A Bolsa Mídia, em números

safe_image

O blog Conversa Afiada obteve acesso a números da publicação “A mídia pública no Brasil, 2014”, editado pelo Grupo de Mídia, Brasília.

O leitor que enviou os dados ao blog se diz revoltado.

É para ficar mesmo.

Em plena era de declínio acentuado da TV aberta (cada vez mais brasileiros, quando vêem TV, assistem canais fechados, incluindo aí a nova campeã, Netflix), o governo aumentou o percentual de recursos públicos destinados à TV aberta (leia-se Globo).

A SECOM tornou-se inimiga da democracia e da pluralidade política.

Inimiga, sobretudo, da internet.

E olha que a SECOM lançou números que mostravam o forte avanço da internet no Brasil.

Não foi suficiente, porém, para convencer à entidade a apostar nas novas tecnologias.

Preferiu continuar alimentando a Globo.

O “Messias” de que fala o Paulo Henrique Amorim, com acidez, é Roberto Messias, o secretário-executivo da Secom, o homem que comanda, de verdade, a burocracia da instituição.

*

TOTAL DO GOVERNO FEDERAL
Poder Executivo

2004 – R$ 1,5 bi
2011 – R$ 1,9
2012 – R$ 2,2
2013 – R$ 2,3

Aumento entre 2004 e 2013, 53%

Investimento do Governo Federal em mídia (“política” da SECOM de um Dr Messias – PHA)

TV aberta

2004 – R$ 853 milhões (60% de toda a verba)

2009 – 1,4 bi

2012 – 1,4 bi

2013 – 1,5 bi (64%, ou seja, a SECOM do Dr Messias aumentou o investimento numa midia que CAIU entre 2004 2 2013 !!! – PHA)

Jornal

2004 – R$ 187 milhões (13% de toda a verba)

2013 – R$ 162 milhões (7%, o que explica a situação fulgurante da Fel-lha, do Estado comatoso e do Globo – PHA)

Radio

2004 – R$ 150 milhões ( 10%)

2013 – R$ 176 milhões (7,6%, o que explica o comportamento isento e imparcial da CBN, Band e Jovem Pan – PHA)

Revista

2004 – R$ 147 milhões (10%)

2013 – R$ 147 milhões (6,6% o que explica por que ninguém quer comprar o detrito sólido; nem de graça, o Waldir Macedo quer – PHA)

Internet

2004 – R$ 19 milhões

2009 – R$ 79 milhões

2013 – R$ 139 milhões (6% e, mesmo assim, o Dr Messias da SECOM inclui aí os investimentos no Google, esse gigante da internet genuinamente brasileira – PHA)

Vamos agora às empresas estatais e sua política de mídia, que tem de ser aprovada pela SECOM do Dr Messias:

Petrobras:

TV aberta – 67%

Caixa

TV aberta – 70%

Banco do Brasil

TV aberta – 58%

Correios

TV aberta – 54%

Investimentos em mídia das estatais:

TV aberta – 64%

TV fechada – 7%

Internet – 4%

jornal – 6%

rádio – 5%

revista – 7%

Comentários no Facebook