Os negócios milionários do BNDES em Cuba, Caracas, Equador e… com a Globo

garantia

A Época volta a fazer carga contra os empréstimos do BNDES a países latino americanos, especialmente os “esquerdistas”, agora para induzir os leitores que isso ocorreu por “tráfico de influência”  de Lula.

Então, fui buscar num documento do Banco, oficial, os fatos e números deste “descalabro”, citando literalmente o texto:

Projeto da Linha IV do Metrô de Caracas (Construtora Norberto Odebrecht S.A.) – Construção do primeiro trecho, com extensão de 5,5 km. O investimento total do projeto soma US$ 183 milhões, sendo o financiamento do BNDES de US$ 107,5 milhões, correspondentes a 100% das exportações brasileiras de bens e serviços e ao seguro de crédito às exportações.

Metrô para aqueles chavistas, enquanto os brasileiros aqui têm de andar de ônibus, não é? E ônibus velhos, porque o dinheiro foi para Cuba e para os esquerdistas do Governo da Jamaica, olhem só.

Já o apoio do BNDES a exportações de ônibus de turismo e urbanos para Cuba somou cerca de US$ 28 milhões. Cabe destacar o financiamento concedido para a aquisição de 125 ônibus Busscar com mecânica Volvo, utilizados na dinamização da atividade turística desse país, no valor total de US$ 15 milhões. Foi também realizada operação de financiamento ao governo da Jamaica para o programa de renovação da frota de ônibus urbanos de Kingston, que possibilitou a exportação de US$ 7 milhões.

Ainda tem estrada no Paraguai ( 90 milhões de dólares!), feita pelo Grupo Arg, que atua também na Guiné Equatorial com aquele ditador que teria financiado o carnaval da Beija-Flor e telefonia no Equador, com a Siemens, aquela do “trensalão”: mais  US$ 4,7 milhões.

E com a intenção de controlar a imprensa livre e amordaçar financeiramente a opinião que se publica, digo, a opinião pública, aportes escandalosos:

(…) subscrições de debêntures da Techold, da Brasil Telecom Participações  ( do famigerado Grupo Oportunitty, de Daniel Dantas) e  da Globo Cabo (desembolso total de R$ 1,3 bilhão”

Você se animou, repetidor de bobagens da grande mídia na internet?

Pois tire o cavalinho da  chuva, porque estes são trechos do relatório do BNDES, sim, mas de fevereiro de 2002, último de mantado do presidente Fernando Henrique Cardoso, que pode ser lido aqui.

Porque o Banco vive de fazer negócios – emprestar dinheiro – e este banco, por definição, deve apoiar a exportação de mercadorias e serviços brasileiros. E um dos principais serviços exportáveis pelo Brasil é, não sei se você sabem, a construção pesada, onde temos um padrão competitivo em qualquer parte do mundo.

Ou tínhamos, antes que o Doutor Sérgio Moro misturasse empresários corruptos (que novidade, hein?  E curioso é que é só nas empreiteiras que so há) com empresas capazes e as atirasse fora, como o menino e a água do banho.

Desculpem a ironia do início do post, mas é preciso, para mostrar o ridículo do comportamento de nossa mídia e dos idiotas que maquinalmente repetem tudo o que ouvem dela.

Comentários no Facebook