Acordo de leniência do MP também é corrupto, senhor Procurador?

LENIENCIA

No domingo, o procurador da Lava Jato Carlos Fernando dos Santos Lima (o “mais velho” da turma de incontíveis rapazes) deu uma intolerante entrevista a O Globo. O essencial do conteúdo está lá, no recorte menor da imagem.

Ontem, o Ministério Público Federal firmou um acordo de leniência com dois executivos da SBM, fornecedora de navios à Petrobras, cobrando uma multa de R$ 250 mil ao presidente da empresa,  o francês Bruno Chabas , e outra, igual, ao membro do Conselho da empresa holandesa Sietze Hepkema.

Com isso, os dois se livram do processo, pagando muito menos do que pagaram em acordo igual na Holanda, onde pagaram US$ 240 milhões, como resultado de inquérito de dois anos, a respeito de transações realizadas no Brasil, Angola e Guiné Equatorial, entre 2007 e 2011.

Teria sido o MPF, seção do Rio de Janeiro, “corrupto”, na visão do seu colega “lavajatista”?

E os acordos de leniência firmados pela Controladoria Geral da União, que não livra os indivíduos de ações penais, mas apenas preserva o direito da empresa continuar contratando se devolver o dinheiro indevidamente recebido, multa e outras sanções, são corruptos, Dr. Carlos Fernando?

Com esta mesma SBM fechou-se um acordo que prevê a devolução de R$ 1 bilhão à Petrobras, 65% em dinheiro e o restante em prestação de serviços. Valor bem semelhante ao pago à Holanda, se convertido em dólares.

Será que os holandeses também foram corruptos, Sr. Procurador?

Não, excelência, eles querem punir mas não destruir uma das maiores empresas daquele país. Simples assim, não querem botar fora a fazenda por causa de um boi ladrão.

Não se tem notícias de que nossos tão celebrados “delatores premiados”, arruinados pela devolução das fortunas que roubaram, tenham ido viver em quitinetes ou estejam trabalhando, de tornozeleira e tudo, como camelôs na Central do Brasil para poderem comprar o “dicumê”.

Ao contrário, estão todos instalados em belas mansões e vivendo muito bem.

Não seria corrupção comprar a própria liberdade e uma “anistia” patrimonial ao preço de dedurar a gregos e troianos, eles que fiquem mofando na cadeia?

Perdoem-me os ecos, mas o MP e Sérgio Moro, com seu “Feirão da Delação”, mudaram o ditado: agora, ladrão que dedura ladrão (ou não) tem direito a perdão, mansão e carrão.

 

Posts relacionados...

Comentários no Facebook

22 Respostas

  1. Lauri Guerra disse:

    Este procuradorzinho mequetrefe da força-tarefa da CIA no Paraná está atolado até o pescoço no lodaçal do Banestado. Está aí para defender aquilo que lhe foi encomendado por potência estrangeira e seus aliados no Brasil (tucanato e a plutocracia em geral) e não para defender os interesses do estado brasileiro como é sua obrigação.

  2. renato arthur disse:

    Realmente fatos estranho ocorrem nesse tribunal do Moro. Se você for funcionário chefe da Petrobras ganhando altos salários mas a sua ganância o fez se corromper e roubar durante anos os contribuintes e com isso se tornar um milionário não se preocupe basta você fazer um acordo de delação, devolver 0,5% do que roubou a você vai p/ sua mansão fumar charuto de havana.
    Já Cristina Mautoni Marcondes Machado está presa preventivamente desde 26 de outubro por “ameaça à ordem pública”. Na empresa Mautoni&Marcondes, investigada pela Operação Zelotes, ela figurava como sócia do marido Mauro Marcondes e cuidava da rotina administrativa. Não é segredo que, com sua prisão, o comando da Zelotes quer forçar seu marido a fechar um acordo de delação premiada, na qual talvez comprometa o filho do ex-presidente Lula, Luiz Cláudio, que recebeu recursos da empresa por alegados serviços de marketing esportivo.
    Porém Claudia Cunha que roubou junto com seu marido, Cunha milhões de reais, dirige um Porsche Cayenne avaliado em 122.684 reais, ela pagou aulas de tênis na prestigiada escola IMG Academies – que já teve como alunas as campeãs Maria Sharapova e as irmãs Serena e Venus Williams –, localizada em Brandenton, Flórida. No total foram gastos 59.700 dólares em aulas particulares e jamais foi chamada para depor.

  3. Zé Ruela disse:

    Quem comete crime são pessoas, não empresas. Até as empresas que serviram ao nazismo foram preservadas no pós-guerra. Foram seus dirigentes que acusados, julgados e se condenado, cumpriram suas penas.

  4. Maria disse:

    Renato Arthur,

    Eu me pergunto se a Equipe do Moro lê alguma coisa fora da revista do esgoto. Fico até pensando que talvez esses sujeitos nem saibam o que pensamos ou sabemos deles. Talvez não leiam os blogs progressistas, ou desprezem nos tanto que não se importam com nossas opiniões. Uma pena, pagamos seus salários, e não gostamos da qualidade de seu trabalho.

  5. Lucas Vielmont disse:

    Fico indignado com tantas tentativas persuasivas e nada convincentes dessa pseudo justiça.A população tem que se insurgir contra tamanhos desmandos,pior que a ditadura explícita é o despudoramento de se julgarem incólumes em suas decisões cruéis e ridículas.Será que a OAB e os movimentos sociais não são parte contrária apreciável?Fora justiça seletiva e não ignorem a inteligencia do povo brasileiro,nâo vamos engolir uns poucos mandatários mesmo na democracia ainda adolescente.

  6. Maria Rita disse:

    Existe algo mais transparente do que a hipocrisia e o cinismo? O procurador com cara de Clovis Bornay, segundo uma opinião acima, sabe muito bem disso. A cara dele ou melhor, o biquinho dele é um lustre só. Muita péroba.

  7. henrique de oliveira disse:

    É a turminha corrupta do MP do Paraná atacando novamente , a Sra : Moro que o diga.

  8. Sérgio Rodrigues disse:

    A Lava Jato se converteu em erva daninha. É preciso dar um basta nessa condução maléfica!….

  9. NINNO MATOS disse:

    LI O COMENTÁRIO ACIMA DE UM ” GÊNIO ” COM NOME DE FINAL HORTA E QUE IRONIZA SOBRE QUAL PAÍS TEVE 11% DE INFLAÇÃO E REDUÇÃO DE 4% DO PIB EM 2015…
    ESSE TIPO DE ” GÊNIO ” SÓ CONSEGUE SE CONSAGRAR E TER ORGASMOS MENTAIS, QUANDO REUNIDO COM OS REACIONÁRIOS QUE BATEM PANELAS NAS COBERTURAS DE LUXO DO PAÍS. É FÁCIL OBTER ESTA CONLUSÃO, POIS, SE O geniosinho PRESTASSE A ATENÇÃO NAS NOTÍCIAS DO PAÍS SABERIA QUE AS EMPREITEIRAS DA LAVA JATO QUE ESTÃO COM SEUS DONOS PRESOS PELO JUÍZ PEESSEDEBISTA, MORO, RESPONDEM POR 3,2% DESSE PIB, O RESTO FICA POR CONTA DA EXECRAÇÂO DE MÍDIA BRASILEIRA QUE FAZ OPOSIÇÃO AO PAÍS DESCARADAMENTE. SABERIA TAMBÉM QUE A INFLAÇÃO EM PAÍSES COMO FRANÇA, ITALIA, COREIA, ESPANHA, GIRAM EM TORNO DISSO POR CONTA DA CRISE NOS PREÇOS DAS COMODITIES..

    • Zé Ruela disse:

      Olá Ninno Mattos, tenho opinião semelhante à sua sobre esse “jênio”.

      ps. evite usar letra em caixa-alta fica ruim de ler seus comentários

  10. Edson J disse:

    A entrevista desrespeitosa e sem fundamento do procurador não merece resposta via mídia. Por esse caminho, talvez umas perguntas sobre o escândalo do Banestado…

  11. NINNO MATOS disse:

    ESSE PROCURADOR E OUTROS COMO ELE E JUÍZ MORO NÃO PROCEDEM DE FORMA ESTRANHA, PROCEDEM DE MANEIRA CÍNICA, SUBESTIMANDO A INTELIGÊNCIA DE ALGUNS POUCOS BRASILEIEOS QUE PENSAM, POIS, A MAIORIA QUE REPRODUZ O PENSAMENTO DELES, ELES JÁ CONSIDERAM COOPTADOS, ESTÃO DOMINADOS…

  12. Mário Alex disse:

    Esse procurador não é o mesmo que a mulher trabalhava no Banestado na época que 30 bilhões de dolares foram mandados pra fora do país e os atores da investigação era os mesmos artistas, Moro, esse Carlos Fernando e o doleiro Youssef e tudo ficou o dito pelo não dito porqiecpegava a UDN em peso. Essa turma fede.

  13. Luciano Mendonça disse:

    Querem aparecer. Só isso. Só se metem em saia justa. Na verdade estão buscando apoio da mídia pois sabem que a casa deles vai cair. Aí correm pra junto de sonegadores – como a Globo (compra da Copa de 2002 via paraíso fiscal), ou o UOL (cujo proprietário Frias está metido no Swissleaks), assim como a Veja (cujo editor Guzzo também está lá) – para se socorrerem.
    O Dr. Moro deu uma pedalada processual – ao não reconhecer o direito da parte ter acesso a depoimentos para arguir nulidades – deve ter envergonhado até o Ministro Gilmar Mendes. Paridades das armas pro Dr. Moro, não existe. A Ministério Público da Lava Jato pode ter manipulado depoimento para denunciar um réu. Deslealdade processual. Vem chumbo grosso contra os “Batmans”, que estão mais pra “Curingas”. E ainda nem discutimos a grampo ambiental na PF da Lava Jato.
    Agora mais essa, depois da Vara da lava Jato dar um descontão nas penas dos delatores, que vivem nababescamente, esse acordo da SBM com o MP federal do RJ pode ser tico como suspeito, segundo os Procuradores da “Lava Jato”.
    Quanto a pergunta acerca da existência de picaretagem no MP, temos os casos, em São Paulo, do Promotor Senise – que está sendo investigado por ter recebido um brinde das Casas Bahia – e do Promotor Capez – Professor de Direito Penal, Doutrinador, Deputado Estadual e Presidente da ALESP – que foi envolvido (digamos assim) numa delação em que o alcaguete asseverou que o nobre Deputado tucano estava envolvido na trampa de fraude em contratos e desvio de dinheiro destinado à merenda escolar. Só deu m… pois no meio da grana tem verba federal, caso contrário, não viria ao caso, ia pra gaveta.
    Dizem que tem escuta telefônica, mas até o momento nada foi vazado. Por certo não identificaram ainda o nome de um petista. Assim que identificar, vazam e esquecem o deputado tucano.
    Em São Paulo o esquema da moda é tirar o leite das crianças. Eles tem os Picciani deles.

  14. renato arthur disse:

    Os fascistas não passaram. Jair Bolsonaro, esteve hoje em Porto Alegre na assembléia gaucha, foi convidado a fazer um pronunciamento, contra as ONG que apoiam movimento sociais. O resultado foi uma batalha campal dentro da Assembléia com socos e pontapés entre defensores e contrários ao deputado. Fascista trazem em torno de si a violência e a truculência. Esse sujeito pensa em se candidatar a presidência da república.

  15. Pafúncio Brasileiro disse:

    Fernando, no paragrafo inicial no lugar do “mais velho”, deveria ser: “mais velhaco”. Mais embaixo, no lugar de “lavagista”, poderia ser: “vazagista”.

  16. walter pastori disse:

    Parabens Fernando simples e perfeito alguem precisa peitar esses reizinhos da justiça se nao botar esses reizinhos na linha eles vao arrebentar o pais, eles sabem que salarios deles nunca vai faltar foda-se as empresas e os outros trabalhadores.

  17. Heitor disse:

    As delacoes do MP mostram que o crime compensa.
    O que ganham com isso, os procuradores?

  18. Tomás disse:

    Estão ficando completamente independentes do corpo geral do Estado. Agora cobram taxas aos presos. Como o Estado Islâmico, agora têm sua própria forma de arrecadação.

  19. Tomás disse:

    Não basta o estrago que estão fazendo na ordem jurídica do país. Agora querem governar o país. E governar no sentido de destruir o Brasil, inclusive destruindo nossa engenharia e entregando às empresas estrangeiras as obras de infraestrutura que ainda pudermos fazer.

  20. Antonio disse:

    Mauro Santayana, direto ao ponto:

    E ele vai direto ao ponto em três parágrafos:

    O que está em jogo, nesse esquema, de flagrante dimensão política, que se imiscuiu, ao ritmo dessas delações, como os antigos inquéritos stalinistas, por todo o país e os mais variados setores da sociedade e da economia brasileiras, é o futuro da Nação e da República.

    E mais grave ainda: a curto e médio prazos, o destino direto e indireto de obras, projetos e programas estratégicos para o desenvolvimento nacional, nas áreas de energia, defesa e infra-estrutura.

    Para não falar da sobrevivência da engenharia brasileira e de milhares de trabalhadores que estão perdendo postos de trabalho, porque se confunde o combate a uma ação de corrupção que envolveria teoricamente uma comissão de 3%, com a destruição e a inviabilização, paralisia e sucateamento dos outros 97% que foram efetivamente, inequivocamente, aplicados em equipamentos, obras, empregos, investimentos, com o precioso dinheiro do contribuinte.

    Matéria Completa:

    http://jornalggn.com.br/noticia/o-ministerio-publico-e-as-cenas-proibidas-da-lava-jato-por-mauro-santayana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *