no caso de Dirceu, liberdade de imprensa para as organizações da mídia como o groubo atentarem contra governos legalmente constituídos, para o Mpf ardilosamente atentar contra desafetos através de ataques vazando informações sigilosas de investigações pela descarada mídia.

  6. Eliana disse:

    O Dirceu é prisioneiro da Mídia e o JB é o carcereiro.
    Deveríamos fazer plantão em frente ao STF , carregando
    faixas pedindo a soltura do Dirceu, dia e noite.
    Quanto ao PT, quanta decepção!
    Estão dando uma de tucano , abandonando um amigo
    ferido na estrada.
    É asqueroso!

  7. antonimo anonimo disse:

    Concordo plenamente com o qie disse um comentarista mais acima. Onde estao os parlamentares do PT? Porque nao fazem nada? Qual a razao de tanta covardia? A coisa esta chegando num ponto que daqui a pouco organizacoes internacionais comecarao a denunciar o Brasil por violacao de direitos humanos. Enquanto isso o que faz o PT? Nada. E revoltante. Tem -se a impressao que todos os parlamentares do PT tem o rabo preso e tem medo de levar uma varada da PF como levou o Vargas. Os caras sao de uma covardia enojante. Acho que isso pode prejudicar o PT mais que qualquer manobra de datagolpe ou globope. Nao da para entender por exemplo que nem um unico parlamentar do PT mencione o fato do Alvaro Dias estar na lista de passageiros do jatinho do doleiro. Que covardia e essa. Estes idiotas estao achando que se ficarem calados nao vao se prejudicar na reeleicao. Acham que o que respingar no PT nao cola neles. Conheco gente, militante do PT de carteirinha assinada e tudo, desde a fundacao do partido, que sempre votou na legenda, porque isso representava votar no programa do partido independente de pessoas. Pois bem, essas pessoas hoje falam em voltar a votar em pessoas e nao mais indiscriminadamente na legenda porque provavelmente e isso que coloca uma boa parte dessa escumalha aproveitadora la. Acho que a unica pessoa inteligente no PT e o Lula, o resto e de uma burrice deploravel. Individuos como esse ministro da justica, covarde refem da canalha golpista encastelada na policia federal, que mais parece um escritorio do fbi encravado no nucleu do estado, gente vergonhosamente quinta coluna que nao se sabe o que leva em troca pela perda da moral e traicao aa populacao. Onde esta o inquerito de 450 quilos de cocaina apreendidos pela pf? Onde estao os parlamentares do PT que nao intimam o delegado responsavel pela aprednsao que em menos de uma semana inocentou o dono do helicoptero? E uma vergonha. Infelizmente nao voto mais na legenda do PT. E preciso fazer uma limpa nessa representacao parlamentar do PT deixar do jeito que esta e quase somar forcas com o inimigo.

  8. Antonio Mota disse:

    Desconfio que a prisão em regime fechado do Senhor José Dirceu vem sendo bancada por questões de infidelidade conjugal, vingança de algum milionário traído, fora isso não existe nenhuma justificativa, conforme dizem os maiores Juristas desse Brasil. Só pode mesmo ser de cunho PASSIONAL, e a base de muitos dólares, de preferencia em contas nos Paraísos Fiscais.

    • Joca de Ipanema disse:

      Ô Mota,
      Estarás querendo insinuar que o Zé furunfou alguma dileta namorada do Barbosao?
      Viiiixeee!

      • Antonio Mota disse:

        O Ministro Joaquim Barbosa não é milionário, pode estar bem financeiramente, más não é milionário, além do mais, ele entrou na história a pouco tempo, e a perseguição ao José Dirceu já vinha sendo implacável e injustificável á mais tempo.
        Essa dedução é em vista de inúmeros Juristas dizerem ser injusta as penas ao José Dirceu, e por ele ter sido sempre um sujeito muito paquerado pelas milionárias, vai dai que esse milionário resolveu não trocar o sofá.
        Fora essa minha suposição não vejo outra justificativa, partindo do principio que o dinheiro compra tudo, até uma vingança, para humilhar. Não sei, é possível, não vejo outro motivo para tanta agressão a Senhora Justiça.

  9. C.Acácio disse:

    A direita está entre a cruz e a espada , literalmente. A crucificação de Dirceu gesta um mártir poderoso e inconveniente . Aumentar o sacrifício , significa aumentar , o que já acontece , reações da sociedade que ameaçam , como espadas , degolar o prestígio de algumas cabeças emplumadas …

  10. Alberto disse:

    O que acontece no Brasil em matéria de civilidade e democracia é, realmente, decepcionante!
    Não é possível sermos tão insensíveis ao que acontece no Brasil, em muitas áreas, mas principalmente no que se refere aos direitos humanos e no que diz respeito ao Judiciário e ao MP. Vivemos um verdadeiro descalabro, onde estamos, como povo e como nação, caminhando para barbárie. Apesar de todos os problemas na saúde, na educação e na segurança (morrem mais de 50.000 pessoas assassinadas por ano e a solução destes crimes não chega a 8%), a nossa mídia “nobre”, segundo o reacionário do Joaquim Barbosa, faz com que o povo concentre toda sua revolta em única pessoa, o José Dirceu, transformando-o em um facínora, em um demônio. E, se por infelicidade, o Aécio for eleito presidente, então, será como diz a tal lei de Murphy: Nada é tão ruim que não possa piorar. Ou seja, será a pá de cal nas esperanças do povo brasileiro. Voltaremos à idade média!

  11. C.Paoliello disse:

    Em toda esta violência flagrantemente ilegal contra o líder José Dirceu o que mais me decepciona e desanima é o silêncio cúmplice de ministros reconhecidamente comprometidos com a Lei e com a Justiça. O que explica esta omissão/submissão?

  12. LANDO CARLOS disse:

    Seguramente, todos nós queremos um sistema judiciário que funcione bem e corretamente. Que puna os que possuem culpa e isente aqueles que não possuem. O mal estar provocado pelos acontecimentos decorrentes da Ação Penal 470, provoca uma crescente ferida nas Instituições Democráticas. Uma sensação de insegurança que permite que se abafe o debate sobre o tema, paralisando toda e qualquer discussão acerca desse tema. O que está em questão é a saúde de nossas Instituições.
    Em uma sociedade que se quer democrática, as próprias Instituições é que deveriam buscar o esclarecimento do que está acontecendo em relação a esse processo. O ato ou ação individual, ou em grupo de representantes que agem em nome do Estado nessas Instituições, não podem prevalecer caso contenham vícios ou irregularidades que coloquem em questão a própria autoridade moral do Estado em realizar aquilo que é de sua responsabilidade. Os atos dos representantes das Instituições de Estado, só possuem valor enquanto estes estão investidos da autoridade dada e reconhecida pelo Estado e pela sociedade que reconhece o Estado. A falta de reação das nossas Instituições nos faz questionar sobre o funcionamento dessas instancias.
    As pessoas não são maiores do que o poder que tutela os seus atos. A sociedade brasileira precisa se rediscutir. Nossas Instituições precisam funcionar adequadamente à luz do que está estabelecido. Precisamos questionar a nós mesmos sobre o respeito aos parâmetros normativos legais. Não se deve ter nem na sociedade, nem no Estado quem esteja acima daquilo que deve reger tudo e todos.

  13. Hildermes José Medeiros disse:

    Tudo perfeito, sem reparos. Nisso tudo, é compreensível que, com a mídia à frente que percebia ameaças ao capital internacional que defende, o PSDB e seus próceres jogados na oposição, à frente Fernando Henrique Cardoso, parte da elite que perderam influência junto ao poder com a chegada do PT e Lula, as viúvas da ditadura (maioria já envelhecida e procurando transferir suas culpas e seus ódios, a luta anticomunista que usaram para perpetrar crimes, hoje sem sentido de serem assumidas pelos mais novos, todas incrustadas nos estamentos militares e policiais) desejem o mal a José Dirceu, no mínimo vê-lo encarcerado ad eterno. Todos sabemos que Dirceu foi o principal arquiteto e executor da chegada do PT e Lula ao poder, e era, por suas fortes ligações com o Ex-presidente, quase o presuntivo para sucedê-lo, voo que foi interrompido por ter sido envolvido nas questões do chamado mensalão. Causa espécie entretanto, porque o Ministro Joaquim Barbosa tem tanto ódio a José Dirceu, a ponto de manchar sua própria biografia, não só quando o condenou forçando aspectos legais, tudo, inclusive seus pares na Corte, e, após a condenação conseguida, passa a estabelecer uma perseguição sem limites ao político hoje preso, que nada faz crer que seja o ímpeto para fazê-lo de exemplo aos demais, pontuando para todos que a impunidade acabou. Não é compreensível. Algo de muito pessoal deve haver nessa questão, que não vem à tona, e claramente percebe-se que Joaquim Barbosa usa a posição que a toga, mesmo desrespeitando Leis e regulamentos lhe dá para vingar-se de Dirceu. Aquela de pegar na curva, do agora ele me paga. Claro que totalmente inadmissível num Ministro do Supremo, ainda mais Presidente da Corte. Mas, se assim não for, fica tudo ainda mais maluco, beirando a psicopatia. Que terá ocorrido entre eles? Ou nada ocorreu?

  14. PEDRO AURELIO DE MATOS ROCHA disse:

    Vejo que o missivista é leitor assiduo da grande pensadora do mundo contemporaneo Hanna Arendt, todavia, deve salientar que esta grande raposa do pensamento explicitava com clareza que a direita retrograda insistirá sempre em ser a verdade absoluta do pensamento e que culpará a esquerda pelos descaminhos da vida democrática, que ocasionará na ruptura das instituições, com o unico fito de se perpetuarem no Poder.

  15. fernando oliveira disse:

    Na prisão entrou injustamente José Dirceu. Na prisão será parido um novo Nelson Mandela, quer queira o QIG(Quadrilha da Imprensa Golpista) ou a QSTF.

  16. Maria Aparecida Jubé disse:

    Só de uma coisa tenho certeza, JOSÉ DIRCEU é um herói do povo brasileiro, esse título ele conquistou lutando pelo pela democracia, para que nós vivêssemos em um pais livre e não prestando serviços sujos para a mídia golpista, nem para a direita fascista, todos que estão conspirando para tirar o nome de JOSÉ DIRCEU, da história do país estão abrindo um fosso para jogar seus próprios nomes no lixo da história, a história não aceita capachos,somente heróis.

  17. Marco André disse:

    Pior que o ostracismo, construiu-se uma “demonização”, que me faz temer pela vida de Dirceu em liberdade.

  18. Heitor disse:

    Pensamos nisso diariamente, mas o que fazer? Se nem o PT, com a força que tem o partido, não se pôs a fazer nada…é triste e preocupante.
    “… Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor de nosso jardim. E não dizemos nada. Na segunda noite, já não se escondem, pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada. Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E já não podemos dizer nada.”

  19. Ramalho disse:

    O “case” Barbosa expõe grave falha institucional no Judiciário. Não é possível que um poder fique ao arbítrio de uma única pessoa, e isto acontece hoje, como está evidente. Pessoas falham, adoecem de vaidade, enlouquecem, e um país inteiro não pode ficar à mercê dessas vicissitudes (que podem nos acometer a todos), sendo enormemente prejudicado por elas. O “sistema” tem de ser à prova dessas circunstâncias, portanto.

    Em princípio, a CF tem remédio para tais situações, mas, pela imobilidade do Senado, parece de difícil aplicação, talvez por implicar ingerência direta de um poder em outro.

    Deveria haver, então, uma instância anterior, circunscrita ao próprio judiciário prevenindo a ingerência de poder externo, para consertar casos como o de Barbosa.

    No âmbito do STF, a instância óbvia é o plenário da Corte, pois o CNJ, presidido pelo próprio presidente do STF, seria, ainda assim, ingerência externa ao STF (embora no âmbito do Judiciário). O plenário tem de poder arguir, mediante algum ritual adequado (um ministro acusador, outro defensor etc), os atos do presidente da Corte que sejam prejudiciais a ela, e/ou flagrantemente ilegais, como ocorre no “case” Barbosa. O plenário teria de ser capaz de advertir, punir ou destituir o presidente da Corte, afinal, a Corte precisa passar por um choque de democracia e decência. E o julgamento deveria ser público. Seria talvez a melhor forma da Corte preservar sua moralidade e imagem.

    O Judiciário precisa de reforma, pois o país não pode ficar sujeito a prejuízos gigantescos, com risco para a democracia, porque, por exemplo, o presidente do Supremo passa por surto esquizofrênico, ainda que tal reforma seja uma mini-reforma.

    PS: e claro, o STF tem de passar a ser exclusivamente uma corte constitucional.

    • Jotage disse:

      Ramalho, excelente análise sobre o estado atual, onde o judiciário substituiu a congresso e não cumpre as leis.
      Estas pessoas estão fomentando o ódio e este sempre acaba em tragédia.
      O Brasil de país pacífico não tem nada, como provam as inúmeras revoluções no seu passado. Hoje temos uma convivência de medo reciproco e justamente por isto nos mantemos no equilíbrio.
      Quando parte da população (o povo) descobrir que na verdade ele não tem nenhum direito, a não ser que seja amigo do rei, vai sobrar muito sangue.

  20. ricardo silveira disse:

    A melhor definição que se fez sobre esse juiz é de que é uma pessoa má. E uma pessoa assim não serve para o cargo que ocupa, aliás, para cargo público nenhum. Ah! se tivéssemos um Senado que honra a soberania dos cidadãos brasileiros, nada disso estaria acontecendo.

  21. Daniel disse:

    O autor disse tudo o que precisava dizer quando disse que essa palhaçada toda é uma tentativa de convencer a população de que nao adianta reagir, que “os de sempre” podem fazer o que quiserem e que nós – povão – temos que engolir quietos. Mas a verdade é que nós podemos reagir sim. Com armas, com balas, nenhuma decisão ridícula de um juíz ridículo pode contra a força de uma população armada e disposta a se livrar dele.

  22. Macunaima disse:

    Dirceu, guerreiro do povo brasileiro!

  23. Macunaima disse:

    Dirceu guerreiro do povo brasileiro. A história e o povo um dia lhe farão justiça!

  24. Joca de Ipanema disse:

    Não posso mais pensar sobre esse assunto, sem que ganas de raiva, misturadas com desgosto e nojo me ganhem a alma. O único consolo que tenho é de desejar – quase com um misto de certeza – que o destino quer venha a ter Joaquim Barbosa o fará sofrer mais do que o que ele perpetra ao condenado alvo de sua sanha passional e virulenta.
    Boa Páscoa Torquemada jabuticabento…

    • Helena/S.André SP disse:

      Endosso suas palavras, Joca. Sinto nojo do sr. Joaquim Barbosa. Desejo sim que ele sofra muito mais do que o sofrimento que esta impondo ao José Dirceu.

  25. João Só disse:

    Liberdade para Dirceu, preso político brasileiro.
    Que democracia é esta no Brasil?
    Os conservadores em conchavo com o judiciário e a grande imprensa estão usurpando a liberdade política no Brasil.
    Com a mentira do Mensalão querem acabar com o único partido realmente bem estruturado no país.

  26. francisco pereira neto disse:

    Como se trata da mesma análise, permita-me o Tijolaço, republicar o meu texto postado no viomundo.
    O calvário de Zé Dirceu perpetrado por seus algozes é proporcional à sua importância como estrategista da luta e a consagração do feito: o PT ascendeu o poder.
    Se enganam aqueles que achavam que Lula era o grande líder estrategista. Não era e nunca foi.
    Lula é um complemento do Zé Dirceu pela facilidade de comunicação, pelo “apelo” de ser um ex-líder sindicalista, torneiro mecânico, semi analfabeto, mas com uma argúcia pouco comum nos seres humanos. Uma redundância: uma dádiva divina.
    A teoria do sangramento, proposto pelo lesa pátria do FHC, na eclosão do mensalão, ruiu, e portanto tinha-se que continuar a batalha para desestabilizar o PT. A mídia tentou de tudo e mesmo assim não conseguiu derrubar Lula na sua reeleição. Pior. Conseguiu fazer sua sucessora. Um poste chamado Dilma.
    O arsenal desencadeado pelas oposições, grande mídia e a elite conservadora, exauriu-se. Se viram numa encruzilhada. E perceberam que a figura a ser combatida, não era o Lula e sim Zé Dirceu. Os argumentos se elevaram pela consagração do índice de aprovação de Lula, quando deixou o governo.
    Tudo articulado e os exemplos da era Lula não deixam dúvidas. Todas as operações da PF, depois de sua valorização, tanto no aumento do quadro efetivo dos delegados concursados e remuneração compatível com as suas funções, viu-se atuações e investigações espetaculares contra grandes personalidades da vida nacional.
    Tudo isso não podia continuar, sob o risco dos grandes corruptores, empresários defensores do estado mínimo serem finalmente incriminados. Mínimo para o povo, e o máximo para eles, como sempre foi.
    Figuras chaves no judiciário, STF, PRG, MPF, a grande mídia mais os setores empresariais comprometidos até o pescoço com a sangria do país, entenderam que a figura a ser sacrificada era Zé Dirceu.
    Não me estranha nada do que ocorreu com o mensalão, e agora com a crucificação de seu condenado símbolo, trancafiado na Papuda.
    Resta saber, até pelo fato da saúde debilitada do Dirceu, quem terá o comando estratégico para desnudar essa barbárie.
    Na bancada petista no Congresso, não há a menor chance. Muito pelo contrário. Existe uma omissão criminosa dos senhores deputados e senadores do partido.
    A guerra foi declarada em 2005, e o PT dorme em berço esplêndido.
    Não se iludam. A fatura será cobrada de vocês.

  27. Carlos N Mendes disse:

    Acredito que o medo que petistas históricos tem em resgatar a honra de Dirceu vem da ditadura da verdade que nossa imprensa ainda consegue impor a muitos cidadãos com sua fábrica de verdades de ocasião. É um medo real, de ser bombardeados por milhares de cidadãos espumando de ódio por alguém estar defendendo o ‘bandido denunciado pela Veja’.

  28. jonk disse:

    as eleições estão ai eu que desde a fundação que ajudei a criar este partido ,não trairei meu partido continuo firme e lutando com ele ,mas engana se esses parlamentares que votarei em qualquer um estou analisando as suas ações (PT) e sõ votarei naquele que realmente põem a cara para bater e defenda seus companheiros e o pograma do partido,chega muita gente se apoderou do partido mas na hora de lutar ao invés de levantar os punhos estendem as mãos a burguesia pedindo sua maldita benção.
    Que vantagem vira disso ,tem muita gente no partido que merece sim o ostracismo por sua covardia e conveniencia com com essa ralé chamada burguesia pig . Vamos a luta companheiros ,levante seus punhos e deixe o Brasil ver seus verdadeiros filhos
    DEUS os ilumine.

  29. Vanilton Alves disse:

    Dirceu está sendo injustiçado. É preciso que o povo comece a gritar senão poderá um dia ser vítima desse tipo de armação de uma imprensa corrupta e um ministro vingativo.

  30. Gilson disse:

    A cada dia que passa JB mostra ser escravo da vaidade e quem é escravo da vaidade nunca será ninguém.Quem nasceu pra ser Idi Amin, nunca será Mandela.

  31. Simples disse:

    [ Vejam o que aconteceu com o general José Antônio Belham] Para que a situação fica na mesma, Dilma tem que assinar uma anistia para todos os crimes de corrupção. É bem simples e fácil.

  32. Telma Lage disse:

    Humilhada, não, não me sinto… Mas acabrunhada, constrangida, oprimida… Mais ainda pelo silêncio cúmplice das instituições… Por que aOAB não se manifesta? Por que os demais magistrados, o MP se calam? Não há nenhum Zédirceu fora da prisão.

  33. Baptista disse:

    E aquele senador petista fã de carteirinha da Marina e que escoltou a blogueira cubana em sua turnê pelo Brasil, por onde canta? Coitado do Zé Dirceu, não mereceu publicamente dele sequer uma desafinada no “Blowing in the Wind”.

    • Bem ruim disse:

      [ que escoltou a blogueira cubana em sua turnê pelo Brasil] Uma escolta bem ruim, digas. não evitou que lhe arrancasse os cabelos e nem que tivesse sido obrigada a autografar livro presa porões, tal como escrava

  34. João Vicente disse:

    Acho que devemos nos organizar. Não adianta protestar mais com palavras. Temos que partir para a ação. Vamos fazer um abaixo assinado nacional, interpelando o Congresso Nacional sobre os desmandos do STF. Vamos denunciar na imprensa do exterior.

    • Nada disso disse:

      A única solução é desde do primeiro dia, especialmente todos os blogueiros ditos sujos, ter ido acampar na porta da papuda e só sair no dia em que o processo todo fosse anulado e cada um tivesse sido indenizado por danos morais.

  35. nina rita disse:

    Sou mulher, e, primeiramente, não consigo deixar de comentar que José Dirceu está lindo nessa foto. Também estou incontidamente indignada com essa situação. Concordo com a avaliação de PML. Pior é que, o que nos parece estar tão na cara, tão visível e evidente, de fato, é possível que só venha a ser esclarecido para todos em 2050, quando muitos de nós já não estaremos aqui para comemorar. Mesmo na contemporaneidade, é inacreditável que autoridades judiciais tenham perpetrado os atos que, constrangidos, testemunhamos. Pena que o falecido Gabo nunca tenha se dedicado a estudar a perversidade típica dos coronéis locais: farto material para seu trabalho. Mas também, sabemos que há ainda um outro preso político do qual pouco se fala: o jornalista Carone, mantido preso nas masmorras de MG, por ter se atrevido a revelar fatos sobre um certo candidato, que se diz à favor da liberdade de imprensa. Estranho o silêncio sobre esse caso também. Espero que esses fora-da-lei que ocupam cargos na área jurídica pública oficial sejam julgados internacionalmente pela OEA. Talvez pressões externas possam constrangê-los. Se é que se sentirão envergonhados, o que não é nada garantido, pois senso de culpa vê-se que não têm nenhum. Fiquei perplexa ao ver a maneira tranquila como condenaram sem provas, porque estou acostumada a acompanhar julgamentos criminais, de crimes hediondos cometidos por facínoras que, no entanto, usam e abusam de seus direitos de defesa, e tudo é aceito como direito do cidadão. Como todos puderam “acompanhar o voto do relator” demente, cruel, fraudador dos autos, deturpador de todo processo jurídico, e com nítidas intenções politiqueiras, das mais baixas possíveis ?

  36. antonia felix disse:

    MINHA ALMA ESTÁ SANGRANDO!Céus! Que o Espirito possam enviar Luz para onde há trevas. Justiça meu Deus! O Universo está em desequilibrio e a vida vai reagir.

  37. Mauro Chaves disse:

    Prezado Moreira,
    tenho acompanhado todo esse processo. li tudo a respeito, vi todos os videos postados e o que me vem a juizo é que nos cidadão comuns estamos perplexos, indignados, diria, irados com tudo isso. Ao mesmo tempo pensamos o que nós cidadãos comuns poderia fazer para inverter essa trágica situação. Não vejo horizontes. Entretanto, penso que por parte de pessoas como Paulo Moreira Leite, me permitindo citá-lo nominalmente, Pedro Solano, Claudio Lembo, e outros tantos advogados de renome e que igualmente estão indignados poderiam sim fazer mais. Ante a minha ignorância de leigo penso se não seria um junta (quanto maior possível) inquirir o STF sobre as arbitrariedades deste senhor Joaquim Barbosa? O que sei é que alguma coisa precisa ser feita.

  38. celestino disse:

    Vamos ganhar as eleições em outubro no primeiro turno com mais de trinta milho~es de votos, a frente desta corja que querem acabar com o povo mais carente, ai sim, daremos o troco de tudo isso.

  39. Messias Franca de Macedo disse:

    … O que a ditadura militar nos legou de mais perverso? Talvez a destruição do senso crítico da maioria da população, gerações pós-64!… Lógico: cada um de nós somos o José Dirceu, o José Genoino… A secretária do publicitário… Cada um de nós, leia-se: todo aquele que não pertença à Casa Grande!…

    … Parece que esquecemos o mestre Geraldo Vandré: “quem sabe faz a hora, não espera acontecer!”

    É VERDADE: esquecemos o José Dirceu assim como se esquece a própria sombra!… Esquecemos, até, que a DIREITONA é, além de tudo, impiedosa!…

    República de ‘Nois’ Bananas
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

  40. Messias Franca de Macedo disse:

    Quanto valem cinco meses na vida de uma pessoa?

    A pergunta me ocorre quando penso em Zé Dirceu, preso exatamente há cinco meses na Papuda.
    Alguém já fez essa conta para si mesmo?
    Em dinheiro, é difícil calcular. Digamos que dessem a você, diante de uma sentença de cinco meses na cadeia, a opção de pagar para não ir.
    Quanto você daria para ficar em casa? Para conviver com seus amigos, seus irmãos, seus pais, seus filhos? Para poder ir à padaria pela manhã tomar uma média com pão e manteiga? Para comer uma pizza domingo?
    Eis um caso de complicada precificação.
    Do ponto de vista de tempo em si, nada paga, evidentemente, a temporada na cadeia. Nossos dias são limitados e escassos. Os cinco meses na cadeia – ou o que for – não são acrescentados em sua vida a título de compensação.
    E se a sentença é injusta, ou absolutamente controversa? E se você acha que de um lado enfrenta algozes para os quais só importa punir e de outro amigos cuja solidariedade e apoio não se manifestam numa hora tão complicada?
    Aí entram outras coisas humanas: raiva, sentimento de impotência, revolta.
    A conta cresce expressivamente.
    Onde, nisso, fica o caso de Dirceu?
    Numa recomposição rápida, temos um julgamento que o tempo mostrou ser um circo abjeto, animado e manipulado por uma mídia que repetiu o comportamento de 1954 e 1964.
    Depois, temos uma juíza que diz que, embora não existam provas contra Dirceu, se julga no direito de condená-lo.
    Juízes de nível baixo, como se veria depois ao conhecê-los em sua pompa vazia, sacramentariam a punição sem provas com uma figura chamada Teoria do Domínio dos Fatos. (Nem o autor alemão da teoria achou que a adaptação dela para o Mensalão fazia sentido.)
    Numa canhestra matemática que levou um réu a ter uma pena maior do que a que os noruegueses aplicaram ao assassino de dezenas de jovens reunidos numa convenção, foram fixadas sentenças estapafúrdias como se se tratasse de ciência exata.
    Os réus, no percurso, foram logo para o STF, o que significou a perda de pelo menos uma segunda instância para a revisão dos vereditos.
    Depois, num arroubo teatral, em 15 de novembro Joaquim Barbosa, sob os holofotes da mídia que o incensou quando lhe conveio e agora o abandona como se esperava, manda prender alguns, Dirceu entre eles.
    E na cadeia a perseguição como se amplia.
    Uma proposta de emprego de um hotel vira um escândalo nacional artificialmente.
    Aparece na mídia com alarde uma conexão no Panamá para o candidato a empregador de Dirceu e depois ela desaparece quando se vê que não era nada – mas sem que os leitores fiquem sabendo do complemento da história.
    Aparece outro emprego, mas um jornal diz que Dirceu conversou com alguém pelo celular, e uma nota jamais provada faz que Dirceu continue na prisão em regime integral.
    Esta é a vida brasileira: uma nota basta para deixar alguém na cadeia, ainda que ela não se sustente. Basta que esse alguém seja Dirceu.
    Uma revista – a mesma que impunemente tentou invadir criminosamente o quarto de Dirceu num hotel de Brasília – continua em sua caçada insana e publica fotos que mostrariam os “privilégios” de Dirceu na cadeia.
    Há, aí, uma dissonância cognitiva. As fotos apresentam um Dirceu abatido, visivelmente mais magro. Não é nada compatível com regalias ou privilégios.
    Num dos últimos capítulos da farsa, Barbosa – sem que a mídia lhe cobre nada por isso – diz que as penas dos réus do Mensalão foram artificialmente infladas para que não prescrevessem.
    Não é crime isso? Ou é uma inovação da justiça brasileira, algo que poderia fascinar justiças menos sofisticadas como – já que falamos nela – a norueguesa?
    Quanto, repito, valem cinco meses na vida de uma pessoa?
    Na semana que vem, noticia-se hoje, Barbosa vai se pronunciar sobre o caso Dirceu.
    Ainda que ele contrarie os prognósticos e libere Dirceu, quem vai pagar a conta pelo tempo perdido e sofrido na prisão?
    Dirceu deveria processar o Estado, até para que coisas assim tenham consequências.
    Não sei qual seria a quantia arbitrada, mas não seria pouca.
    Ironia suprema, a conta seria paga por um Estado comandado por Dilma Rousseff e pelo partido que Dirceu ajudou a construir, o PT.
    Parece o realismo fantástico de Garcia Marquez numa versão de pesadelo, mas para Dirceu é a realidade como ela é.

    Por jornalista Paulo Nogueira
    Sobre o Autor

    O jornalista Paulo Nogueira é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *